segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Carambolas grelhadas

Tem mulher que quer ser fruta, ser estrela, aparecer, mas nenhuma chega aos pés da fruta que nasce naturalmente estrela sem querer ser mulher. Outra diferença é que a fruta tem conteúdo, além de suco, doçura, acidez, nutrientes. 

Normalmente as frutas se destacam entre as folhas para chamar mesmo a atenção de quem passa. Frutos-não-frutas têm outros artifícios para a dispersão: sementes aladas, frutos aquênios com tufos de pelos leves etc, todos levados pelo vento. Mas as frutas atraem pela cor, pelo cheiro, pela doçura, para que comamos e levemos as sementes para vingar em outros cantos. Agora, a carambola é ardilosa, pois até as próprias folhas se juntam e se disfarçam de frutas mimetizando estrelas de cor verde amarelada. Tudo para nos atrair. 

Tem pessoas que não podem comer as carambolas, mas só aquelas que tenham insuficiência renal pois há na fruta uma neurotoxina que rins em pleno funcionamento normalmente dão conta de excretar, mas não o órgão comprometido. E como tem ácido oxálico também não é bom que se consuma exageradamente. Mas uma ou duas num copo de refresco feito com água ou umas estrelinhas grelhadas servidas com carne só fazem bem, pode confiar. 

E quem deu a ideia de grelhar foi a Ana Rita Suassuna, autora do imperdível livro Gastronomia Sertaneja. Pensei em fritura de imersão quando ela me mandou o email a propósito daquele post sobre a saudosa caramboleira de Acrelândia, mas logo descobri que eram na verdade chapeadas como fazemos com rodelas de abacaxi. Já tinha visto, mas nunca comido. Ah, que maravilha! Se nunca fez, experimente. É só cortar fatias de estrelas e chapear em frigideira com um pouco de azeite ou manteiga. Se tiver uma boa frigideira antiaderente, nem precisa de gordura, ou só adiciona do final para dar mais brilho.  As minhas já fiz de todos os jeitos, mas gosto mais quando douradas na manteiga.  As carambolas que comi em Acrelândia, super coloridas e doces, seriam perfeitas para o papel, mas não existem mais, pelo menos não aquelas da árvore sacrificada. De qualquer forma, todos os tipos ficam bons, até as carambolas de feira nem sempre tão atrativas. 

Ontem comemos carne frita de leitoa, presente do amigo Pablo. Dona Vera, sua mãe, temperou os pedaços com sal, alho e pimenta dedo-de-moça, deu uma leve fritada e mandou congelada. Terminei de fritar em bastante óleo para que ficassem bem sequinhos os pedaços. Servi com as estrelas grelhadas e nhac! 

O email da Ana

"O que você escreve sempre me faz lembrar alguma passagem de vida.
Nos anos 1940, estudei como aluna interna de um grande colégio do Recife, dirigido por uma Congregação belga. A comida, preparada por freiras brasileiras das mais diferentes regiões, era saborosa, variada, bem apresentada. Usava em abundância sucos e frutas de produção no local.
As carambolas me trouxeram de volta a esse cenário e aguçaram minha memória gustativa. Eram servidas ao natural, em sucos, doces e também fritas (não sei se em manteiga ou banha), para acompanhar variados pratos de carne. Os pratos ficavam lindos com a fruta cortada em rodelas e a combinação não desagrava quase ninguem. Você já experimentou essa alternativa? Diga-me alguma coisa. Um abraço, Ana Rita"  


Mais verdes ou bem maduras: boas de qualquer jeito. Com peixe assado, frango ou carne de porco. 
Carambolas secas chinesas: comprei no bairro da Liberdade as estrelinhas secas para usar em pratos salgados. Ainda não usei, pois quero achar uma boa receita chinesa,  mas hei-de. São gostosas para mastigar, com doçura e acidez leves.  

9 comentários:

Cae Fernandes disse...

Amei o post! Não tenho costume de comer carambola, nem sei porquê! Daqui prá frente vou olhá-las com outros olhos. Grelhadas assim devem ficar realmente deliciosas!
Bjo.

Andreza Biagioni disse...

mmm... deu vontade, Neide! vou provar.

Luciano disse...

Não sabia da toxidade! Filhota de 5 anos adora, chega a comer duas por vez, mas esporadicamente.

Maria das Graças disse...

Na salada é deliciosa. Tanto pelo sabor quanto pela beleza. Cortada para ser estrela e temperada com sal, pimenta e azeite acompanha folhas velhas magistralmente. Tomate para dar contraste de cor e está pronto.

Maria das Graças disse...

Corrigindo: acompanha folhas verdes.

Janice Adja disse...

Adoro carambola na salada.
beijos!!

clau disse...

Carambola é uma fruta danada de bonita!
Tb acho lindo o cajú.
As frutas e as flores nos tocam com as suas formas e cores, antes mm de sentirmos os seus aromas e o sabor.

wair de paula disse...

Adoro carambola grelhada ou assada rapidamente em forno quente - e outro dia comi caju grehado, em Recufe. Ficou ótimo. E parabéns pela materia otima do jornal, excepcional. Forte abraço.

Neide Rigo disse...

Cae, grelhadas, cozidas, cruas, em suco, são deliciosas sempre.

Luciano, a toxicidade é só pra quem tem disfunção renal. De resto, todos podemos comer com a mesma moderação que comemos espinafres e tomates, por causa do ácido oxálico, que pode diminuir a absorção de outros nutrientes. É só não se entupir de carambolas.

Maria das graças e Janice, eu também gosto muito delas nas saladas. O efeito estético é incrível, né? Aliás, acho que vou fazer salada de estrelas para o almoço.

Clau, tudo para que as comamos.

Wair, assadas certamente ficam muito gostosas, mas nunca fiz. O caju grelhado, este sim já fiz e é muito bom. Veja aqui:
http://come-se.blogspot.com.br/2008/09/vou-pra-porto-alegre-e-tchau-volto-na.html

e aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2008/09/carne-de-caju-resposta-charada-do-post.html

Um abraço, N