terça-feira, 27 de junho de 2017

Pão bicolor de batata doce roxa e abóbora cabochá.

Já fiz outros pães bicolores aqui - e até tricolores. Não tem segredo. É só fazer duas massas e misturar. Neste caso, eu fiz apenas meia receita do de abóbora. Você encontra a receita do pão de abóbora aqui. Pra fazer o de batata doce, é só substituir a abóbora. E não esqueça, a depender da marca da farinha, a água pode aumentar. E conforme a umidade do legume também. A farinha é que é fixa.

Se você ainda não tem seu fermento natural, veja como começar um aqui.

Com manteiga de malvavisco que vou publicar em breve 


3 comentários:

Suzana disse...

Adorei esse e todos os outros pães com abóbora,tanto que ainda não sei qual fazer primeiro. Acho que o de abóbora com ora-pro-nobis, porque colhi folhas de ora-pro-nobis na Horta Comunitária de Calçada Cristo Rei ontem. bjo

Joelita disse...

Oi, Neide! Ando dando minhas cacetadas com o pão de fermento natural. Impressionante como a prática faz a coisa evoluir de maneira muito perceptível a cada massa. Mas tenho cá uma dúvida: como saber exatamente se a massa precisa de mais água, além da prevista na receita? Já saquei que ela precisa ficar mais pra mole (hidratada, como vc diz...), mas anda fico insegura. Já vi que em algumas receitas vc põe, além dos 300 ml de água, mais duas colheres de sopa. Enfim, alguma dica?

Ana Maria Tomazoni disse...

Olá! Neide!
Lindo seu pão, adorei como sempre sua criatividade.
Gostaria de compartilhar o convite do lançamento do meu livro Educar com Alimentar contigo.
Tem receitas contextualizadas com a tese de doutorado em Educação pela PUC SP.
O lançamento será em São Bernardo do Campo, cidade onde moro. Mas fica o convite.