sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sementes crioulas de mamão caipira viajando por aí


Mamão caipira do sítio, em Fartura: a mesma semente de décadas. Foto: Ines Correa

As mesmas sementes viajaram pra Indaiatuba e já renderam frutos. Foto: Wilson Cologni
Nunca vi deste mamão pra vender em lugar algum. Mas no arquivo da memória infantil, nas férias anuais, no Paraná, ele aparece estatelado de maduro nos carreadores de café e roças de milho no sítio dos avós e tios.
Não me lembro de ser fruta de sobremesa, a não ser quando verde. Tampouco aparecia no café da manhã, mas sim durante todo o intervalo entre as principais refeições, já que eram comidos nas caminhadas de maneira pouco educada, melecando mãos e cabeças. Era algo como um mamão por criança, abocanhando o que era possível e desperdiçando o resto. As sementes iam ficando por ali mesmo e as que não eram comidas pelas galinhas davam origem a novos pés nas proximidades. E as que tinham sorte de passar intactas pelas moelas das aves eram implantadas em outros cantos, de modo a nunca faltar desses mamões na roça.
Depois que meus avós venderam o sítio, fiquei muitos anos sem comer deste mamão até que meu pai comprou a chácara na divisa com o Paraná e lá havia alguns pés. De lá pra cá nunca mais faltou e são muitos pés na própriedade inteira. Às vezes chego em Fartura e a cesta está cheia de mamões riscados terminando de amadurecer (mamões são frutas que continuam a amadurecer depois de colhidas, como as bananas e diferentes dos melões e abacaxis, por exemplo).
Meu pai come alguns mamões ao longo do dia, da mesma forma que comíamos quando criança - dá umas bocadas e deixa o resto pras galinhas. É um dos mamões mais deliciosos que conheço e embora haja mais de 50 variedades desta fruta caribenha no Brasil, no mercado só chegam o mamão-da-Amazônia, mais conhecido como Papaia, e o Formosa, selecionados, talvez "melhorados" híbridos, e preferidos para o cultivo comercial certamente por causa da produtividade, vida longa pós colheita ou maior resistência ao transporte.
O mais irracional é que lá em Fartura, por exemplo, poucos sítios ainda tem para consumo próprio. Só que nas quitandas e supermercados o que se encontram são os papaias e formosas vindos do Ceagesp e cultivados sabe-se lá em que estado do Nordeste.
Mas este mamão tem características distintas dos outros dois que mais conhecemos. Ele gordinho, amarelo e perfumado. Para mim, muito mais gostoso. Ou apenas diferente, assim como todas as variedades perdidas e esquecidas por aí.
Ah, mas o post é só pra dizer que fiquei feliz por ter mandado sementes para um leitor do Come-se (quando eu ainda tinha tempo de ir ao correio - muita gente me pede sementes, mas e o tempo de sair, pegar ônibus, enfrentar fila no correio? aqui é tudo mais complicado). Para falar a verdade, tinha até esquecido. Mas ele me mandou fotos dos mamões e foi uma alegria vê-los gordinhos, idênticos à fruta mãe de Fartura. E me lembrei que depois ele até passou em Fartura e conheceu meus pais. Eu mesma não o conheço, mas temos agora mamões em comum. Olhe aí a sequência de emails:

22/12/2008 - Neide, eu moro em Indaiatuba -SP , mas tenho uma propriedade pertinho de Fartura, em Itaporanga - SP. Estou sempre na região e de vez em quando estou em Fartura. Estes dias comprei em Goiás sementes de um mamão bem parecido com o Caipira, no tamanho e formato principalmente, mas segundo o vendedor das sementes ele foi melhorado pela Embrapa produzindo um fruto mais docê etc. Eu pretendo plantar o caipira, porque ele é muito resistente a pragas e doenças, e quero espalhá-lo na propriedade principalmente para atração de pássaros. Agradeço muito sua atenção e se você puder me arrumar as sementes, me envia para o endereço abaixo que eu lhe reembolso suas despesas, e com certeza lhe mandarei alguns mamões no futuro para que possas continuar curtindo estas delicias naturais.
04/02/2009 - Neide, boa tarde ! Estive em Fartura a semana passada e passei na propriedade de seus pais. Eles são muito simpáticos e me receberam muito bem, tomei um cafezinho feito pela Da. Olga no fogão de lenha. Me arrumaram uns frutos do seu "Tomate francês", que já estou tentando formar mudas. Quando vê-los, agradeça-os mais uma vez. As sementes do Mamão caipira que você me enviou já foram semeadas. Um grande abraço
28/04/2010 - Neide, boa noite! Você está lembrada de ter me enviado sementes do Mamão caipira? Então, conforme lhe prometi, segue anexo fotos dos primeiros frutos. Se precisar de sementes, agora terei à vontade. Mais uma vez, muito obrigado e um grande abraço ! Wilson


Fartura de mamão. Foto: Wilson Cologni

21 comentários:

Gina disse...

Neide, aqui encontro respostas para algumas dúvidas.
Da última vez que visitei minha mãe no Espírito Santo, fomos a uma feira de orgânicos, chamada Feira da Roça e lá compramos esse mamão caipira, que acabei de aprender com você o nome. Achei delicioso!Voltando lá, compraremos novamente, porque é bem diferente do papaia ou formosa. Meu café da manhã tem, todos os dias, mamão e queijo minas, da Serra da Canastra.
Achei uma graça o Wilson mandar pra você a foto do mamoeiro, que por sinal está lindo.
Bjs.

Luciana disse...

Neide, trabalho num local serrano com muito mato em volta. Como caminho muito por lá, fiquei imaginando o tanto de folhas comestíveis que deve ter dando sopa. O que eu poderia procurar? Tem alguma dica ou sugestão?

Wilson disse...

Neide
Mamão caipira:
" De Fartura para o Mundo " !!!!

Da muito gosto ver os Sanhaços atacando o mamoeiro, os bichinhos chegam a ficar tranquilamente e literalmente dentro dos mamões se fartando.
Quando eles deixam um sobra quem se farta somos nós.
Se alguém precisar de sementes é só entrar em contato( wilsoncologniphd@terra.com.br) que enviarei sem custo.

Um grande abraço

Wilson

Lu Parhan disse...

Adoro o 'aroma' dele. Aqui em Porto Alegre, as vezes encontro na 'feira orgânica da coolméia' (aquela do Seu Juarez). Senão, somente o formosa e o papaia.

Luciana disse...

Õ Wilson, também quero!!! Como entrar em contato contigo? Obrigada, isso é muito legal!

Viagem Afora disse...

Neide, adoramos, fartura de Mamão Caipira no mundo... que delícia !!!
Gostariamos de te convidar a nos visitar e conferir o post sobre a deliciosa Gonçalves, Sul de Minas !!!
Abraços e te desejamos um ótimo domingo !!
Antonio & Ellen
www.viagemafora.blogspot.com

Angela disse...

Neide! já não lembro onde li, se foi aqui ou aculá. Ah! foi em um livro. Li que semente de mamão seca vira um tempero, como pimenta.
Sequei na mesma hora! um tanto de sol e um tanto no microondas, só um punhado, só pra ver. Não achei parecido com pimenta, mas com um salzinho virou um tira-gosto porreta! como amendoinzinho quebrado.

Anônimo disse...

Luciana

Meu E-mail:
wilsoncologniphd@terra.com.br

Neide Rigo disse...

Gina, então você sabe como é gostoso, perfumado, diferente, né? O nome, não sei se há outro, mas conheço como mamão caipira mesmo.

Luciana, você poderia me mandar fotos dos matinhos e eu tento identificar. Que tal?

Wilson, obrigada pela generosidade com os leitores. Como eu nunca vou ao correio e pra ir à agência mais próxima tenho que pegar ônibus, pra mim é mesmo muito complicado. Em Fartura também os sanhaços passam bem com mamões e bananas.

Lu, nós compradores temos que pedir sempre nas feiras, assim quem sabe os produtores não desistem de plantá-lo. A feirinha da colmeia é um celeiro de boas coisas, não?

Antonio e Ellen, muito legal o post sobre Gonçalves - cidade linda, onde tenho algumas amigas - Fernanda, Silvia, Tanea, Carmen. Parabéns!

Angela, eu também já fiz o temperinho. Tem até uma certa picância,né?, mas realmente é diferente da pimenta-do-reino.

Um abraço, N

milamaegi disse...

Acompanho seu blog pelo feed, mas não me lembro de ter comentado alguma vez, vendo o mamão não resisti.
Na antiga chacará do meu avô tinha desse mamão e a gente sempre ficou na dúvida de que tipo era, tb não lembro de comer a não ser como doce ou entre uma refeição e outra.
Era bem bonito ver o pé caregado...
Saudade disso, hahaha!

Anônimo disse...

Este mamão era a única opção de mamão que tínhamos qdo criança no sul de Minas Gerais. Também comíamos o dito cujo verde ou inchado (amadurecendo). Minha mãe os preparava refogado com alho, sal, azeite (as vezes banha) cebola e pimento… delicioso. Maduros também eram ótimos batidos com leite...yumm.
Fico contente que seu leitor está querendo propagar a espécia em seu sítio. Os pássaros vão fazer a festa. Gostava de ver os sanhaços se deleitando com os mamões no quintal de meus pais.
hegubierto
weirdcombinations.com

simone disse...

minha filha rafaela de 10 anos sonha em ter uma hortinha (no apartamento).só fala nisso.
ela hoje com o próprio dinheiro comprou tomates cereja e quer por que quer plantar.
e agora ?
sou marinheira de primeiriiissima viagem.
as sementes devem secar?
se sim, por quanto tempo?
to perdida da silva.
e ela ainda quer levar pra feira de ciencias,os tomates que ela plantou.
pode ajudar ?
bjs

Neide Rigo disse...

Mila
hoje é minha sobremesa preferida lá no sítio. Se é uma fruta que traz tanta saudade é porque merece se perpetuar, não é mesmo?

Heguiberto, eu adoro este mamão refogado como chuchu. Minha avó fazia muito. Uma delícia!

Simone, nem precisa fazer nada. Quebre um tomatinho sobre uma terra boa, revolva um pouco para enterrar as sementes e mantenha a terra sempre molhada. Depois, selecione as plantinhas maiores e é só esperar frutificar. Precisa de luz, claro.
Um abraço, N

Wilson disse...

Neide, boa tarde !

Talvez eu possa ajudar nas hortas em apartamentos, pois eu tenho nas jardineiras de meu apto.; Salsinha, Cebolinha, manjericão, salvia, Orégano, Pimentas ( Vou te mandar foto por E-mail ) e já tive tomates cereja, berinjela, pimentões e até um pé de café no vaso.
Estou a disposição no e-mail: wilsoncologniphd@terra.com.br

Um abraço

Wilson

Neide Rigo disse...

Wilson, pelo que viu, não entendo nada de horta. Vou enfiando a semente na terra sem muito método nem disciplina (risos). Sei é de comer. Por favor, será um prazer ter suas orientações no Come-se. Se quiser fazer um post sobre isto, eu publico. Obrigada, um abraço,
N

Wilson disse...

Neide , bom dia !

Vou preparar, te mando por e-mail

Wilson

Anestor Mezzomo disse...

Olá, Neide:
Sempre que posso, dou uma olhada no seu blog, ainda que atrasado. Essa variedade de mamão foi o primeiro que comi na minha vida, quando tinha uns 10 anos. Ainda lembro da ´rimeira impressão e o seu aroma. Graças a Deus, ainda o cultivo em meu sítio. Ele é mais rústico do que os outros. Ainda hoje, passando pelo sítio, trouxe duas frutas de lá. Eu o chamo de mamão amarelo, pois que sua polpa não é laranjada. Deixo até a plantas masculinas produzirem frutos. As flores das plantas masculinas, no cair da tarde, são muito perfumadas. Veja algumas fotos dele: http://picasaweb.google.com.br/lh/view?q=mam%C3%A3o%20amarelo&uname=Amezzomo2002&psc=S&hl=pt-BR#

Anestor Mezzomo - Florianópolis - SC

DARS disse...

Oi Neide, parabéns pelo blog que passou a fazer parte da minha vida há alguns meses, as vezes uso como consulta para ter alguma ideia do que fazer com que comprei. Não sou grande cozinheiro, mas gosto de inventar, e tb simplificar pois moro sozinho, até avancei na minha hortinha de ap, tem até jambú, mas o que uso mais é o capim-limão e o boldo.. tenho até nome pra um blog, mas falta começar...

Mas o que me trouxe aqui são as sementes de mamão, mas não para plantar, para temperar, pesquisei na rede e não achei nada, acho estranho pois vejo um potencial enorme, me lembro de minhas tias comendo junto com a fruta há uns trinta anos atrás, como tenho um lado natureba sempre deixo algumas qdo limpo o mamão ou faço suco, ou jogo direto no prato, no feijão fica ótimo, mas gostaria de saber como poderia aproveitá-las melhor, tem um molho pronto que usa, mas não sabe nada, além de não gostar desse tipo de produto.

O que sua grande sabedoria e cintilante criatividade poderiam me ajudar?

Grande beijo, Daniel.

Neide Rigo disse...

Daniel, nunca usei como tempero as sementes de mamão, mas elas são gostosas, meio picantes e conheço quem a seque para usar como pimenta-do-reino, moída. Precisa secá-las ao sol. Pode ser interessante. Fora isto, sei também que às vezes são usadas para adulterar a pimenta-do-reino. Sinal que são boas substitutas.
Obrigada!
Um abraço, N

Anônimo disse...

Neide, estou precisando muito de sementes de mamao caipira.Pode me ajudar?

claquei@hotmail.com

Neide Rigo disse...

Claquei,
infelizmente não tenho como mandar, mas veja aí em cima o comentário do Wilson. Um abraço, N