segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Como fazer polvilho em casa

Ainda não fui viajar. Pensei que era terça, mas é quarta. Então, depois de ter feito deste espaço meu divã, e estar muito mais tranquila graças a tantas palavras de incentivo dos leitores, me desculpo voltando ao tema comida. E, enquanto ainda está fresco, já que editamos ontem (minha amiga Inês Correa e eu), deixo aqui o vídeo sobre como fazer polvilho em casa.
O post mostrando tudo está em "Da mandioca ao polvilho e à tapioca", mas acho que no vídeo fica mais claro. Também já postei o vídeo como fazer beiju tapioca a partir do polvilho seco - que é este que você vai fazer em casa ou comprar. De qualquer forma, para qualquer dúvida que ainda tenha depois de ver os dois vídeos talvez encontre resposta no post linkado.
Inventei esta moda de extrair o polvilho usando o liquidificador quando, muitos anos atrás, meu pai colheu muita mandioca, todas duras pra cozinhar. Minha mãe disse que poderíamos fazer polvilho ralando as mandiocas. Comecei assim, mas depois de tirar uns bifes dos dedos, decidi tentar bater no liquidificador e coar em pano. Num instantinho bati tudo. O resto foi fácil e, como diz a Inês, eu tenho mãos que não vacilam. Grandes e fortes como as da minha avó e do meu pai, prontas para espremer alguns quilos de mandioca triturada e extrair o máximo possível de seu amido.
Você pode estar se perguntando porque diabos fazer polvilho em casa sendo o industrializado tão barato no mercado. Também não sei. Mas, como saber não ocupa espaço, pelo menos o vídeo pode servir para os interessados descobrirem de onde vem o polvilho do pão de queijo e da tapioca. Ou, sei lá, você mora ou vai morar na Europa, onde é difícil de encontrar polvilho mas não mandiocas enceradas africanas, por exemplo, e morre de vontade de comer pão de queijo ou beiju de tapioca. Pronto, seus problemas estarão resolvidos com um simples liquidificador, um pano e um pouco de sol na janela. Bem, fica aí a sugestão a quem interessar possa.
Como mostro lá no post linkado, se você quiser pode usar um mínimo de água para bater a mandioca ou, melhor ainda, ralar, e aproveitar o caldo como tucupi (embora o original seja feito com mandioca brava que lhe confere um certo ar amendoado, o feito com mandioca doce também fica muito bom) ou para a pimenta, como me ensinou Eliana - na terra dela, lá no sertão da Bahia, usam este caldo com um pouco de cachaça para curtir e conservar as pimentas. Levei o vidro cheio para o sítio no fim do ano e não durou dois dias.
Pimentas limpas e sem os cabinhos no vidro, sal, o caldo da mandioca e um pouco de cachaça (1/8 deste vidro, mais ou menos). Para conhecer a cachaça Marvada e a doce Neide que a produz, veja o vídeo que gravei com as próprias.
À bientôt!

14 comentários:

angela disse...

Quá!!!
Confundir a data foi demais!:-)))
E adorei o "também não sei" e a conserva que fica tão boa que não precisa conservar porque se come na mesma hora!!
ah.. já estou louca para ler seu relato de viagem e você vir aqui buscar o seu homem de lata!

Lidia disse...

Fenomenal, como sempre, Neide. ☺

Desejo-lhe excelente viagem!

Bjs, Lidia.

arte da sadhia disse...

OI NEIDE ADORO TUDO POR AQUI..ACHO TUDO UMA MARAVILHA E A CADA DIA APRENDO MAIS COM VC E DEIXO MINHA COZINHA MAIS PERFUMADA COM SUAS RECEITAS MARAVILHOSAS E GOSTARIA DE UMA DICA SUA GANHEI ALGUNS OVOS DE PATA, O QUE POSSO FAZER COM ELES???? BOLOS???? COMO NUNCA USEI ESSES OVOS GOSTARIA QUE VC ME ORIENTASSE
MEU BLOG É WWW.ARTESDASADHIA.BLOGSPOT.COM
E E-MAIL SADHIAHAGE@HOTMAIL.COM
UM GRANDE BEIJO
SADHIA

Edna-ehbb disse...

Oi Neide, há tempos venho acompanhando seu blog e adoro seus post e suas aulas! A gente está sempre aprendendo! Aliás, admiro seu trabalho!
Deixei um selo de qualidade para vc no meu blog...bjos, Edna. http://ehbb.blogspot.com/2011/01/selo.html

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Esse blog é um serviço prestado à população, sempre me impressiona.
O brasileiro não conhece o Brasil.

Nívea disse...

Oi, Neide! Seu blog é demais!! Cada post é uma aula, seja de culinária, de saúde, de vida!
Se eu tivesse visto esse vídeo quando ainda morava no Canadá, acho que nem teria voltado para o Brasil! Mineira que sou, não consigo viver sem pão de queijo! ahaha
Boa viagem pra vc!
Bjos.

Roselei Strassburger disse...

Neide, paraaaaaabéns pela reportagem da Vogue. Vc merece!!!!! Tudo dará certo na viagem e nas apresentações. Estarei esperando as postagens e a postos para qq coisa se precisares. Beijos e aproveita Paris até o último minuto.
Sempre consegues me surpreender com as narrativas do blog. Nunca imaginaria que tb tens tantos medos, inseguranças e até "causos" infantis de adolescência para nos contar.
Gostaram dos docinhos???

Pizzaria Adoro Pizza!!! disse...

Olá Neide, legal demais a receita aqui em minas o governo tem divulgado muito as ^Coisas da roça^ Uma delas é o polviho, ingrediente do nosso tão famoso pão de queijo. outra coisa vc viu no meu blog (adoropizza.blogspot.com) um disco de arado que eu uso como chapa se quiser posso mandar um para vc é só entrar em contato.
Cristiano

Klaus Weiss disse...

Genial, mais uma vez! Não sei quantas vezes fico dando f5 no seu blog pra ver as novidades. De tão boa a qualidade da sua pesquisa é, que desencanei de um monte de besteiras que eu cozinhava em casa tentando parecer internacional e hoje só como coisas desconhecidas se eu tiver lido a respeito antes aqui no Come-se.
Sucesso na viagem e traga fotos!

Valentina disse...

Vc é simplesmente o máximo.

Joelva disse...

O seu blog, é algo fantastico, foi a minha descoberta de 2011. Normalmente não tenho muita paciência e nem muito tempo para acompanhar os blogs que me são sugeridos, mas o seu blog me envolve de uma maneira inexplicável. Este post de como fazer o povilho é um tesouro para mim agora, moro na Áustria e tenho dificuldade em encontrar Povilho, quando encontro, são estes que vem da Tailândia e como não são puros é impossivel usa-lo para fazer tapioca. Como a mandioca é relativamente fácil de encontrar nas lojas africanas e asiaticas, já comprei e já fiz povilho e estou muito feliz com o resultado.
Obrigada pela dica e pelo disposição em dividir conosco suas experiências e conhecimentos.
Joelva

Júllio disse...

Legal, também fabrico polvilho e farinha cá em moçambique faço 6kg por dia de polvilho.10kg de farinha de mandioca torrada.

Neide Rigo disse...

Jullio,
tem site ou blog? Gostaria de ver como faz. Um abraço, n

claudia barroso disse...

Oi!! Acabo de conhecer seu blog!! felicidades!!! moro no México, aqui nao tem polvilho e, como boa mineira, morro por um pao de queijo!!! muito obrigada!! vou fazer e logo te conto!!! um beijo!!!!muito obrigada!!!