quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Cuscuz de tapioca e bolinho de estudante. Quinta sem trigo

Como você já deve ter percebido, caso tenha vista o Instagram aí do lado direito, estou na Bahia. Vim participar do Seminário de Gastronomia do Senac sobre o tema feijão. Foi ótimo, comi muito feijão, muito prato inovador feito com feijão e muita comida baiana. Já visitei a Feira de São Joaquim, que adoro. Já fui ao Mercado do Rio Vermelho, todo arrumadinho, já andei pelo Pelourinho, comi acarajés, abarás, visitei igrejas e tantos outros lugares.

Fiquei hospedada na Pousada do Boqueirão, da Fernanda Cabrini, onde me esbaldei com o café da manhã super variado e caprichado de frente para o mar. E usei a cozinha ampla e linda para fazer pão - fiz dois tipos de pão com o levain que levei de São Paulo, com sobra de malte da receita de umbu da Experimento Beer/ Coopercuc, e um com jerimum super vermelho.

Mas voltando ao café da manhã, todos os dias tem cardápio diferente e num dos dias uma das delícias era o cuscuz de tapioca moldado na forminha de silicone. A receita é a coisa mais fácil do mundo, mas o charme era um pedacinho de damasco por cima e a modelagem.

O segredo é usar a farinha certa, mas no Brasil farinha de tapioca pode ter diferentes interpretações - são as farinhas feitas com o amido da mandioca (tapioca) que podem adquirir diferentes formas a depender do processo usado. No Pará a farinha de tapioca são aquelas bolinhas inchadas como isopor. Na Bahia, a farinha de tapioca é esta da foto. É esta usada para fazer cuscuz e bolinho de estudante, sendo que este nada mais é que o cuscuz amassado, frito e polvilhado com açúcar e canela. E pode empanar em farinha de tapioca ou não.  No caso do bolinho da Fernanda, o cuscuz enformado já tem o tamanho do bolinho e isto facilita.

Para quem não tem esta farinha (no Mercado da Lapa tem), pode até fazer em casa - já dei esta receita aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2011/09/paozinho-de-tapioca-ou-quinta-sem-trigo.html, Neste mesmo post vai encontrar a receita de pãezinhos que também fiz com esta farinha. Sem trigo e glúten, claro.

Então, vamos à receita:


Cuscuz de tapioca, conforme Fernanda Cabrini

Misture 1 xícara de farinha de tapioca, 1 xícara de leite (de vaca ou de coco) em temperatura ambiente, 1 colher (sopa) açúcar ou a gosto e 1 pitada de sal. Coloque em forminhas de silicone. Espere firmar e desenforme. Decore com um pedadinho de damasco e sirva.

Minha amiga Silvia Lopes, aqui do lado, completa: se quiser, sirva com leite de coco. E se preferir, coloque em forma grande (quantidades maiores) e cubra com coco fresco ralado. Corte em pedaços e sirva.


Bolinho de estudante

Dê forma de bolinhos ao cuscuz de tapioca, passe por farinha de tapioca, frite em bastante óleo quente. Polvilhe açúcar e canela e sirva quente.

Na família de minha amiga Silvinha ninguém passa na farinha. É só modelar e fritar.




Com geleia de pitanga. Nhac! 


9 comentários:

Dani disse...

Pensa numa pessoa com vontade!
Irei até ao Mercado da Lapa e farei bolinhos de estudante.
Mas essa farinha de tapioca da Lapa não é a que parece bolinhas de isopor, nem as que servem pra fazer tapioca, nem a farinha seca que encontramos em saquinhos nos supermercados, é?
Beijo,
Dani

Juju Gago disse...

hummmmmmmmmmmmmmmmm

Coisas boas do mundo disse...

Muito bem Neide, sus palestrante foi incrivel, seu blog um charme, vou acompanhar com prazer.

Coisas boas do mundo disse...

Muito bem Neide, sus palestrante foi incrivel, seu blog um charme, vou acompanhar com prazer.

As Tertulías disse...

Este Blog é uma maravilha!!!!!!!!!!!!!!
Já estou acompanhando... sabores e cheiros da nossa terra derepente aqui em Viena!
Obrigado, Neide!

Anônimo disse...

Viena! Wow que legal! :)

FlaM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FlaM disse...

e come-se cru o cuscuz de tapioca? põe e tira da forminha sem passar por nenhum tipo de cozimento? Desculpe, nuca comi nem esse cuzcuz nem o bolinho, e não sei usar tapioca, faz muito pouco tempo que fomos "apresentadas". Obrigada!

Neide Rigo disse...

Flam,
a farinha de tapioca já é cozida, por isto não precisa ser cozido. É um cuscuz instantâneo.
A gente já se conhece, então? De onde?
Um abraço,n