quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Carambola em molho para peixes e carnes à moda do Camboja

Ando agora fascinada. Nem ligava muito para a carambola antes de saber do fim daquela caramboleira de Acrelândia que tinha os frutos mais gostosos e lindos que já provei e vi.  Mentira, ligava sim, mas não dentro da panela. Era fruta pra comer ao natural ou fazer suco e pronto.  Às vezes, pra comer verde no pé. Uma vez, ainda adolescente, fui sozinha passar o fim de semana no Paraná, na casa de meus tios.  Subimos, minha prima de mesma idade e eu,  no pé de carambola da vizinha com um potinho de sal e comemos carambolas verdes até não aguentar mais. E ainda sobrou. Peguei ônibus de volta para São Paulo, coisa de uma noite inteira, e vim passando mal a viagem toda. Cheguei em casa e fui direto para o hospital com cólicas. O médico perguntou pra minha mãe se eu estava grávida. Não tinha porque estar. Era só excesso de fruta star, mas fiquei com vergonha de contar. E fiquei boas horas ali no soro. Mesmo assim, não enjoei. Só lembrei desta história quando encontrei estas carambolas verdes ontem no mercado. Achei que casavam bem com a receita cambojana que pediam as frutas maduras e que eu já havia preparado com peixe, conforme foto abaixo (quero repetir, por isto, falo do peixe depois). 

Tilápia frita com molho carambola madura 
Como no Camboja as carambolas são apreciadas na cozinha tanto maduras quanto verdes (e até as flores), decidi testar as verdes com o pernil  que pretendia assar. 

A receita inspiradora, Trey chien plei spu ou  peixe frito com molho de carambola, leva molho de ostra, de peixe e shoyu. Da primeira vez que fiz usei todos os molhos pedidos porque tinha aqui, mas quis repetir a experiência fazendo outra combinação com ingredientes nossos e assim democratizar a receita para quem não tem um bairro da Liberdade por perto. 

Mantive o shoyu, que é fácil de encontrar e porque estou adorando o meu artesanal, sem glutamato, comprado no restaurante macrobiótico Satori, onde é preparado. Mas os molhos de peixe e o de ostra foram sorrateiramente substituídos por camarões secos que compro no mercado da Lapa já sem pele. Foi só lavar, escorrer e socar com outros temperos. Em pequena quantidade, ele contribui imensamente com o sabor, como um glutamato natural (tem glutamina, claro). E, socado, ninguém diz que ali tem camarão. Produz quase o mesmo efeito que os molhos de peixe e de ostra, que podem ser usados com pescados e carnes. Outra modificação que não faz diferença no sabor ou textura, mas é uma excelente escolha para quem não quer usar maisena de milho transgênico, foi usar como espessante a araruta em vez de amido de milho. Também reforcei o sabor da carambola usando o próprio suco da fruta madura em vez de só água. Tanto o molho para peixe, feito com as frutas maduras, quanto o com frutas verdes para o pernil assado ficaram deliciosos. A carambola cozida continua crocante e a acidez com adocicado combinam com proteínas, fazendo ótima parceria. Além da lindeza, é claro. Imagino que combine  também com frango. Experimente e me fale (ou faça do seu jeito e me conte). Aí vai minha versão tomada de liberdades inclusive no modo de preparo.   


Ingredientes para o molho 

Camarão seco socado com alho e pimenta dedo-de-moça 
Pasta de camarão fritando com cebola 
Pernil assado esperando o molho - retire a gordura formada no fundo 



Pernil assado com molho de carambolas verdes

1 pedaço de pernil com cerca de 2 kg temperado um dia antes com 2 dentes de alho socados com uma colher (sopa) de sal, 1 pimenta-dedo-de-moça sem sementes,  pimenta-do-reino a gosto e suco de meio limão - deixe na geladeira 
1 colher (sopa) de camarão seco sem pele, lavado e escorrido 
2 dentes de alho 
1 rodela de 1 centímetro de gengibre descascado 
2 colheres (chá) de açúcar 
Meia pimenta dedo-de-moça verde sem sementes, picada,  e meia vermelha do mesmo jeito 
2 colheres (sopa) de óleo 
1 cebola média picada em quadrados 
Meio pimentão verde pequeno picado em quadrados
1 pimentão vermelho pequeno picado em quadrados 
1 cenoura cortada ao meio, de comprimento, e picada em fatias finas 
2 tomates pequenos picados (em seis cunhas e depois ao meio) 
3 carambolas verdes e 1 madura fatiadas 
Meia xícara de suco de carambola madura (extraído em centrífuga) 
1 colher (chá) de araruta 
Meia xícara de água (se não tiver centrífuga, use parte desta água para bater com carambola no liquidificador - depois, coe) 
2 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu)
Folhas de coentro a gosto  

Coloque o pernil numa assadeira, cubra com papel alumínio e leve para assar em forno com temperatura bem baixa por cerca de 4 horas ou até a carne ficar macia. Tire o papel e deixe dourar e secar toda a água que se forma. Retire toda a gordura da assadeira quando estiver pronto. Enquanto o pernil está dourando, comece a fazer o molho. 
Soque no pilão o camarão com o alho, o gengibre, o açúcar e as pimentas. Soque até virar uma pasta.  Coloque o óleo numa frigideira grande (se tiver wok, melhor)  e leve ao fogo junto com a pasta de camarão e a cebola. Vá mexendo até a cebola amolecer e a pasta começar a chiar. Junte, então, os pimentões, o tomate e a carambola. Mexa bem até ficar tudo bem quente. Junte o suco, a araruta diluída na água e o shoyu. Misture com delicadeza. Prove o sal e salgue, se necessário. Quanto o tomate amolecer, desligue o fogo e junte folhas de coentro a gosto. Despeje tudo sobre o pernil e nhac com arroz.

8 comentários:

Fabiano Mayrink disse...

tem tanto tempo que não como carambolas, acho lindas cortadas assim, em estrelas, ficam encantadas!

bonito prato

Patricia disse...

humm delicia,hein??

Janice Adja disse...

É de da água na boca.
rsrsrs Beijos!

Dricka disse...

Neide estou amando a saga da carambola salgada. Gosto bastante de frutas na comida!
Bjs

Maria de Lourdes Ruiz disse...

Deve estar saborosa, pois está super mega plus aparentemente deliciosa.

Receita anotada.

Bjs

Anônimo disse...

Neide, ri muito com a sua história de infância pois me lembrei que também comi muita fruta no pé que me fez mal, mas no meu caso foi goiaba. Nem preciso constar o resto, né? kkkkkkkkk
Izabel

kleber galveas disse...

Parabéns! Você generosamente está fazendo um ótimo trabalho de grande interesse social. Muito obrigado. Abraço, Kleber

José Roberto disse...

Com certeza (acho...) o que vou falar não é novidade, se bem que eu sempre achei que tinha inventado. Salada de carambola fica uma delícia!
Se tiver manga verde ("di veis", como falávamos lá no Paraná)também pode ser acrescentada à salada de carambola.
Simples: Corte-as (carambola) em rodelas (rodelas ou estrelas?), corte a manga em fios bem fininhos e tempere com limão (caipira de preferência), sal e um pouquinho de cebolinha e salsinha. Acompanha muito bem uma costelinha de porco.
Abraços.
Zé Roberto