segunda-feira, 13 de maio de 2013

Lobozó. Ou qual é o seu mexidão?

Meus almoços na solidão têm sido assim, um mexidão com o que encontro por perto de bom e substancioso. Ultimamente tenho sempre ovos caipiras, queijo de leite cru, abobrinhas ou jilós frescos, banha de porco, todos de Piracaia. E na hora da fome, tendo fogo e panela, temperos e farinha de milho, que miojo,  que nada. A farinha já é pré-cozida e tem ai um excelente aliado para virados e sopas de última hora. Se a farinha for orgânica, não-t, tanto melhor, é claro. 

Os legumes tenros cozinham em cinco minutos. O ovo fica pronto em um ou dois minutinhos. E depois é só aquecer a farinha. 

O lobozó é aquela mistura que aprendi a fazer (ou aprendi o nome) lá com a Waldete, do Zé Mário, da Serra da Canastra. De lá pra cá, já repeti a receita tantas vezes que já me dou o direito de fazer meu próprio lobozó alterando ingredientes aqui e acolá. Se tem vagem, boto vagem. Se tem dois ovos, dois ovos. Se tem abóbora madura em vez de abobrinha verde, assim será. Aí está, um prato fast food substancioso, completo, nutritivo. E ainda assim seguindo a filosofia do bom, limpo e justo do Slow Food,  que em absoluto significa apenas comer devagar. 

Na minha família cada um tem seu próprio mexidão, cheio de particularidades, truques e trambiques.  O cunhado Tonho Penhasco nomeia o dele de argamassa, vá vendo. O outro, de mexidão. Por aí, são vários exemplos destes limpa-geladeira, para aplacar a fome sem dispêndio de tempo e firulas. E o seu, qual é o seu mexidão? 

O meu tem sido o lobozó, que satisfaz não só a necessidade de aplacar a fome em tempo recorde mas o prazer de comer coisas tão gostosas todas juntas.  Para este, usei a abobrinha e a vagem que trouxe do sítio da Sonia e o queijo da Milena. E os ovos, da caseira

Lobozó com abobrinha e vagem

Refogue 1 dente alho socado e 1/4 de cebola picada em um pouco de gordura de porco (ou manteiga ou azeite). Acrescente 1 xícara de legumes picados - abobrinha e vagem (mas podem ser outros). Meio tomate picado também e pimenta, se quiser. Junte um pouquinho de água e sal e cozinhe até ficar tudo macio, tenro, sem água. Junte dois ovos e misture. Acrescente uns pedaços de queijo fresco ou maturado.  Em seguida, junte 1 xícara de farinha de milho em flocos. Misture ainda no fogo, até o ovo ficar cozido e a farinha, quente. Junte cheiro-verde picado e sirva. Coloque em prato fundo e nhac! 


11 comentários:

aguiar disse...

Hummmmm delícia!!!!
Adoro mexidos, ainda mais quando aproveitamos todas as sobras da geladeira, umm bocado de farinha de mandioca,uma linguicinha de porco frita e pra arrematar uma saladinha de tomate...não tem coisa melhor!!!
Junta o povo, marido, filhos, sobrinhos e quem mais chegar e NHAC!
Neide seus mexidos são...
Bjnhos

Anônimo disse...

Adoro mexidos com farinha de milho. Faço sempre em casa, verdura refogada com farinha de milho, vira uma farofa molhadinha. Vou de mandar a receita da "sopa de mato" que minha avó fazia e eu não gostava. Hoje, eu faço só pra mim e adoro! Beijos,
Daniela

Neusa Mitsuko disse...

Aqui em casa o "limpa geladeira" é o "arroz com Tudo". Se tiver uma linguicinha, e cúrcuma, ótimo!

Já mandei lobozó congelado para o filho que estuda no interior,ele gosta!

Bj

neusa

Anônimo disse...

Olá Neide
eu não conheço essa farinha de milho a que você se refere. Gostaria de saber se posso usar o fubá (massa de milho) no lugar da farinha e/ou se é exatamente a mesma coisa?
Abraços
Hildeny Medeiros
Teresina/PI

Profª Doralice Araújo disse...

Fiquei até com "água na boca" ao ver o seu "Lobozó", Neide; sou da Amazônia paraense e lá costumamos chamar a mistura de ingredientes em sobras como "bolocobó", mas o resultado gostoso dessa mistura é o mais importante.


Gosto muito da sua descontração na abordagem da vida simples, gostosa e pouco enfatizada no universo regado ao verniz do comportamento.

Receba o meu abraço e a certeza da leitura regular da interativa sua página.

Anônimo disse...

Adooooro um mexidão, é um ótimo jeito de aproveitar aqueles alimentos que estão "perdidos" na geladeira. Pelo menos uma vez por semana, almoçamos mexido, gosto de colocar batata doce no meio.. humm fiquei até com vontade... hehehe
Neide, vi esse projeto e lembrei de você, é de uma fotografa que saiu registrando as especialidades culinárias de avós ao redor do mundo, creio que você vá gostar.
Segue o link: http://www.gabrielegalimberti.com/projects/delicatessen-with-love-2/#
Abraços,
Vah

Anônimo disse...

Neide,

Onde você consegue farinha de milho orgânica?

Desde já muito obrigada,

Cassia

marta.hoffmann disse...

Oi Neide,
finalmente já estou conectada de novo,depois de quase 2 meses usando Wi-fi dos outros!!! Adorei este teu mexido limpa geladeira, tinha até esquecido como esta mistura toda de vegetais,legumes,ovos,etc... é gostosa.Os mercados aqui estão uma loucura com tanta oferta de produtos frescos.Mas não consigo parar de comer baguette e queijo (rsrsr) tenho que dar uma parada e começar a fazer alguma coisa!!! por isso adorei esta tua sugestão. Tenho colocado fotos dos lugares aonde ando no meu blog,se quizeres dar uma olhada.

Neide Rigo disse...

Aguiar, este seu mexido mexeu com minha gula. Hum..

Daniela, pronto, resolvido o almoço de hoje, sopa do mato com a mostarda que sobrou de ontem. Minha mãe também faz esta sopa. E ainda quebrava um ovo para cada um no final, tipo cabeça de galo que já dei aqui. Um verdadeiro lobozó líquido.

Neusa, o arroz com tudo é sempre uma boa opção, pois também cabe tudo.

Hildeny, vou mostar a foto no próximo post. Veja a fabricação dela aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2009/07/farinha-de-milho-e-assim-que-se-faz-um.html

Doralice, obrigada pela informação. Bolocobó lembra lobozó. Não sabia. E obrigada pelo elogio (não mereço, mas agradeço...)

Vah, obrigada, vou ver já o site.

Cassia, esta orgânica, ganhei. Mas pode encontrar na lojinha do restaurante Dalva e Dito, por exemplo. Ou na feira de orgânicos da Água Branca.

Marta, mas também queijo e baguete na França são tentadores, não? No lugar da farinha, mais difícil por aí, pode colocar cuscuz marroquino hidratado. Fica bom também. Poxa, que viagem linda a sua, lugares lindos.

Um abraço,n



† Catarina Lazzaris † disse...

Delícia!

Naomi disse...

Oi Neide, obrigada por passar o endereço de onde encontrar farinha de milho não transgênica em São Paulo. Vou me aventurar e atravessar a cidade para conhecer esta feira sim (pelo que vi no mapa do google é próximo ao metro Barra Funda), porque hoje, sabadão, no mercado que frequento, só achei a com T...
Abraços, Naomi