terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Bolo de nozes com cenoura da Flora

Este, Flora deixou pra mim
Convivi pouco no dia a dia com minha sobrinha Flora, que morou um pouco aqui em São Paulo, em São Roque e, por último, em Fartura, até terminar o colégio. Depois se pirulitou pra Paris, estudou geografia na Sorbonne e agora faz mestrado na mesma instituição, sendo que parte da sua pesquisa em agricultura familiar será feita em São Luiz do Paraitinga e por isto é que veio com o namorado polonês e estão hospedados aqui em casa (ontem foram pra São Luiz, mas retornam). Como eu ainda a tinha como sobrinha menina, me espanto a cada constatação de que virou mulher responsável, afinal teve que se virar num país estranho, trabalhar, morar sozinha, pagar aluguel, se manter e ainda ser ótima aluna. 


Este começo de ano foi corrido por aqui porque viajei na primeira semana e em seguida comecei a fazer um curso de vídeo no Senac, todas as manhãs, até uma da tarde. E tudo sem a Eliane, que só voltou ontem de férias. Mas chegava aqui e não havia uma louça suja na pia, o chão estava varrido, o quarto arrumado e o banheiro limpo. Agora, o que me chamou a atenção foi o olhar que ela também tem para a cidade, suas árvores e seus frutos. Logo no primeiro dia que saiu pra passear, voltou com as mãos cheias de pequenas mangas. Segundo ela, a mangueira de um vizinho meu derrubou muitas mangas na calçada depois das chuvas e eles, Flora e Marcin,  não perderam tempo. Recolheram todas. 


Fiz suco com as mangas que ainda estavam verdolengas e especialmente o Marcin adorou porque diz que na França, e imagino que também na Polônia, não se fazem sucos de frutas em casa, nem fora de casa, sequer têm liquidificador, e que isto tudo é um luxo tropical. Lembrei da hóspede Marthe que esteve conosco há uns três anos e ficava enlouquecida com o suco de laranja e todos os outros. Todos os dias Marcin quer fazer sucos com frutas diferentes. Ontem inventou de fazer vitamina com kefir, manga e banana, só que picou uma enorme banana-da-terra. Flora chegou a tempo de dizer que aquela era banana de cozinhar. Trocou por banana prata mas achou que bastava um pouco de líquido. Depois ainda queria passar o purê por peneira, achando que dali sairia um suco. Foi socorrido a tempo e tudo terminou bem. 


Mas, voltando à Flora, outro dia cheguei e havia um bolo para mim em cima da pia. Fez um para levar num lanche da tarde na casa da minha irmã e outro para deixar aqui. Achei delicioso, pedi a receita, perguntei desde quando, menina, você sabe cozinhar - ainda a tratando como a sobrinha menina, esquecendo que mora sozinha já há um tempão. E quem mora sozinho, gosta de comer bem e não tem muito dinheiro para restaurantes e cafés, ainda mais numa cidade cara como Paris, o melhor a fazer é aprender a cozinhar. Foi o que ela fez. Diz que foi ao Starbucks, comeu um pedaço de bolo de nozes com cenoura, achou pouco, queria mais, mas achou absurdo o preço da fatia fina. Foi pra casa e tratou de procurar uma boa receita do mesmo bolo e, claro, encontrou infinitas variações. Testou alguns pelo preço de uma fatia, misturou receitas, diminuiu açúcar, aumentou a canela, até que chegasse a um resultado que, segundo ela, ficou melhor que o do Starbucks, menos doce.  Fiz a receita dela, com a diferença de que medi em xícaras alguns ingredientes e usei duas formas pequenas em vez de uma. Mas o certo, diz Flora, é usar forma de bolo inglês, pois é aí que se chama cake. Bem, pra quem reclama que nunca dou receitas, aí está:


O melhor e mais barato picador de nozes que já usei. Em plástico.

Ou em alumínio - retrô.
Assei em duas formas pequenas
Com café, não tem melhor


Cake aux carottes et aux noix - Bolo de cenoura com nozes 
Receita de Flora Rigo


3 ovos 
110 g de açúcar (1/2 xícara + 2 colheres de sopa)
200 g de farinha de trigo (1 e 2/3 de xícara)
100 g de manteiga sem sal derretida (meia xícara) 
2 cenouras médias raladas (250 g ou 2 1/2 xícaras)
120 g de nozes picadas (1 xícara)
1 colher (sopa) de canela 
1 colher (sopa) de fermento 


Coloque numa tigela os ovos e o açúcar e bata bem. Junte a farinha e a manteiga derretida (já morna) aos poucos, sem parar de bater. A massa fica bem densa. Junte, então, as cenouras, as nozes, a canela e, por último, o fermento. Misture bem e coloque numa forma de bolo inglês untada com manteiga e polvilhada com farinha de trigo.  Leve ao forno médio pré-aquecido e deixe assar por cerca de 45 minutos ou até que espetando um garfo na massa ele saia limpo. 


Rende: cerca de 15 fatias 
Nota: medidas padronizadas - xícara de 240 ml e colher de sopa de 15 ml. Se quiser use duas formas menores. 

16 comentários:

Leticia Cinto disse...

Ai que delícia! Delícia de histórias (Marcin e os sucos, Flora e o bolo) e delícia de receita. Vou tentar aqui e depois conto como ficou. Obrigada por compartilhar com a gente :)
Bjs

Pérola disse...

Neide, essa receita fica muito boa com abobrinha também! Beijão!

Kátia disse...

Oba! Essa vou testar em homenagem à Flora! Tenho uma de suco pra contribuir. Se acharem que é o caso. Misture o sumo de 1 limão e de 3 maçãs com uma raspinha de gengibre e uma pitada de pimenta caiena. Tomei no Santo Grão e, gentilmente, me deram a receita. beijos pra vocês duas.

juliana disse...

Hmmmmm, vou arriscar uma versão sem gluten.
Acho que não haverá erro!

Flora Maria disse...

Também gostei das histórias, além da cara do bolo que está uma tentação !
E é a segunda Flora que encontro hoje nos blogs amigos ! Lembranças para sua sobrinha.

Beijo

Inessa disse...

Ola Neide!
Onde posso encontrar esse moedor da foto?
O bolo esta com uma cara muito apetitosa!

bjo
Inessa

Neide Rigo disse...

Letícia, espero que goste e me conte.

Pérola! pensei também em abobrinha. Tem uma receita que é de chocolate com abobrinha.

Kátia, obrigadíssima pela receita. Deve ficar muito bom. Pra acompanhar o bolo.

Juliana, já arrisquei também. Deu certo. Você tentou?

Flora, que nome lindo, hem?

Inessa, o moedor você encontra em casas de coisas de cozinha, de preferência as mais populares - o meu comprei no box 11 do Mercado da Lapa, a R$ 6,00.

Um abraço, N

Roselei Strassburger disse...

Neide, vi e gostei.Vou fazer aqui, em casa. Desde qdo reclamam que não nos dás as receitas? já anotei várias no meu caderninho de receitas feito pela minha Amandinha.
Beijos

Dalva Tupinambá disse...

Neide, este bolo é uma tentação!
Vou fazer,anda chovendo, fazendo um friozinho,bom para assar bolos e tomar com um café ou chazinho.
Abração
Dalva

Margareth DOnófrio disse...

Oi Neide...fiz o bolo de cenoura com nozes sem trigo. Hummm, adorei!! Estou saboreando neste exato instante! Semana que vem farei o da Flora...adorei a história deles.

Bruna Buesso disse...

Receita super fácil! Gostei, um dia tentarei lá em casa. Sou apaixonada por bolo de cenoura, é o bolo simples que mais gosto.

Beijo,
Bruna

Neide Rigo disse...

Bruna, você usou o fubá branco? É que uma leitora disse, lá no post do bolo sem trigo, que o dela cresceu e murchou.
Obrigada pelo retorno, um abraço,
N

Fernando Rabello disse...

Fiz o bolo e ficou uma delícia!
Acompanhando o cafezinho é tudo nessa vida.

Leticia Cinto disse...

Demorei só mais de um ano para experimentar! Mas ficou MUITO BOM mesmo!!! Com certeza vou repetir mais vezes :)

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Neide, muito obrigada por compartilhar esta receita. Fiz hoje e ficou divino! Foi o maior sucesso aqui em casa, inclusive com minha filhinha de 2 anos. Coloquei meia colher de canela para não correr o risco de mascarar o gosto das nozes (que eu amo).
Helena