quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Amoras: safra estendida. Licor tipo marasquino e bolo sabor cereja

Foi com aquelas frutas que colhemos, Kenia e eu, em setembro. Logo, foram quase 4 meses de infusão na cachaça.

A postagem onde mostro a colheita das frutas está aqui.  E quando falo da delícia que é a semente da nêspera, o post é este.

O que fiz com as amoras que não pude usar na safra foi congelar um tanto (que uso até hoje no kefir de leite) e o restante lavei bem e coloquei numa garrafa com cachaça - junto com um pouco de cereja-do-rio-grande, um galho de manjericão-cravo e uns 30 ou mais caroços de nêspera cortados ao meio. Deixei a mistura na sombra no vidro tampado e o líquido foi adquirindo uma linda coloração vermelha.

Semana passada, dei uma provada e achei que já estava bem gostosa com bastante aroma de maraschino (afinal a mesma substância do caroço de nêspera é a que encontramos nas amêndoas amargas e nas cerejas marascas). Como não tinha doce pra ser chamado de licor, juntei uma parte de xarope de hibisco. Não sei a quantidade. Fui colocando e provando até achar que já tinha doçura suficiente pra ser chamado de licor. E pronto, aí está meu maraschino like. Ou, quem sabe, marasquino genérico. Ou, simplesmente licor de amora com amêndoas de nêspera.

 E, claro, sobraram as frutas deliciosamente enxarcadas de cachaça com sabor de amêndoas amargas. Logo, sabiam a cerejas ao marasquino. Comi as cerejas-do-rio-grande (que não são parentes das verdadeiras cerejas - já as nêsperas, sim, estas são parentes bem próximas).  Os caroços de nêsperas, descartei. E as amoras, tive vontade de metê-las numa massa de bolo de chocolate. Foi o que fiz.


Fiz aquela receita de bolo de chocolate bem simples, cuja receita está aqui.  Em vez de chocolate em pó, usei cacau orgânico e ficou bem escuro. Nem usei o bicarbonato - porque esqueci. Talvez seja melhor não usar mesmo, porque pode reagir com o pigmento da amora e torna-lo azulado ou amarronzado. Se bem que a amora some na massa - não sem antes deixar um delicioso sabor de cerejas ao maraschino. Portanto, ela fica disfarçada na massa mas na boca sua presença é sentida, claro.

Pronto, a receita está aí. É só jogar uma mãozada de cerejas do licor na massa do bolo e assar. As que aparecem na foto estavam congeladas e só coloquei por cima para decorar - e comer.  É claro que não vai ter agora esta amora embebida em licor, mas se quiser fazer um bolo similar, pegue amoras congeladas (aposto que aproveitou a safra e tem um tanto na geladeira) e deixe uma noite imersas na cachaça ou no verdadeiro maraschino. Nhac!


Um comentário:

Leticia Cinto disse...

Huuuuummmm! Eu ia mesmo perguntar como fazer o bolo sem ter feito o licor antes kkkk. Partiu comprar cachaça (a que eu tinha acabou) pra fazer o bolo pro fim de semana! Obrigada!