sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Quinta sem trigo: Feijão e mandioca!

Era pra ser quinta sem trigo, mas virou sexta sem trigo, já que não tive tempo de terminar a postagem ontem.  Bem, com aquela farinha de raspa que ensinei a fazer na última postagem (aqui), resolvi fazer umas panquecas com fermentação natural, como as dosas indianas que são panquecas finas, cuja receita básica leva arroz e feijão mungo (aquele do broto de feijão) sem pele, chamado urad dal ou black gram. Mas há inúmeras variações, das mais crocantes às mais flexíveis, das básicas na cor às de cores fortes quando feitas com adição de massa de espinafre. Uso normalmente feijão fradinho sem pele e arroz branco, mas resolvi desta vez testar a substituição do arroz por farinha de raspa de mandioca. Deixei o feijão sem pele de molho durante a noite, no outro dia triturei no liquidificador com um pouco da água - só o suficiente para bater, e juntei farinha de raspa na mesma proporção do feijão cru que usei, em peso. Misturei os dois, juntei mais água até ficar uma massa como se vê nas fotos e esperei fermentar por umas 12 horas ou até que a mistura ganhasse bolhas. Aí foi só temperar com sal e cozinhar como panquecas - numa frigideira antiaderente bem quente esfreguei metade de uma cebola embebida em óleo. E fiz isto todas as vezes que a massa começava a grudar.

Em uma das massas, acrescentei só cúrcuma como tempero. Em outras, resolvi incrementar a cor e juntei um pouco de beterraba e de abóbora cruas enquanto batia o feijão no liquidificador, antes de fermentar. Deu no que deu e posso dizer que ficarão deliciosas:

Com molhos bem apimentados tipo sambal que já publiquei aqui. 


A farinha de raspa de mandioca - bem fininha como a de trigo 
Diferentes combinações - testei também arroz com ervilha e com a massa
fiz idlis verdes - próxima postagem 

Vários testes de fermentação natural com grãos e farinhas

E nhac! Com sardinha frita, iogurte, molhos de pimenta 

5 comentários:

Anônimo disse...

E quem precisa de carne com esta variedade enorme. E sem a preguiça, porque esta não entra na sua cozinha. Eu seui disso. Estou amando teu blog, como vc escreve bem e como tem um vasto conhecimento na àrea de alimentaçao. Isso é um blog completo. Beijin

Alice ] disse...

Oi Neide,

Obrigada pelo blog, você sempre abre meus horizontes com tanta coisa diferente e gostosa. Você terminou com seus experimentos com farinhas e fermentação... você já fez alguma experiência assim com a farinha de grão de bico.... eu faço muito shan tofu, mas sempre fica um gostinho de grão cru, talvez com a fermentação da farinha ficasse melhor... agradeço se puder me dar uma dica.

Neide Rigo disse...

Anônimo! Obrigada! Xô preguiça!

Alice, já tentou fazer com os grãos demolhados por 24 horas - eles começam a fermentar e parece que ficam bem mais leve, de fácil digestão. Fiz experiência do shan tofu com os grãos inteiros batidos em vez da farinha. Ficou bem bom.

Estou postando agora.

Um abraço,n

Dalcinei Ferreira disse...

PArabens pelo blog, me inspirando demais a comer de forma mais natural possivel. tenho uma duvida qunto ao armazenamento dos fermentados, quanto tempo duram e o melhor é armazena-los na geladeira?
beijocas

Maria Elizabeth Angelotti Pereira disse...

Chegando agora por aqui. Obrigada por compartilhar seus conhecimentos. Minha dúvida tb é quanto ao armazenamento dos fermentados e durabilidade dos mesmos. Poderia esclarecer, por favor. bjs