quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Coisa que eu odeio no café da manhã



Pelo menos já somos um grupinho. Encontrei a referência que me faltava sobre o assunto hoje no blog da Nina Horta. Embora conversamos sobre tantas coisas, nunca abrimos espaço para comentar deste nosso desgosto comum.

Ela escreve: "No outro dia as meninas do Saia Justa estavam se lembrando das coisas que mais as irritam. Vidro de requeijão que parece cheio, você prepara a torrada e está vazio. Aquela propaganda que envolve o jornal... com essa me identifiquei. Elas somente tiram com raiva, eu jogo bem longe, de preferência amassada."

Eu faço diferente delas. Minha raiva é tanta, que amasso bem amassadinho sem ver de quem é a propaganda. Chega a comprometer meu café da manhã. Por que fazem isto comigo? Amasso de raiva e pra poder quebrar bem as fibras e ficar flexível (o pedaço de jornal, eu continuo inflexível). Assim posso levar ao passeio matinal pra recolher o cocô da Dendê. Só pra isto que serve.  Aí fico pensando: será que os publicitários das empresas anunciantes e o departamento de marketing dos jornais acreditam realmente que estas aletas funcionam?  Para mim, é anti-propaganda para os dois envolvidos e desperdício de papel e tinta. Eu já até cogitei cancelar minha assinatura do jornal por isto.  Aqui em casa somos três e 100 % odeia, quer cuspir e pisar em cima. 

12 comentários:

MaFê Senger disse...

quinem a volume da TV que aumenta por conta própria nos intervalos comerciais.

Anônimo disse...

Serve para catar cocô de cachorro,ou ir direto pro reciclãvel.

Neusa

Cristiane Iannacconi disse...

aqui em casa optamos por ler o jornal on line mesmo... compramos só no domingo. Não incentivo o gasto de papel, tinta, transporte...

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Dei é muita risada com seu post...e depois pensei friamente e analisei que quando compro jornal também não leio e deixo de lado...e acaba indo pro lixo reciclavel mesmo!
Será que alguém gosta desses propagandas?! Acho difícil encontrar alguém que queira saber as ofertas do dia no meio da correria!
Um abraço,
CamomilaRosa

Reinaldo Pinheiro Pinho (Mr Beer) disse...

Pensava que eu era algum tipo de ensandecido, porque amasso aquela "capa" do jornal com muito ódio...É muita falta de respeito, até o gosto de olhar as notícias do dia (de ontem) não podemos...

Roberta disse...

mas gente... é só tirar a capa, não atrapalha em nada. vcs tb rasgam cada uma das propagandas internas? huahuauha achei doido, hein?!?!

angela disse...

E eu que vim ler toda aflita pra saber o que te irrita , o que te agita, e o é que você cita?
Ah! jornal de papel na escrita!
Tranquilizei-me, pode vir de visita!
Aqui não há jornal popular nem revista erudita: aqui é casa de eremita!

Neide Rigo disse...

Pois, é Angelita, uma chata em mim habita! beijos N

Alê disse...

Oi, Neide!
Também sou da turma que odeia essa capa que nos colocam goela abaixo. Rasgo logo de cara. Vou cancelar o dito cujo, não (só) por isso, mas pela falta de respeito geral que o Estadão tem tido com o assinante. Pena vai ser não ter mais Paladar com você de bônus... Ainda não parei para ler a matéria de hoje com você porque essa quero saborear. Que delícia de casa! Já estou pensando onde posso colocar uma casinha para as abelhinhas na minha varandinha de apê! :o)

Alê (de novo) disse...

Ops! Enjoei com tanto diminutivo!
Melhor assim: "Já estou pensando onde posso colocar uma casa para as abelhas na minha minúscula varanda de apê!". ;o)

Neide Rigo disse...

Alê,
então ficamos combinado. Você compra o jornal de quinta e está tudo certo.
Diminutivo é a cara desta abelhinha de sapatinho. Elas ficam bem em varandas. Um abraço, N

Anônimo disse...

Não é só jornal que soca propaganda na gente. Uma vez comprei uma revista de variedades famosa e muito conceituada e quando abri e comecei a ler, "veja" só, as primeiras sete folhas eram propaganda. Fui arrancando todas e não parei até terminar a revista inteira. Sobraram poucas, muito poucas folhas com material de leitura, quase inteira foi para a reciclagem. Nunca mais comprei.

Janete