terça-feira, 12 de junho de 2012

É hora de colher a cúrcuma. De novo



O feriado foi bom. O barro impediu o carro de subir a estradinha que dá na casa em Piracaia, em reforma. Levamos as mochilas nas costas e a Dendê no colo. A casa estava empoeirada da quebradeira, então só preparamos comida de uma panela só, almoçamos, apreciamos o encanto das plantas alegres da chuva e descemos de novo a ladeira lisa como sabão. Já de tardinha fomos visitar a leitora do Come-se e agora amiga Eliane que mora numa chácara linda com o marido João, em Extrema, Minas. Apesar da noite escura, vimos o lago, a horta e o pomar. Tomamos café com bolo, ganhamos mudas, peixes, mandioca e mexericas. Levei cará-moela e cúrcuma, que colhemos um dia antes. Voltamos pra casa no mesmo dia, apesar do convite para ficar por lá. É que a Dendê é sistemática. Os dias chuvosos foram muito bons para as plantas velhas e novas, para plantar e colher. Aproveitamos para mexer com terra aqui em casa que está virando um viveiro de mudas ganhadas e salvas de situação de risco nas frestas das calçadas. Aproveitamos para arrancar as cúrcumas do quintal da frente, pois as folhas já haviam murchado.  Mal precisei de enxada. Foi só ir puxando o pé e chacoalhando a terra. Fiquei impressionada com a quantidade de cúrcuma num só pé, crescida num veio de terra entre o muro e o lugar do carro,  um lugar que não recebe a mínima atenção pois só está à vista quando o carro está ausente.  Havia plantado ali quatro unidades de cúrcuma,  e agora colhi um quilo. Duzentos e cinquenta gramas por pé. Para um cultivo que não me exigiu absolutamente  nada, foi uma bela colheita. 


Estamos em plena safra - as folhas secam, e se você quiser comprar para começar um cultivo,  ainda que num vaso, num pedaço de terra ou mesmo na praça do seu bairro  (veja lá - aquelas, não fui quem plantou), pode encontrar no supermercado Mambo, no Ceagesp, na feirinha da Água Branca. Aí é só ir usando algumas e deixando outras na fruteira até começar a brotar, quando podem ser plantadas. . Basta então esperar alguns meses para ter a alegria de colher uma penca. 


Já falei de cúrcuma em vários posts. Aliás, todo ano, quando é época, ela aparece por aqui. É inevitável, sorry. Mas se você está chegando agora e quiser saber mais a respeito da planta, do pigmento etc, veja este aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2009/07/e-hora-de-colher-curcuma.html

Arroz com cúrcuma e batata-doce


Não tem receita, apenas bati no liquidificador um dedinho de cúrcuma descascada com 2 xícaras de água e acrescentei ao arroz (1 xícara) já refogado com cebola. Juntei uns pedaços de batata doce, 1 ramo de manjericão, sal  e 1 pimenta inteira. Cozinhei como um arroz qualquer na minha panelinha de barro de Uauá e nhac!  

13 comentários:

Marlene disse...

Neidi, adoro seu blog. Ganhei mudas de cúrcuma de uma amiga, plantei faz uns 2 meses. Se não fosse pelo teu blog, ia pensar que a plantinha tá morrendo. Acho que não deu tempo de crescer mais raízes, posso deixar na terra ou tenho que tirar para depois replantar? Abraços

Anônimo disse...

Oi Neide, ficamos felizes pelos comentários sobre nós, muito obrigada "Amiga", que voltem sempre que desejarem, serão sempre bem-vindos...Bjs. Eliane e João.

Neide Rigo disse...

Marlene, pode deixar na terra. Mas, eu, se fosse você, arrancaria pra dar uma espiada no desenvolvimento.

Eliane, claro que vamos voltar rsss.

Um abraço,N

marta.hoffmann disse...

Oi Neide,
vc. é felizarda por ter curcuma fresca por ai.Adoro usar curcuma,não só para colorir comida,mas pelas propriedades medicinais que tem (turmeric).Com sorte,acho em mercados indianos.,pequenas e murchas.Ano passado,enterrei algumas raizes num vaso e unica diferença este ano,agora no verão. qdo.escavei a terra a raiz estava fresca,mas sem broto nenhum.No inverno trouxe o vaso para dentro de casa,feliz pensando ter curcuma fresca agora no verão.Pura ilusão,Fiquei desapontada. Pesquizei lugares para comprar a planta sem sucesso. Talvez o clima? tive sucesso com uma mudinha de aloe vera,apesar se ser tropical ela está linda,cheia .Achei que o mesmo aconteceria com a curcuma.Hoje vc.coloca esta foto da curcuma fresca!!!!fiquei babando!!!!!

Anônimo disse...

Oi Neide!
Adoro cultivar cúrcuma, como moro em ap tenho plantado em jardineiras plásticas e estão dando super bem. Aprendi com você que as folhas tem cheiro de manga verde e podem ser usadas para embrilhar peixe para fazer assados, fiquei mais feliz ainda.
Sempre que posso distribuo rizomas entre amigos e como sou curiosa faço algumas experiências e consegui que apenas o broto cortado brotasse aproveitando o rizoma.
A minha tem flores brancas e são muito interessantes.
Obrigada por dividir com a gente suas experiências e achados!
Abraços,
Zu Freitas

Anônimo disse...

Neide, estive hoje com minha mãe e ela também está arrancando a produção dela e estava me explicando como ela faz para obter o pó de cúrcuma, achei muito trabalhoso (ela corta em fatias finas, seca-as ao sol, moi, seca de novo e moi de novo), tudo bem que fica um pó finíssimo, mas vc com sua engenharia de alimentos não teria uma forma mais prática?
Abç.
Izabel

Anônimo disse...

Que interessante. Lendo a matéria soube que a reação dele com o bicarbonato ou fermento pode deixar a massa vermelha. Fiquei curioso em testar fazer o famoso red velvet cake usando a cúrcuma. Esse bolo antigamente adquiria a coloração vermelha pela reação do cacau alcalino de baixa qualidade com ingredientes acidos. Hoje fazem com uma tonelada de corante vermelho que não aceito. Ja tentei beterraba mas ela reage e não fica vermelha. Muita gente tenta alternativas naturis mas ninguem ainda conseguiu.

Maria das Graças disse...

Neide, infelizmente aqui na cidade do Rio de Janeiro não encontro cúrcuma em lugar nenhum. Já pedi a alguns feirantes da minha região e eles nem sabem o que é. Só tem em pó. Mas eu trouxe uns rizomas de São José dos Campos usei e de tres pedaços que sobraram fiz mudas e dei para uma produtora rural da Serra Fluminense, que participa da feira de Orgânicos aqui no bairro. Vamos ver se teremos curcuma daqui a alguns meses.

Kristina disse...

Neide,

A curcuma eh realmente surpreendente. Faz uns anos, ganhei um pezinho dum amigo agricultor quando morava la em Puerto Rico e plantei num vazinho. Passaron meses e eu pensei que a curcuma nunca pegou pq parecia que nao tinha sinais de vida. Quando resolvi tirar ela dai, percebi que tinha raizes novas,deixei. Passou um tempo(nao longo a meu perceber) e ahi ela deu as folhas e se formou numa planta maravilhosa!! Entao, aprendi que ela eh planta da paciencia, a perseveranca e da abundancia! Logo com a colheita fiz muitas veces arroz, "curries" e ate joguei pedacinhos nos "smoothies" e ainda dei para outras pessoas plantar.

Obrigada pelo seu blog!

-Kristina Rivera :)

Anônimo disse...

Gostaria de saber como se reconhece uma muda de cúrcuma. Ou um pé de cúrcuma já ativo de onde se podem tirar mudas?
Outra pergunta: quando é a hora certa da colheita?
Muito Obrigado,
Julio Borges - Rio de Janeiro

Neide Rigo disse...

Júlio,
aqui no blog mesmo tem várias fotos de pé de cúrcuma. Para plantar você precisa do rizoma - logo logo já pode encontrar em feiras de produtores, por exemplo.
É hora de colher quando a folha murcha.

Um abraço,n

Alessandro Ramos disse...

Olá pessoal. Plantei meu risoma em Julho do ano passado. A planta germinou cresceu mas não floresceu. Suas folhas secaram então colhi os risomas este mês. Gostaria de saber se esta não floração é normal e o que eu poderia fazer para evitar isso. Obrigado

Walquiria Hamade disse...

Boa noite! Muito interessante! Moro em Guarulhos/SP, como faço para comprar uma muda? Agradeço