sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Volto daqui a pouco: Paris - Dakar



Vogue Brasil: se quiser ler, clique e amplie
Nestes últimos dias antes da viagem tenho acordado ansiosa, com um aperto no peito, o medo do desconhecido, o medo de não corresponder ao que esperam de mim, o medo de não entender e de não ser compreendida, o medo, o medo. Aí converso com um e com outro e vou construindo minha defesa.
Mas a meu favor, encontrei hoje um eficaz calmante perdido no passado. Uma experiência. Eu tinha quinze pra dezesseis anos e minha melhor amiga na época me convenceu a fazer baile de debutante coletivo no Palmeiras, clube do qual ela era sócia. Uma verdadeira pataquada que não condizia em nada com os costumes da família de periferia.
Mas eu trabalhava, tinha meu dinheiro e banquei até o terno do meu pai. Uma semana antes do baile, com Toni Ramos novinho paraninfo, teve uma recepção e todo mundo deveria ir de vestido longo. Era só para as meninas, mas alguns pais foram levar e buscar as filhas. Achei mico pedir pro meu pai chegar lá com seu velho aero-willys (que hoje acho lindo), então fomos de taxi com a mãe da amiga e voltaríamos da mesma forma, só que sozinhas.
Acontece que depois do coquetel os pais de uma menina perguntaram onde morávamos. Como quase todos por ali moravam do lado de cá do rio, julguei poder melhorar um pouco nossa condição, afinal muitos jovens que moram na periferia abreviam alguns quilômetros em direção ao bairro mais próximo e que esteja numa hierarquia de aparências superior. Rio Pequeno é Butantã; Jaguaré é Parque Villa Lobos, Brasilândia é Freguesia do Ó e assim vai. Respondi, então: Freguesia do Ó! - Ah, que bom, também moramos lá e damos uma carona. - Não precisa, não precisa. Por favor, não precisa. - De jeito nenhum, nós levamos vocês. Foi chegando a Freguesia do Ó junto com uns calafrios de medo e orgulho. A amiga me olhava assustada, mas eu estava no domínio da situação. Se ainda fosse Itaberaba, que é o bairro próximo, poderia dizer que, bem, é quase Freguesia. Mas não, morávamos bem depois, num lugar que nos envergonhava (mais a mim, talvez). E o homem me pressionando: - Onde é? Aí começou a piorar, a Freguesia estava ficando pra trás e aquilo tinha que acabar. - Vira aí, agora à esquerda. - Você mora aí? - Não, é uma tia, vamos dormir na casa dela. - Agora à direita, à esquerda. Pronto, podem deixar a gente aqui, que está perto. - Não, me fala onde é. - É logo ali. E eu fui ficando acuada e torcendo pra que alguma coisa muito grave acontecesse, tipo bater o carro, sei lá, para acabar logo aquela situação, mas nada de milagres. A amiga, nem se fala, com olhões verdes assustados. Até que caímos numa rua sem saída. - Pronto, é esta casa. Obrigada, boa noite, tchau (em off: suma logo antes que alguém acorde, algum cachorro lata). E o homem lá. - Podem ir, que eu tenho chave, obrigada! Não sei como consegui convencê-los a não nos esperar a abrir a porta. Ficamos ali, paradas, sem palavras, quase meia noite, vestidas de longo na porta de um desconhecido. Esperei um pouco o carro sumir e saímos caminhando arrastando as barras e nos equilibrando nos saltinhos até uma avenida, no escuro, à procura de um taxi, que demorou a passar.
Chegamos em casa assutadas, não contamos pras mães nem conversamos sobre isto. Hoje consigo rir - por favor, fique à vontade pra rir, porque é pra rir. Durante alguns anos tentei esquecer esta estória. Mas uma coisa tinha ficado acertado em mim. Nunca mais mentiria sobre o que sou, quem eu sou, onde moro, de onde venho, quem são meus pais, sobre minhas qualificações etc. Não prometo mais nada que não possa cumprir, fora os desafios possíveis. Isto traz uma segurança grande.
Tenho agora maior orgulho de ter nascido na Brasilândia, um dos bairros mais pobres de São Paulo e de ter convivido com uma diversidade de culturas. Foi com a baiana dona Léa que aprendi sobre farinhas e pimentas; com a pernambucana Zefa descobri o que era e de onde vinham as castanhas de caju, a manteiga de garrafa e queijo de coalho; com as vizinha mineiras, conheci matinhos e angu e com a amiga cearense, tapioca e caroço de jaca, só pra ficar em alguns exemplos.
Então aquela experiência me ajudou a ter esta clareza, de que a verdade não envergonha e não te faz passar apertos. E se acaso envergonhar é uma vergonha volátil que não macula a índole, passa logo e não doi.
Esta lembrança me foi útil para dissipar o medo, afinal quando uma ong francesa me convidou pra ir ao Forum Social Mundial, em Dakar, mostrar um pouco sobre o que podemos fazer com a mandioca para substituir parte do trigo, o fez por causa do blog e não por um currículo falso. E eu fui logo dizendo que não era chef, não falava nem entendia nenhuma outra língua e que se isto fosse problema não ficaria chateada se desconvidassem. E que só sabia fazer o que estava no blog. Fizeram questão de manter o convite, disseram que arrumariam intérprete e que contavam comigo. Então, vamos lá.
Que medo posso ter se não vou ter que sustentar nenhuma mentira? E se eu conseguir entender o francês e o inglês com meus parcos conhecimentos? Para quem disse que não sabia absolutamente nada, estarei no lucro. E também o que me importa o que pensam ou deixam de pensar de mim, desde que não ofendam minha dignidade? Quero ser respeitada apenas pelo que sou e posso oferecer, não mais. O mais que quero é viver na verdade e poder dormir tranquila abraçada com meu bem.
Sobre a Vogue: foi um presentão de começo de ano este perfil (o título é meio exagerado, mas tudo bem). Pela condenação da vaidade, às acabo sendo injusta com quem deveria receber muitos méritos. Mas acho que ainda está em tempo e, nas bancas, a Vogue de Janeiro. É o caso aqui de agradecer imensamente à jornalista Maria da Paz Trefaut ou Minuche, por me conhecer tão pouco e ainda assim ter conseguido extrair de uma tarde gostosa de conversa informações que ela transformou num texto verdadeiro e delicado. E também ao Oswaldo Costa e Thiago Sraub que me produziram respeitando meus gostos, à Galeria Brasiliana que serviu de locação e ao fotógrafo Thomas Susemihl pela paciência e pela linda foto à despeito da modelo.
Bem, viajo na terça e, depois de Dakar, depois fico duas semanas em Paris, de modo que até final de fevereiro não sei se vou conseguir postar alguma coisa (tomara que consiga, porque depois fico morrendo de preguiça de resumir tudo). Mas pretendo ler emails e comentários. Só de escrever este post, estou muito mais tranquila. Até!

76 comentários:

Beh disse...

Boa viagem e que tudo corra bem. Achei este seu último post muito verdadeiro, bem, como tudo que você escreve. Senti orgulho, mesmo sem te conhecer :)
Behmaria-Lisboa

Silvia Vieira disse...

Ai, Neide! Que texto lindo! Sei que será um sucesso, porque você será apenas você, a sua verdade, e isso sempre dá certo. Parabéns por ser essa pessoa tão especial, e pela viagem. O que me dá uma pontinha de inveja, pois tenho um casal de amigos muito queridos que moram em Paris, e acabaram de ter uma menina linda, que estou louca para conhecer. Mas agora não dá. Aproveite por todos nós. Vá com Deus. Beijos no coração, Silvia

Anônimo disse...

Dona Neidoca querida, você parece uma top model!! Muito chique mesmo. Claro que não precisa se envergonhar do que é, mesmo porque você vai dar um show, não vai ter pra ninguém! Eu sou mais a nossa Neide!!!
Beijos, uma boa viagem e volte logo que há amigos te esperando.
Beijão. Chus

leila disse...

boa viagem e muito sucesso1

Joice disse...

Parabéns pela postura tão digna. Tenho certeza que sua viagem vai ser linda e de muito aprendizado.
E olhe, vestida desse jeito o povo vai achar que você é uma baiana perdida em terras paulistas.
Volte logo e se possivel vai postando as fotos.
Boa viagem.

Claudiaroma disse...

Querida Neide! parabéns por toda esta sabedoria e transparência...é disto que todos nós precisamos, exemplos de coragem e simplicidade. Te desejo um tempo maravilhoso, onde possas colher o que semeas-te. Quero te deixar uma frase que eu adoro: "Deus nos criou com a capacidade de sermos corajosos para lidar com o medo quando ele surgir". Bjs no teu coração e boa viagem Cláudia
http://claudiaroma.blogspot.com

arte da sadhia disse...

amiga boa viagem e sucesso sempre
que Deus te acompanhe na ida e na volta
staremos aqui sim esperando por vc
bjinhos
sadhia
www.artesdasadhia.blogspot.com

Dom_Torresmo disse...

Parabéns Neidoca!
Bela história mesmo.
Boa viagem e boa sorte!

Anônimo disse...

Neide,
Moro em Florianópolis, sou apaixonada por seus textos.
Todos os dias eu entro para ver se há novidades.
Apre(e)ndo muito contigo.
Te desejo uma ótima viagem.
Fique bem.
Júlia - Floripa/SC.

Rita de Cassia disse...

TÔ passada!!!! Enquanto lia ia recordando fatos de minha mocidade , quem não gostaria de ter morado melhor naquela época ... Também estou quase caindo da cadeira somente de pensar em PARIS!!!!!! Morrí!!!!
Muitos parabéns pela reportagem, pela viagem, pelo blog, etc., etc., etc. Quando voltar quero saber de tudooooooooooooooooooooo.
bj bj bj

Jan disse...

Neide,

você é especial e única! Eles vão te adorar, tanto quanto adoramos você aqui!

Beijo grande,

Janaina

Gabi disse...

Uia!
Qta coisa eu aprendi sobre vc no texto da moça :)
Acho que vou parar de comer margarina tb ;)

Que a sua viagem seja em absoluto tranquila, agradável e sem sobresaltos.
Tenho certeza de que será uma delícia, participar de uma coisa tão legal assim.

E pelo que sei da vida, (que não é muito) o convite é apenas o reconhecimento do seu trabalho/diversão. Daquilo ao qual vc se dedica com carinho.

Tomara que vc descubra matinhos novos por lá!

Lucineia Nunes disse...

Neide querida,
Sabedoria, conhecimentos e sinceridade são tesouros que vai levar com você! Arrasa!

Boa viagem!!!
Um beijão, Lucinéia

Raquel Marques disse...

Nossa, que lindo.
Eu me sinto tão inadequada na minha ignorância perante seus conhecimentos tão enormes sobre o que é realmente importante na vida, se alimentar, que nem apareço muito.
Tive em um dos piqueniques mas nem levei comida! E depois, sumi, com vergonha de nada de realmente incrível poder oferecer.
E você tão tranquila. Sou feliz de saber que pessoas como você existem.
:)
bjs bjs
Raquel Marques

david era uma vez... disse...

FÊssora!! Adorei sua história de formatura! Tenho orgulho de te-la como minha fêssora virtual! nossa fico imaginando como seus pais, marido e filhos devem estar orgulhosos de ve-la nesse momento tão legal!
Vai lá Neide mostra pra todos que vc é muito mais que um idioma ou um curriculo pomposo... alias seu blog é um curriculo pra lá de Maravilhoso!!
Boa Viagem desfrute cada minuto, cada centimentro, cada pedacinho de cultura que por la vc encontrar!!


Beijos FÊsora!

Ah! Esquecendo de dizer... mas ta muito chic como Modeleth!! se fosse a 10 anos atras a Globo tinha te colocado na novela O Clone!

Maria Amélia disse...

Menina, que coisa bacana. Conheci seu blog há pouco tempo, talvez 1 mês, mas de cara coloquei no meu reader pois adoro os assuntos tratados aqui e o seu jeito de falar que passa muita segurança. Talvez por isso o convite da ong. Certamente sua viagem será um sucesso e acho que na volta vai poder compartilhar muita coisa bacana com a gente. Mande notícias de lá.
bjs e uma óóótima viagem.

rose disse...

PARABENS NEIDE, VC MERECE QUE DEUS ABENÇOE SUA VIAGEM E VC VOLTE CHEINHA DE INFORMAÇOES PRA NÓS, BJOS

Mariângela disse...

ah Neide,que texto mais lindo este,por tudo isso que nós aqui te amamos tanto(e vocês todos).Boa viagem, e aproveitem bastante todas as novidades.

Anônimo disse...

Querida Neide, te chamo assim porque acho que posso, ja que leio tuas coisas lindas todos os dias. Sobre sua historia de formatura eu ri sim , mas fico feliz por voce nao ter vergonha de onde nasceu nem de suas raizes. Sou da zona leste mais precisamente Burgo Paulista(fica entre a Penha e Sao Miguel PTA.).Somos pessoas simples meus irmaos tem uma movelaria ( marcenaria) eles fazem servicos so nos jardins e agora, eles foram convidados para ir a feira de moveis de Milao ,imagina como estamos felizes e orgulhosos eles irao em abril ate la , aguenta a ansiedade.....Por isso me idendifiquei com sua historia . Beijos va com Deus e boa sorte Denise (aquela que nasceu em Fartura)

Gilda disse...

Vai! Arrasa! Acontece! Os conhecimentos que você tem te transformam numa enciclopédia e a sua generosidade em ensinar, com amor, com altruismo, por convicção, te fazem absolutamente especial. Que lindo ver a importância do seu trabalho reconhecido em outros países, de outras culturas. Parabéns!

Lberaldo disse...

Parabéns, Neide, pela matéria da Vogue, pela convite do Forum Social Mundial em Dakar, e por seu texto, tão poeticamente verdadeiro. Boa viagem e sucesso!

heloisa de mesquita inoue disse...

Oi, minina!? Vá lá e represente a nós todas que ti seguimos! Estamos orgulhosas de vc e da nossa mandioca! Boa viajem! Vc ficou linda na foto da Vogue! Parabéns!

Raquel (NY) disse...

Neide, que maravilha de texto, que maravilha de reportagem, que foto mais linda, mas tudo isso e pequeno ante a sua generosidade de compartilhar todo o seu saber conosco. Fico muito orgulhosa de ter voce nos representando no Forum Social Mundial. Vai ser um sucesso, muito merecido.
Uma otima viagem para voce e muito obrigada novamente por tudo o que aprendi com voce.

Margot disse...

Neide, que linda, e poderosa, voce nessa foto! O seu texto me fez rir muito e me emocionar tbem. Suas historias, sao sempre inspiradoras. Vai com fe Neide, pq vc nao precisa mesmo de saber outras linguas pra brilhar. O povo em Dakar vai se apaixonar por voce. Bjao

Cristina Welle disse...

Caríssima!!! mais uma vez que lindo texto. sinta-se orgulhosa pelo reconhecimento!!! eles, e nós que aqui ficamos torcendo, temos muito a aprender com vc!!! suas receitas da nossa culinária além de resgatar a cozinha de antigamente, nos mostra que é possível alimentar-se unindo sabor e qualidade nutritiva, com o que temos no nosso quintal!!! Boa viagem e muito sucesso!!! ficaremos esperando para saborear os posts!!!

Anônimo disse...

Neide há tempos acompanho o seu blog e suas ações, perfeitas, e sempre tinha a impressão de te conhecer! Sim do baile de debutantes do Palmeiras! Como tive amigos em Fartura,ficava na dúvida e tinha acabado de dizer para minha filha que achava que te conhecia e senti um arrepio lendo o seu texto e lembrando do baile com o Toni Ramos, bem desejo muitas felicidades e uma otima viagem!Assim que puder mando algumas fotos que tenho com voce, sou a Patricia, de vestido rosa, e tambem trabalho com comida há cinco anos, na doceria que minha mãe nos deixou, beijos té mais, Patricia.

angela disse...

Fiquei emocionada com seu texto!
Tenho uma amiga morando lá em paris, se precisar fala.
bjs!!!!

Anônimo disse...

Quinze anos é uma boa idade para tolices! Quem as não fez, de uma maneira ou doutra?
E aprende-se!
São as experiências da vida que fazem de nós o que somos.
E a Neide é uma pessoa fantástica, pessoal e profissionalmente.
Quanto a currículo, à parte os canudos, quer melhor do que este blogue maravilhoso em que a Neide disponibiliza,tão magnânimamente, o seu trabalho de investigação?
Fico feliz pelo seu reconhecimento internacional. Muito, mesmo!
E a fotografia está linda!
E, claro, todos ficamos à espera das novidades!
Hum, não dá para dar uma saltadinha por estas bandas?
Que tenha boa viagem.
Um abraço com saudades
Manuela Soares

Roberta Sá disse...

Neide, você é demais! E agora ditando moda, na VOGUE ;-)

Boa viagem! com certeza vai ser mais um de muitos sucessos.

Beijos

Karla Maria disse...

Sorte e todo sucesso, Neide.
Você merece e nós, suas fãs e admiradoras, estamos cheias de orgulho.
Bj

Anônimo disse...

Neide,
Você disse tudo, como sempre.
Escrevi um comentário no Chucrute dizendo que, se um dia eu tivesse um blog, vocês duas seriam a minha inspiração.
Quando a gente se encontrou no Rio (na Cobal do Leblon, lembra?)só confirmei aquilo que já sabia e sentia: você é uma daquelas pessoas de verdade e talvez essa experiência da adolescência tenha ajudado muito na construção dessa mulher autêntica que você é.
Tenho certeza de que tudo vai correr lindamente em Dakar e não falo isso da boca para fora. Por tudo o que você disse no post, é lógico que sua particiapação será um sucesso.
Vou ficar esperando a confirmação na sua volta. Boa viagem. Leva agasalho, porque Paris tá friozinho. O resto desse comentário vai por e-mail.
Um beijo
Gaby

Lea Maria disse...

Neide,
Que texto maravilhoso!! Acho incrível a forma como você expõe a sua vida pessoal e profissional.
Parabéns pela conquista, e muita boa sorte! =:)

Léa Valle - Pr.

Anônimo disse...

Neide, nem tudo nasce pronto, menos ainda pessoas. Há que trilhar um longo caminho até o ponto do sossego, aquele em que nos apresentamos tais como somos, sem pudores nem máscaras. Acompanho o blog que acho fantástico, e sua viagem mais a reportagem da Vogue só tem um título; MERECIMENTO.
Que Deus a leve, que Deus a traga de volta. Sucesso!
Roseane
Três Corações, MG

Suzi disse...

Neide,
Que sua viagem seja um sucesso, sempre merecido!
Continue sempre com este delicioso passeio que vc faz na vida e na verdade, tudo o que temos e o que somos sao frutos de todas as sementinhas que plantamos em nossa vida, algumas boas, e mesmo as que plantamos de forma inadequada nos acrescenta, nao?
bjs e ate a volta!
Suzi

adriana lucena disse...

que linda! que maravilha - tudo! que orgulho vc no forum mundial!!!
bjs, de coração

Monica Nehr disse...

trabalhei no último grande Fórum em POA, foi uma experiencia única, vc vai adorar, experimenta tem de tudo e o que vais receber é maior do que vais dar, conm certeza, aquilo é uma grande sopa, un gran puchero, tem de tudo e tudo aproveitavel e principalmente amigos que ficam pra sempre

Parabéns
Parabéns

Paulo_weidebach disse...

Da Brasilândia para Dakar e Paris!!! Com uma passadinha em Fartura! Isso é que a riqueza da diversidade! Bjs nossos e divirta-se que é o que importa.... bjs

Anônimo disse...

Neide,sempre te leio,te acompanho...e cada vez mais te admiro....Parabens!!
Por tudo, pela viagem,pela vogue, pelo texto...E vc tá muito maravilhosa na foto.Creio que a experiência será incrível, aproveite e depois compartilhe conosco.Sei que é mais fácil ir a Paris, Dakar do que
vir a Fortaleza. SUCESSO!!!!
um grande abraço
Cristina V. C.

Anônimo disse...

neide,
vc me emociona. Essa matéria da revista eu já sabia que estava saindo nas bancas através da Ivana. boa viagem e volte logo para os braços do seu bem, rs. Sucesso, beijos grande
madoka

Carla Falconi disse...

Admiro muito voce, leio o seu blog quase diariamente e me sinto um pouco parte dessas suas historias q acompanho com tanto carinho...
Tenha uma boa viagem, e seja muito feliz em sua visita. Um grande beijo, uma tima viagem e um Excelente 2011

coraçãodemaçã disse...

Neide, descontaminei-me antes de entrar aqui porque quero ajudar a evitar o "apodrecimento dos mídia"...:-).
Posto isso julgo poder felicitá-la por essa viagem que, espero eu, lhe deixe gratas memórias.
Aplausos para a foto onde a Neide exibe o seu bonito e caloroso sorriso toucado a preto e branco. Ou será a branco e preto?
Beijo carinhoso
Dri

Isis disse...

É isso aí, Neide! Não podemos ter vergonha das nossas origens. Já ouvi muitas coisas, comentários até preconceituosos por ser da periferia, mas é o lugar de onde vim e não sou menos por isso.
Parabéns pelas conquistas! Aproveite a viagem e traga muitas boas novidades!
Grande abraço!
Isis

Anônimo disse...

Um grande exemplo você é. Obrigado por nos mostrar esse lado tão bom de você!Boa viagem e sucesso!
André Melo
uirapuruandre@yaho.com.br

bisteca disse...

Oi, Neide.
Parabéns pelo seu trabalho, pelo seu jeito simples e poético de escrever e por sua coragem de assumir quem você é, sempre.
Saiba que em Guaxupé, uma cidadezinha interiorana do sul de Minas, muitas pessoas torcem pelo seu sucesso em Dakar. E sempre!

Volta logo, hein!

Daniel Brazil disse...

Bela relato! Tenho certeza de que trará histórias ainda mais incríveis desta viagem.
Aproveite!

raq disse...

nossa! vc não imagina como eu sou sua fã. boa viagem!

Flávia Tunes disse...

Mesmo antes desse post tão verdadeiro e profundo já admirava sua sabedoria e coragem. Agora, ainda mais! Desejo que você faça em Dakar o mesmo que faz aqui no blog em no seu cotidiano: saiba que é muito e que inspira a gente. Feliz viagem!

Mary Valeriano disse...

Boia viajen Neide e nao deixa de postar, pois ver as coisas atravèz do teu modo de contar è precioso.
:-)

Neide Rigo disse...

Caros, nem sei como agradecer tantas palavras amigas e encorajadoras. É incrível a força destes comentários, que me livraram do resto de insegurança que havia. Talvez restará um frio na barriga, mas o aperto no peito se foi. Merci!!

Não vou responder individualmente dado o pouco tempo, mas se tiverem o dom da telepatia vão saber que respondi a cada comentário com um agradecimento especial. Je vous remercie pour tout!

Raquel, que bobeira, volte ao piquenique com aquela mochila cheia de lapis-de-cor pras crianças, que foi divertido. Comida sempre tem de monte.

Patrícia! Poxa, que coicidência!! Eu acho que sei quem você é (infelizmente meu album deixei com minha mãe), mas, por favor, me mande uma foto no email: neide.rigo@gmail.com. Estou curiosa. Bom saber que também trabalha com comida.

Beijos, N

Sill disse...

É por isso q sou sua fã ;D
Bon voyage!!
bjss saudades

Nadia Marrach disse...

Neide, fiquei muito feliz pelo (mais que merecido) reconhecimento que você está tendo! E essa sua transparência é uma coisa tão bonita, tão gostosa de se ver...reconforta a gente! Boa viagem!

rachel disse...

Neide, eu já era sua fã, agora então... Boa viagem, boa sorte! Vc vai se sair otimamente, tenho certeza. Não nos deixe sem notícias, hein? bjs, Rachel

Anônimo disse...

Lindo depoimento, qual de nós não mentimos ou não sentimos o que vc sentiu, ainda mais naquela época que era-se pobre ou rica, não existia a classe media como hoje.
Boa viagem, está chiquerrrima heim!!!!!!!

happynest disse...

Grande Neide!!
Tudo o que vc é hoje é o resultado das experiencias que viveu. E isso fez de vc essa pessoa admiravel que é. Parabens e muito sucesso...vc merece mulher!!!
Boa sorte. Beijos

Dricka disse...

Ai Neide, sua linda. Sem palavras!
Não precisa ter medo de nada, porque você arrasa mesmo nessa simplicidade despretensiosa. E você manda muito, muito bem naquilo que se dispos a fazer. Estamos muito orgulhosos de você.
Arrase Paris em chamas.
Bjs

silvana disse...

Neide, descobri o seu blog e estou adorando! Fiquei até emocionada quando vc citou no texto que morou na Brasilândia. Tenho 43 anos e moro nesse bairro desde que nasci! rs. E não tenho o que falar daqui não! Tive uma infância maravilhosa aqui, apesar da simplicidade. Não tenho do que reclamar. Olhando para trás e, analisando o "hoje", posso dizer que conquistei coisas que não imaginava conquistar. Tá certo que a luta foi e é árdua, mas já estou bastante feliz com o "presente". Boa viajem e muitas felicidades na sua vida. Silvana

Anônimo disse...

Mas qual o adolescente de periferia que não teve um momento vergonha... E olha que conheço bem aqueles lados pois morei minha vida toda na Freguesia do Ó, saudoso Jácomo Stávele e entorno, só alegria.
Sucesso nessa empreita e volte com muitas novidades.
Abs.
Ana - Araça

Constance Escobar disse...

Que beleza de post, Neide.
Nossa verdade é mesmo o que podemos ter de melhor a oferecer. Sempre.
Sucesso na sua viagem. Você é um orgulho pro Brasil.
Constance

Ceiça disse...

Neide, quando você escreve falando alguma coisa tão particular como esse post que você escreveu, passo a gostar e te admirar cada vez mais. Como quando você escreveu sobre o encontro com seu antigo chefe na fisioterapia, simplesmente lindo. Sua viagem será um sucesso porque se você conseguiu extrair o melhor dessa situação aos 15 anos, imagine agora!
Você é uma das pessoas mais linda que conheço.
Beijos,
Ceiça.

Fernanda Scagliusi disse...

Neide, é justamente por essa sua postura, sua humildade e verdade que todos aqui gostam tanto de vc e do seu trabalho. Tenho certeza que será uma ótima viagem e saiba que na verdade você e o seu trabalho são muito mais valiosos e visionários do que vc imagina.
Bjs grandes

Magali Geara disse...

Muito bacana esse texto. À bientôt!

Pizzaria Adoro Pizza!!! disse...

Lindo texto Neide, fiquei até emocionado com a sua coragem. A dignidade da gente só a gente mesmo é que pode tirar, por mais que as pessoas tentem.
Cristiano

Anônimo disse...

Neide, sua viagem já é um sucesso ! Você vai representar o que o Brasil tem de melhor...a alma ! Beijo grande, Sueli.

milamaegi disse...

Achei a foto linda, linda! E a entrevista bem boa. Parabéns!

Sonia Denicol disse...

Este texto chegou até mim num momento importante, em que estou também tentando vencer alguns medos para mergulhar em novos projetos. Quanta inspiração nesta tua verdade, bárbaro!
Da minha parte agradeço por esta partilha, me fez muito bem.
Não li a matéria da Vogue, mas acredito que seja um reconhecimento pelo trabalho verdadeiro e original que você desenvolve. Parabéns!
Que você faça uma belíssima viagem e dê um grande abraço meu nesta cidade maravilhosa.
Beijão,
Sonia Denicol

Zel disse...

Neide, admiro tanto você! E admiro ainda mais agora, depois dessa história. Você é o tipo de pessoa que adoro e espero um dia ainda poder conhecê-la pessoalmente e dar um abraço. Beijão!

rigo disse...

Torço para que tudo dê certo Neide. Você merece! Mande notícias da Cidade Luz.

Abraços
Rigo

Marina disse...

Neide, parabéns! Seu trabalho é muito interessante, e merece ser reconhecido! Boa sorte em Dakar e Paris.
Abraço!

Anônimo disse...

Neide, que Lindo este post!
boa viagem, sucesso e esperamos um sarau no próximo piquenique (aqui em casa chamamos assim qdo nos reunimos para contar os causos das viagens).
bjo, Adriana.

Zezé disse...

Neide, amei esse texto, muito mesmo.
Que vc faça uma boa viagem.
Bjs.

Anônimo disse...

Neide, ainda tenho um e-mail lindo seu para responder. Vim te dar os parabéns atrasados, dizer que adorei muito te conhecer no ano passado e que ficaria imensamente feliz em te reencontrar. Vou adorar ler seus relatos da viagem, dos aprendizados e das novas experiências. Um beijo!

Roberta

Anônimo disse...

ah, q texto lindo!...
me identifiquei demais c ele, li, reli e já quero reler outra vez.
trabalho c culinária, é um trabalho duro, mas mt rico (riqueza q vem de, desde criança, sempre ter observado fascinada e buscando aprender o q via nas diversas cozinhas onde sempre gostei de me enfiar, coisa q acho q temos em comum), e p mais q "o tal do reconhecimento" pareça estar chegando, eu mesma sou extremamente insegura e incapaz de me reconhecer - incrível, mas eu havia acabado de escrever sobre isso num e-mail p uma amiga mt querida!
vc conseguiu mais q todas as minhas mtas e abandonadas tentativas de terapia...
obrigada e tudo de bom. um beijo carinhoso,
clara

tajes_clara@hotmail.com

tita disse...

Ainda me lembro quando há 3 anos atrás, fiquei encantada com tanto conhecimento e simplicidade lendo seu blog. Gostei de tu de cara!
beijos pernambucanos.

Mariângela disse...

Querida,
Cá estou lendo um pouco de seu blog maravilhoso, e me emocionei com essa história.
Tenho ligado pra sua casa... nunca tem niniguém... pudera... rsrrss
Na volta quero vê-la!!
Bj
Mariângela

EduardoLuz disse...

U-a-u!
E recebi a mensagem telepática antes mesmo de escrever o comentário.
O tupinambour vai de vento em popa (e na água.)

Andrés Sandoval disse...

Neide querida, que delicia ler seus textos. Tava eu aqui procurando uma receita e encontro muito, muito mais, sempre! Passei boa parte da minha adolescência no Taboão da Serra e compartilho com você a mesma necessidade de marcar bem de onde venho pra poder viajar cada vez mais longe. Aliás vou a Bamacô e Dacar em novembro. Beijos, beijos, Andrés