quarta-feira, 17 de julho de 2013

Geleia de hibisco

Quase toda a geleia de hibisco que encontramos no mercado ou nos livros de receita usam a fruta inteira, como uma marmelade ou chimia. Eu mesma já dei uma receita aqui. É um jeito de aproveitar as sépalas e aumentar o rendimento. E com isto a gente até esquece que, além de tantas qualidades, o hibisco tem também a bondade de ser rico em pectina que prescinde de qualquer outro espessante, como a própria polpa ou pectinas alheias, para o preparo de geleias cristalinas.

Resolvi tentar fazer só com o refresco. Não sabia se daria certo, por isto fiz uma pequena quantidade. Mas agora não quero saber de outra, ácida, saborosa e colorida como rubi. No próximo ano pretendo colher muito mais hibisco em Piracaia. Todas as sementes foram guardadas para plantar em breve.  

Para fazer a geleia, não tem segredo, basta ferver as sépalas secas do hibisco (usei aquelas que desidratei na secadora de roupas) na proporção de 1 parte de hibisco para 5 de água. Quando o líquido estiver bem vermelho e denso ou  chegar a 1/4 do que usou de água (peneire, apertando bem as sépalas e meça o caldo), coloque o líquido numa panela usando o mesmo volume de açúcar. No meu caso, tinha 1/4 de líquido e usei 1/4 de xícara de açúcar. Leve ao fogo médio e deixe cozinhar até o ponto de geleia - pegue um pouco do xarope fino e levante a colher, a última gota deve gelatinizar na borda da colher, como está vendo na foto.  É só passar para um vidro, deixar esfriar e nhac!  O teor de pectina é tão alto que a geleia pode até ser desenformada como gelatina. 

As sépalas aferventadas e espremidas podem ainda podem ser aproveitadas para fazer um pouco de chá com especiarias. Ainda haverá cor, sabor e acidez. 

Se fizer uma pequena quantidade, é só colocar num vidro limpo e guardar na geladeira para ser consumido em uma ou duas semanas. Mas se a ideia é conservar por mais tempo,   grande quantidade, coloque a geleia líquida, antes que esfrie, em vidros aferventados, secos ao forno, ainda quentes. O ideal é seguir um bom roteiro de como proceder para preparar e envasar geleias - isto você pode encontrar fartamente por aí. Este aqui é bem completo: http://www.pickyourown.org/jam.htm 


Com biscoito de aveia da Lapinha, que ganhei da amiga Sônia, e clotted
cream que ganhei da Carol. Nhac! 

15 comentários:

alguem estranho disse...

Olá!!!

Que delicia!!

Eu adoro comer e amei suas dicas e receitas!!

Parabens!!!

Marta disse...

Oi Neide,
mais uma dica maravilhosa.Adoro refresco (chá) de hibiscus, tanto pelo sabor como pela côr, com este calor que está fazendo aqui tem sido minha bebida preferida.Depois deste seu post, amanhã vou fazer a geleia (gelatina).

silvia lopes disse...

Neide, outro dia minha amiga Judith me perguntou se eu sabia fazer geleia de hibisco (pois ela tem no quintal), eu disse que nunca tinha feito. Agora vejo seu post com essa geleia linda! bj

Leticia Cinto disse...

Neide, acho que a internet passou a transmitir cheiro e sabor porque eu tenho certeza que essa geléia ficou deliciosa!!! Muito legal tb poder aproveitar as sépalas para fazer chá. Aproveitamento total :) Bjs

Tertúlia da Susy disse...

Oh, que delicia essa e que cor linda.
Kiss, Susana
Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/07/4-edicao-do-projeto-escolha-do.html

tragicomica disse...

oi neide. estou traduzindo um livro sobre conservas, e me deparei com uma passagem tão linda q resolvi compartilhar com vc, q eu sei ser uma fã dessa arte:
"Simone de Beauvoir comparou fazer geléia a aprisionar o tempo: "a dona de casa aprisionou a duração do tempo na armadilha do açúcar, ela capturou a vida nos frascos". Eu gosto da idéia de impedir uma fruta de morrer ao léu e poder saboreá-la pouco a pouco (embora certamente não restringiria a feitura de geléias às donas de casa). Mas fazer conservas é também capturar e manter uma estação do ano, um estado de espírito particular. O outono está ali, em um frasco de geléia de pera e castanha portuguesa; o perfume de suas férias de verão na Provença mora em um pote com damascos e lavanda. É mesmo uma das vertentes mais poéticas da culinária."
beijos
Laura

Neide Rigo disse...

Laura, que lindo isto. Obrigada! bj,n

Leila Rossi disse...

Nossa...agora fiquei confusa. Aqui hibisco é uma flor...não fruto...

Nádia G Lucchi disse...

Neide, parabéns pelo BLOG.
Passei, dei uma olhada e logo fiu pegando as receitas com Hibiscus.
Abração.

Nádia G Lucchi disse...

Neide, parabéns pelo BLOG.
Passei, dei uma olhada e logo fiu pegando as receitas com Hibiscus.
Abração.

Nádia G Lucchi disse...

Neide, parabéns pelo BLOG.
Passei, dei uma olhada e logo fiu pegando as receitas com Hibiscus.
Abração.

Nádia G Lucchi disse...

Neide, parabéns pelo BLOG.
Passei, dei uma olhada e logo fui pegando as receitas com Hibiscus.
Abração.

Anônimo disse...

Olá, sou de Niterói RJ atrualmente residindo cidade próximo a Porto Alegre...no Rio hiisco é conhecida como carurú azêdo das folha se faz um refogado muito saboroso só que antes tem que colocar água p/ ferver na panela depois jogar as folhas deixar 5 minutinhos c a panela desligada escorra em uma cuadeira deixe um tempo ...depois faz um refogadinho com alho+cebola+tomate coloque as folhas...fica uma delícia! e a geléia bato as pétalas no liquidificador e o resto é açúcar cristal de boa qualidade e só ter paciência...se as flores forem secas coloque-as primeiro na água fria para hidratar uma hora mais ou menos bater no liquidificador e ir ao fogo depois...Maricota

Diário da Drika disse...

Ola, Neide!

Posso triturar a flor e mantê-la na geléia?

Não gosto de descartar as fibras.

Bjs

Anônimo disse...

Oi Neide! Parabens! Suas receitas sao maravilhosas!!!
Este hibisco é muito dificil de encontrar nao é? Nao tem nada a ver com os hibiscos que vemos nos jardins? Estes que encontramos em todos os lugares plantados nos jardins nao sao comestiveis?