sexta-feira, 15 de maio de 2015

Pãozinho de batata-doce sem glúten

Meu amigo francês padeiro, Michel, de tanto trabalhar com trigo, desenvolveu certa intolerância. Então, faz ótimos pães, mas não come trigo. Eventualmente não resiste, mas sabe que não deve. 

Então, tenho me empenhado em fazer nossas iguarias sem glúten. Estes pãezinhos já dei aqui, feitos com cará. Esta é uma fórmula que funciona bem para qualquer tipo de tubérculo ou raiz como mandioca, taro, cará, mandioquinha, batata. O que tinha em casa nesta semana era batata-doce e um pouco de mandioquinha. Misturei as duas, com protagonismo da batata-doce. Se quiser, escolha uma ou outra e veja como ficam gostosos. Para finalizar, usei um pouco do queijo de leite de ovelha trazido dos Pireneus pelo Michel. E nhac!



Pãozinho de batata-doce e polvilhos
250 g de batata-doce cru picada (ou mandioquinha, ou uma mistura dos dois ingredientes)
125 g de polvilho azedo
125 g de polvilho doce
1 colher (chá) de sal
3 colheres (chá) de açúcar (neste caso, sendo a batata doce, pode eliminar - mantenha se usar outras batatas não doces)
2 ovos
1/4 de xícara de óleo ou manteiga
Queijo ralado para finalizar

Cozinhe a batata-doce com água até que fique bem macia. Numa tigela, misture os polvilhos peneirados com o sal e o açúcar e esprema por cima a batata bem quente (passe-o em espremedor de batatas diretamente sobre o polvilho). Misture bem com um garfo, rapidamente, fazendo uma farofa úmida. Assim que amornar, amasse bem com as mãos. Junte os ovos batidos com o óleo, aos poucos, e continue mexendo. Se preferir, use o mixer ou a batedeira, pois deve formar uma massa meio grudenta. Uma colher de pau também resolve. Com as mãos besuntadas de óleo, modele bolas com porções retiradas com uma colher de sopa.  Coloque-as em forma sem untar, polvilhe um pouco de queijo ralado no topo de cada um e leve ao forno (com temperatura de média a alta). Deixe até que cresçam e dourem (cerca de 30 minutos).
Rende: cerca de 15 pãezinhos
Nota: caso não tenha balança, saiba que uma xícara daquelas padronizadas de 240 ml comporta 120 g de polvilho - neste caso, preferi usar balança, já que fui alterando as medidas enquanto testava.

16 comentários:

Diego Manoel disse...

Isso quentinho, acho que não ia parar de comer =X

adelia sylvia penna ramos disse...

Neide, por favor me explique a diferença de polvilho azedo e doce - e perdoe a ignorância! beijo,
adelia

Neide Rigo disse...

Adélia,
o polvilho azedo é fermentado antes de ser seco. Veja no link que aponto, onde explico as diferenças de usar um ou outro neste tipo de receita.
Um abraço,n

Neide Rigo disse...

Adélia,
o polvilho azedo é fermentado antes de ser seco. Veja no link que aponto, onde explico as diferenças de usar um ou outro neste tipo de receita.
Um abraço,n

Bruna Ribeiro disse...

E o padeiro gostou? Já foi devidamente apresentado ao nosso pão de queijo?
Puxa... Queria um hóspede talentoso assim também! Rsrsrs

Marta disse...

Oi Neide,
que legal vc.ter Michel - padeiro francês de Lourdes ai de hospede.. Adoro a região dos Pyrenees e volta e meia quando tenho oportunidade ando por lá. Talvez vc.veja este meu post antes do seu amigo ir embora, porque gostaria de esclarecer algumas duvidas em relação ao pão e nada melhor do que saber uma resposta de um expert. Adoro pão e comia muito. Não resistia caminhar aqui pelas ruas e sentir o cheiro da baguette quentinha. Perto da minha vizinhança, tenho 6 padarias, como resistir? Bom, com o passar do tempo, desenvolvi uma intolerância ao pão. Já tentei vários pães diferentes com farinhas diferentes, mas sem sucesso. Primeiro achei que seria o fermento utilizado. O fermento mudou? pergunto porque as vezes, talvez uma vez por semana, tomo café em confeitarias diferentes, sempre acompanhado de um pedaço de torta ou outro doce qualquer que leva farinha branca e não tenho problema nenhum. O trigo utilizado (farinha) é a mesma utilizada para fabricar o pão e as patisseries? isto quer dizer, no final, é farinha de trigo, não é mesmo? Qual é o segredo? O trigo não é mais o mesmo? (GMO) ou é o fermento? Abraços

Carla Menegat disse...

Oi Neide,
Fuz essa receita usando taro, que era o que tinha em casa, mas ficou mais molinha do que devia, a ponto de não moldar. Coloquei em forminhas de empada e tudo bem, ficou delicioso. Mas fiquei pensando, talvez o viscosidade do taro exija um ovo a menos, que te parece? Ou acrescentar mais polvilho? Não acrescentei por medo de ter que acertar o sal e o açúcar depois e errar a mão, mas me parecia a possibilidade mais fácil... Enfim, só quis contar.
Abraço,
Carla

Anônimo disse...

Olá Neide,
não vai fermento de pão nesta receita?
obrigada,
Denise

Neide Rigo disse...

Bruna,
gostou sim, muito. E do pão de queijo também.

Marta,
o que o Michel tem é um mal comum entre padeiros, mas não entre pessoas comuns, que apenas comem o pão. Claro, pode haver intolerâncias, tem a doença celíaca, mas não sei se o trigo mudou. Não deve ser isto. Vou falar com Michel sobre o assunto e te falo.

Carla, fiz com taro e minha massa ficou até mais firme. Vá, então, colocando ovo aos poucos. Ou deixe a massa gelar antes de moldas. Ou ainda modele numa xícara polvilhada com polvilho. A massa é molinha mesmo.

Denise, não vai fermento, não.

Um abraço,n

Anônimo disse...

Ah Neide, ja testei fazer o levain umas 8 vezes. Reformo, coloco a bolinha na água, reformo de novo e coloco na água, o problema aparece quando a bolinha sobe, acrescento água e farinha e deixo a massa crescer.
Sempre aparece um caldo rosa ...jogo tudo fora.
Alguma dica? Já li várias vezes seus posts sobre o levain e nao sei onde erro. Abs., michela

Anônimo disse...

Neide estou com restrições a farias farinha pode! Depois idosa me vem esta,estou usando muito polvilho e a canjiquinha la de Paraopeba estou esperando chegar mais,estou revisantando suas receitas e fazendo todas.Muito obrigado(Diulza)

Anônimo disse...

neide, eu posso substituir o oleo por azeite de oliva ou oleo de coco?

Anônimo disse...

Em parceria com a Google e com o Grupo VIP oferecemos telas mosquiteiras SP importadas dos estados unidos aos clientes que querem proteção e bem-estar para sua família, isto porque o produto não propaga chamas, fungos ou mofos, são telas de fácil limpeza e protegem sua família contra picadas de insetos, principalmente os mosquitos da dengue. Telas mosquiteiras em São Paulo, telas mosquiteiras campinas, telas mosquiteiras valinhos, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras jundiai.

telas mosquiteiras para idústrias de alimentos , telas mosquiteiras SP, telas mosquiteiras empresas químicas, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras SP

Vera disse...

Neide,
Já mandei as fotos para você, mas registro aqui os experimentos: fiz só com mandioquinha, em metade da massa coloquei orégano, em alguns polvilhei queijo ralado. Antes de colocar na forma deixei uns 10 minutos no freezer.
Experimentei 3 maneiras diferentes de assar:
- em forminha de metal levemente untada
- em forminha de silicone
- direto na assadeira, usando uma colher de sopa e uma de chá para modelar as bolinhas
As das forminhas murcharam, as modeladas com a colher ficaram ótimas.
Da próxima vez vou colocar um pouquinho mais de sal e modelar com a colher.
A textura e o sabor ficaram ótimos. Aprovado!
Obrigada.
Abraços - Vera

Neide Rigo disse...

Vera,
obrigada por compartilhar. Fico feliz de saber que se animou a experimentar variações.
Um abraço,n

Vera SJC disse...

Neide,
Dessa vez quem fez o pão foi minha filha, só com batata doce, ficou excelente! Pena que não tinha a batata roxa, ia combinar com o Halloween.
Dúvida: dá para congelar? Depois de assar ou as bolinhas cruas?