quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Quinta sem trigo 9: Farinha de batata doce: como fazer em casa



Fiquei convencida do valor nutricional e gastronômico da farinha de batata-doce durante o Congresso de Incentivo ao Consumo de Verduras, Frutas e Legumes de 2009, em Brasília. Os pesquisadores da Embrapa Hortaliças que faz um bonito trabalho de resgate de variedades esquecidas, mais nutritivas. Com estas batatas fizeram farinha num processo de tecnologia simples e barata. Foi lá que peguei uma apostila e aprendi a fazer a farinha adaptando o que seria indicado para pequenos agricultores para processo caseiro. Embora um pouco demorado, por causa do tempo de secagem, o restante é feito facilmente se você tiver um processador, um liquidificador e peneira. A Embrapa tem material informativo a respeito, mas você também pode ver uma apostila similar aqui.

Levando em conta que 2 quilos de batatas renderam pouco mais que meio quilo, podemos dizer que, dependendo da umidade da batata, o rendimento é aproximadamente este - 25% do peso inicial. A apostila linkada também confirma que 4 quilos de batatas rendem 1 quilo de farinha. Isto quer dizer que se você usar 100 g de farinha é praticamente o mesmo que consumir 400 g de batata-doce in natura e, com exceção de alguns nutrientes que sofrem perdas com o calor e oxidação, muitos outros estarão concentrados num produto agora não-perecível. Ótima opção para aproveitar excesso de produção e garantir suprimento para a entressafra; para incrementar dietas mais pobres ou de crianças inapetentes; melhorar o valor nutricional da merenda escolar e aproveitar como farinha sem glúten para bolos, pães, pudins, mingaus, farofas, biscoitos e o que mais a imaginação soprar. Incluí em pães de trigo na proporção de 40, 30 e 20%. Com 40, ficou pesado e grudento. Com 30% cresceu menos e o miolo ficou um pouco ressecado e com 20% ficou perfeito (ok, isto eventualmente pode ser uma "quinta com pouco trigo" também)

Então, além de poder ser usado pura em algumas preparações sem gluten, você pode incrementar todos os pratos feitos tradicionalmente com farinha de trigo.
Ao passo-a-passo


Lave as batatas, descasque-as e rale no processador ou em ralo grosso.

Pesei para ver o rendimento. Usei 2 quilos, mas, para experimentar o seu forno e conhecer a eficácia dele, comece com menos, lembrando que o rendimento é de 1/4 do peso inicial.

Espalhe em assadeiras, sem amontoar e leve ao forno em temperatura bem baixa, mais baixa que conseguir. Eu coloquei o cabo de uma colher na porta para diminuir a temperatura, que ficou entre 74 e 80 graus.
De vez em quando remexa. Até que fique tudo bem seco e solto. Se os flocos estiverem flexíveis é porque ainda não secou o suficiente. Tem que ficar durinhos com barulho de pedrinhas.
O rendimento
: 2 kg renderam 531 g de flocos secos

Bata no liquidificador aos poucos - 1 xícara de cada vez, até tudo virar pó.

Passe pela peneira fina. No final, se sobrou muitos grãos, bata mais, até rescar só um pouco, que pode ser usada para polvilhar a superfície dos pães, por exemplo.
O rendimento final: 524 gramas. Dez gramas ficaram pelo caminho.


O sabor final não é só um pouco doce, mas deliciosa. A minha, usei quase toda para fazer pães. Aproveite a sua para panquecas, bolos e bolinhos, biscoitos etc. E depois me conte. Ou aguarde receitas aqui quando eu fizer mais farinha.
Para extrair a fécula ou o amido de batata doce, é só proceder como no caso da mandioca.
Pão de trigo, com 20% e com 10% de farinha de batata doce

17 comentários:

Mario Renato disse...

Muito bom! Só que batata doce não é nem verdura, fruta ou legume!

Faltou dizer quanto de forno! :-)

Será que dá pra usar o mesmo processo para fazer outras farinhas, tipo inhame?

Abraços,
Mario.

Mario Renato disse...

Ooops, quis dizer quanto TEMPO de forno!

Aylok disse...

Olá Neide. Muito obrigado pelas preciosas informações do blog.

O processo de secagem tem que ser feito no forno ou pode ser feito sob o sol?

Obrigado,
André

Letrícia disse...

As quintas sem trigo estão geniais, Neide. Parabéns! Beijos!

Neide Rigo disse...

Maria Renato, morfologicamente a batata doce é um tubérculo. Mas, no sentido prático, isto não importa muito. O meu forno é doméstico, sem nenhuma precisão. Portanto, prefiro dar o parâmetro pra saber quando está bom. Veja lá: "Até que fique tudo bem seco e solto. Se os flocos estiverem flexíveis é porque ainda não secou o suficiente. Tem que ficar durinhos com barulho de pedrinhas".

Inhame tem muita viscosidade. Não sei se funciona. Talvez o melhor processo seja outro. Teste e me conte.

André, pode ser feito no sol também, desde que em clima muito seco. Mas lembre-se de proteger as formas com tule por exemplo.

Um abraço, N







Um abraço, N

angela disse...

Neide, eu tenho uma secadora doméstica (tenho também uma grandalhona, quero vender , está nova, veio com a casa) assim que eu descobrir uma batata doce (os tatus andaram comendo as minhas) vou experimentar na secadora e te falo.
Outra coisa: preciso de um liquidificador bom. Desses que podem ficar ligados durante algum tempo sem esquentar e que realmente usa o copo todo. Os moderninhos só liquidificam o que fica perto das lâminas, um saco. O seu tem até luzinha azul, caprichado! Vi que a marca é excelence. Nunca ouvi falar. Recomenda? é nacional?

Neide Rigo disse...

Angela!
A grandona cabe na minha casa? Fiquei interessada.
Poxa, não dá pra proteger as batatas de alguma forma?
Quanto ao liquidificador, estou contente com este. É da Black & Decker, bem potente. Quando for comprar, verifique se uma das lâminas pega bem no fundinho - uma bem pra baixo, outra bem pra cima; se é fácil de lavar, com copo desmontável e se tem uma boa potência - se não me engano este tem potência de 700 W. O meu antigo, da Oster também era muito bom. Já um da Wallita....

Beijo, N

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Neide, amo batata doce e adorei sua indicação.
Pode ser feito com batata baroa tb?
Só mais uma dúvida, vc conhece farinha de grão de bico?
abs e parabéns

Gilda disse...

Oi Neide
Muito interessante aproveitar as batatas desta forma e já que a Carolina perguntou, eu também estava aqui querendo saber se é possível fazer farinha de grão de bico em casa. É meio difícil achar para comprar aqui em Ubatuba. Que tal para uma próxima quinta? Fiz de novo os biscoitinhos de polvilho e amendoim! Hummmmmm! Um abraço.

Simone disse...

Neide, estou com uma dúvida, por favor. Quando eu for incluir 20% de uma farinha assim, eu preciso tirar 20% da farinha de trigo, por exemplo, ou só vou acrescentar? obrigada!

Neide Rigo disse...

Carolina, ainda não tentei, mas deve dar.

Gilda, obrigada pela sugestão. Eu nunca fiz farinha de grão de bico, mas posso tentar.

Simone. Um pão com 20% de farinha de batata-doce significa que a farinha de trigo entra com 80%. Substitui e não soma.

Um abraço, N

Wir Caetano disse...

Olá. Pus um link pra esse texto no twitter do Sindmon-Metal, de João Monlevade (MG), onde sou assessor de imprensa. Temos a filosofia de difundir coisas importantes para a comunidade.

http://twitter.com/sindmonmetal

Abraço.

Wir Caetano - imprensa@sindmonmetal.com.br

Leila disse...

Neide, aodei esse post. Mais uma farinha sem gluten para celiacos. O legal de fazer em casa eh que a gente pode evitar a contaminacao cruzada com outras farinhas com gluten.
Quando tiver um tempinho farei.
bjs

Erica disse...

Olá Neide!
Estou há algum tempo pesquisando na internet como fazer farinha de inhame, mas as informações são difusas.

Você saberia me informar como posso fazê-la ou até mesmo fazer um post "experimental" do modo preparo da farinha de inhame?

Grata.

Anônimo disse...

Pode secar as raspas da batata ao sol?

Helena disse...

Como separar o amido da batata doce?

Dai Luz disse...

Olá, Neide!

Estou adorando seu blog. Comecei, recentemente, uma opção alimentar vegetariana e sem glúten. Vou consultar seu blog com frequência. Suas receitas são sensacionais.
Abraço,
Daiane