quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Himalayan Salt Licks for Horses, Ponies, Donkeys, Goats, Alpacas etc - rich in minerals and trace elements


O título acima é o anúncio num site de vendas virtuais que chamou a atenção pela utilidade mundana de um sal tão precioso e pelo preço terrivelmente barato comparado, com o perdão do trocadilho, ao valor salgado que pagamos por ele aqui. Mas o fato é que certos animais são tratados melhor que gente. Vejam só o tamanho do torrão, de 2 kg. Sorte deles. Ainda que seja este sal um daqueles luxos que merecemos mas não precisamos.

Fonte: www.bitlessbridle.co.uk

Extraído de depósitos ao pé do Himalaia, formado quando aquilo lá era mar (há cerca de 550 milhões de anos), estas rochas de sal podem ser encontradas em torrões grandes, pequenos ou já trituradas. O lindo tom vem dos minerais presentes (são mais de 80, dizem), que também lhe dão sabor mineralizado, para descrever o óbvio. O ferro dá o toque avermelhado e o manganês, o laranja, resultando num salmão brilhante. Sentir a diferença entre ele e seus pares é como perceber a distinção entre os vários tipos de água – só é possível, assim, numa degustação, de preferência às cegas. A Ananda, minha filha, tem sentidos apurados e os diferencia pela acidez e também pelo aroma. Já eu, só consigo perceber se é mais salgado, mais mineral, mais friável. Nada mais. Na comida, então, vale pelo charme e por saber que é mais puro, sem iodo adicionado, sem processo algum além da extração e moagem. É claro que, pelo preço e pela sutileza, não é o tipo de sal para você salgar a sopa ou o cozido seja lá do que for. Ninguém vai notar presença dele. Mas, como sal de mesa ou de finalização, é uma ótima pedida para carnes grelhadas, saladas com molho, legumes salteados na manteiga ou qualquer outro alimento preparado, especialmente os que contenham mais gordura que água, para que ele não se dilua rapidamente. O mesmo vale para as flores de sal.


O torrão deve ser ralado para usar. Os grânulos maiores (da Bombay) podem ser socados num almofariz.
Onde encontrar
O torrão ganhei da Maria Helena Guimarães, que trouxe do Japão. Não sei se tem por aqui.
Os outros:
Sale Rosa Dell´Himalaya é importado pela Toscana , Telefone: (11) 3849-3484
Sal Rosa grosso (típico do Himalaia, diz o rótulo – não sei se isto significa que vem do Himalaia, já que no Peru também há sal rosa). Da Bombay , Telefone:(11) 3302-3999
Ambos são vendidos na casa Santa Luzia:
Alameda Lorena, 1471
Cep 01424-001 São Paulo SP
Telefone: (11) 3897-5000

5 comentários:

bia disse...

Eu uso este sal na mesa tb, e tb nao consigo defeenciar o gosto, so acho bonito mesmo ! bjs

Eduardo Luz disse...

Neide, boas férias e fica mais uma pergunta : é possível ( e manter a qualidade ) congelar jaboticabas. As minhas estão uma beleza e vou fazer a experiência já que você só deve responder em janeiro e aí será um pouco tarde!
E quanto aos sais, eu sou fã numero um da Flor de Sal (apesar do preço) pois a comida fica com um acabamento diferenciado quando o utilizamos. Até !

fezoca disse...

Neide, eu tenho um pacotao desse sal cor-de-rosa do Himalaia, mas nao posso usar, porque o Uriel sente os crec-crocs dos minerais e me pediu peloamorededios pra jogar o sal fora.... So posso usar quando fizer algo so pra mim, uma pena. um beijo,

Jane Malaquias disse...

Já vi uma luminária feita com esse sal rosa numa academia de Pilatis em Higienópolis.

Klein - http://lixomania.zip.net disse...

Eu to encantado mesmo é com os bichinhos que desmaiam... você não tem idéia de como eu gosto destes bichinhos. Nem consigo pensar em sal olhando pra essa foto...