sexta-feira, 11 de junho de 2010

Galinha, das tripas ao coração. Vamos por partes


No dedão do lado esquerdo, o rim
Pé, baço e pâncreas

Duodeno e pâncreas
Pâncreas

Virando as tripas, pra limpar com fubá e limão
Tripas prontas pra comer

Baço ou passarinha

Moela

Fígado com coração juntos como nasceram

Oveira
Pulmão

Cérebro


Rabicó (cauda ou curanchim), livre da glândula uropigiana, pronto pra comer
Pele

Pena!

22 comentários:

Anônimo disse...

Em nossa casa, as miudezas iam para a canja, com massinha miúda e folhas de hortelã.
Que saudades dessa canja com as tripas, cristas e patas! Ah, e o útero!
As tripas eram abertas e esfregadas com sal e limão, também.
O rabicó, por cá, é mitra mas pode ter outros nomes, mais ou menos atrevidos. Acho que vou adoptar o rabicó!
Beijinho
Manuela Soares

Neide Rigo disse...

Manuela, adorei esta canja. Obrigada.

Quem tiver mais receitas com estas partes menos apreciadas, vou adorar recebê-las.

Um abraço, N

Julia disse...

É isso aí! Vamos aproveitar tudo, que delícia!

Maria Luiza

Odete disse...

Nessa narrativa revivi minha infancia, e como num filme vi minhas avos preparando a 'sagrada' galinha do Domingo. E era extamente assim, see aproveitava tudo daquelas galinhas saudaveis. Deu saudades da peteca, dos primos, de tudo!

Que post otimo, Neide.

Bjs

Anônimo disse...

Olá Neide! Sou a Léa do RJ. Na minha casa, comer galinha de quintal é tradição, aproveitamos tudo mesmo, até a crista (dá briga porque só tem uma...rs). Adorei a aula de anatomia. Beijão!

Pedro Gandini disse...

Neide,

Maravilhoso! E pensar que a maioria das pessoas acredita que consumir isso é um absurdo...

Parabéns pelo post!

Dricka disse...

Neide não me arrisco não, em nada. Mas acho maravilhoso a aproveitação total de um alimento. E olha eu que não sou nadica dada a fotos de abate de animais e suas sobras defuntinhas achei todas as fotos bem bonitas.
Bjs

Fernando disse...

Neide,
Sem brincadeira, acho esses posts, assim, de uma beleza enorme. Tipo aquele "Comida visceral e extremidades" de 04/09/2008. Obrigado por compartilhar a experiência com as penosas e vamos cozinhar!

Alessandra disse...

Lá na casa da mamãe, a gente pegava todos miúdos, inclusive as tripas limpas e escaldadas, e fazia uma boa farofa com farinha de mandioca, manteira e cebola!

Gabriel Leicand disse...

Ah, adoro.
No meu sítio eu mato e preparo tudo.
Faço choriço com o pescoço, costuro com a pena. Delícia.

E guardava, uma época, as peles do pé pra fazer "torresminho de pé".

Fernanda M. disse...

Que estranho,quanto as fotos, ao mesmo tempo que eu acho bonito, eu tenho nojo, eu tenho dó, adoro comer pronto,mas me dá uma "gastura" em ver assim, apesar de ter sua beleza...

Neide Rigo disse...

Ah, quantas dicas boas. Obrigada!

Gabriel, me conte como se faz este chouriço de pescoço. Se preferir, mande para o email neide.rigo@gmail.com.

Fernanda, eu te entendo.

Um abraço, N

Taís disse...

Neide! Nunca parei pra pensar que galinha tem pulmão e tripas!! rsrs Os outros "miúdos" apreciamos muito aqui em casa. Meu esposo descobriu agora que sofre de gota e está proibido de tais "iguarias"... minha mãe faz o pescoço da galinha: recheia com os miúdos, temperos diversos e ovo picado, depois costura. É uma perdição de bom!
Adoro teu blog!
Bjs

Anônimo disse...

Ah, Neide, você não existe...!
Acompanho você sempre... Abraços.
Glaucia

Elena sem H disse...

Uau! Isso sim é que é aproveitar tudo. Só não sei se teria coragem de provar sabendo de que se trata...

Ana disse...

Eu sempre vi minha avó matar as galinhas,com um cabo de vassoura que era guardado só para esse fim. Ela apoiava no chão e puxava o pescoço. E a pobre ficava se debatendo até morrer. Depois acompanhava a depena e a sapecada numa espiriteira com álcool. Tbém adorava abrir a moela pra descobrir o que comiam, os pedegrulhinhos, enfim.
Engraçado que à época e por sermos crianças nunca foi algo que nos chocasse ou traumatizasse, da mesma forma que via meu avô matando porcos.
Mas por incrível que pareça acho que hoje não gostaria de assistir.
Foi vc que matou ?

Emily Alves disse...

Olá Neide tudo bem?
Eu vi no seu blog sobre kefir, bom faz 7 meses que eu estou com candidiase de repetição... Tenho enxaquecas diárias e terriveis. Moro em Foz do Iguaçu - PR e não conheço ninguém aqui que tenha... estou quase doida já tentei tudo que é possivel e agora parece que achei a tão esperada CURA! Nossa me enche os olhos de lagrimas enquanto escrevo, tenho 20 anos e estou sofrendo muito com isso. Se puder me ajudar eu ficaria eternamente grata!

Mande-me um e-mail, ou adiciona no msn: emilyalves_@hotmail.com
Muito Obrigada!

cumbucacheia disse...

Hummmmm...
Sempre quando vou para o Sul na casa de maus pais sou muito bem tratado. Acordo com uma pela porção de oveiras para o café-da-manhã. Bj

Carmen disse...

Genial. Este post merece el premio de lo bien aprovechado de la gallina.

Pero yo te dejo las tripas y todas las demás menudencias y sólo me llevo el pena o "peteka" como le llamaron aquí en México en los años 70s con el mundial de futbol, yo jugaba con uno de esos, era divertidími y lo anunciaba Pelé, el futbolista.
Me ha encantado esta demostración de aprovechamiento, nunca me imaginé que hasta el rabicó se utilizara.

Neide Rigo disse...

Carmen,
da galinha só não se aproveitam a unha, o bico e o piu (que eu saiba). Chamamos de peteca mesmo o brinquedo feito de penas.
Beijos, N

Anônimo disse...

Neide
Voce matou ela destroncada ou afogada no caldeirao que aparece na primeira foto?

Anônimo disse...

VC É NOJENTA, BJS