quarta-feira, 10 de agosto de 2022

Rabanete preto, suas folhas e seus talos

 



Outro post só pra dizer que não deveríamos desperdiçar as folhas de legume algum. A do nabo é deliciosa, meio picante como a raíz.  E as do rabanete também, como a deste rabanete preto, uma variedade do rabanete comum de grande tamanho e sabor mais picante, quase se confundindo com nabo.  Estes enormes foram colhidos junto com a Chef Anouk, do restaurante Donna Pinha, em Santo Antônio do Pinhal, durante visita à Fazenda do Retiro, em Gonçalves, MG, seu fornecedor de orgânicos. Eles cultivam variedades diferentes de rabanete,  nabo, beterraba, cenoura etc.   

Usei duas prensas 

Tudo o que colhemos e degustamos veio comigo. As folhas chegaram todas murchas. Mas mergulhei tudo na água fria e no outro dia acordaram bem vivas e dispostas a irem pra panela.  O legume ainda não usei.  Com ele vou fazer kimchi, como o de nabo que tenho registrado aqui

Mas as folhas, já coloquei na prensa com sal, uma técnica japonesa de preparar folhas de nabo. Normalmente usam-se folhas jovens e fresquinhas. Embora minhas folhas já estivessem taludas e mais firmes, achei que poderia separar folhas e talos e preparar da mesma forma.  E assim foi. Lavei bem as folhas, juntei 1 colher (sopa) de sal para meio quilo de folhas e outro tanto para os talos.  coloquei em prensa própria, mas você pode colocar num recipiente e apertar com algum utensílio cheio de água pra fazer peso.  Depois de 24 horas, basta escorrer, lavar bem e apertar para tirar o máximo de líquido.  Piquei fininho tanto as folhas quanto talos. Mas preparei os dois com temperos ligeiramente diferentes.



Pra comer com arroz branco - ou como quiser. Nhac! 


Talos: piquei fininho e  temperei com vinagre de arroz, um pouco de açúcar e gergelim branco e preto torrados.  

Folhas: piquei fininho e temperei com vinagre de arroz, açúcar, pimenta, gengibre e gergelim branco torrado. 






3 comentários:

Luiz Gomes disse...

Boa tarde. Sua matéria ficou maravilhosa e muito explicativa. Gostaria de lhe convidar a conhecer o meu Blogger.

Monique Larentis disse...

Que interessante. Eu também sou a favor de aproveitar tudo! Acho que nunca comi nabos... não é comum aqui na minha região, sul. Mas já quero experimentar todas as partes dele.

www.vivendosentimentos.com.br

Neide Rigo disse...

Monique, já corrigi o post. Na verdade é um tipo de rabanete. Mas é só uma questão semântica, pois o sabor e textura estão mais pra nabo que para rabanete. As receitas valem tanto pra um quanto para o outro.