terça-feira, 23 de junho de 2015

Cestos de fermentação

Os posts monotemáticos sobre pão estão com os dias contados, garanto. Mas este é só pra dizer que ganhei dois cestinhos de fermentação (cestino di lievitazione ou banneton) da filha e do genro que voltaram da Itália com os presentes na mala. São leves, práticos, deixam lindas marcas no pão, aderem a farinha evitando que a massa grude nele e são ideais para dar forma ao tipo de massa que tenho feito ultimamente - mais mole, não modelável.

Repeti a receita do pão de centeio que postei ontem usando o cesto comprido. 


Mas não, o post não é só pra contar a vantagem de ter agora os cestinhos. É pra dizer que antes de tê-los eu me virei muito bem - e vou continuar me virando quando quiser variar o formato - com os utensílios que tinha por aqui. Cestas de todos os tipos podem ser forradas com pano de linho (ideal para não grudar a massa pois segura melhor a farinha).  Para uma delas, costurei um forro no formato e prendi nas bordas usando agulha grande e linha forte. Até peneira de arroz usei. Serrei os cabos com uma faca de pão para conseguir uma borda regular. Não deixe um homem vê-la fazendo isto se é a leitora que está lendo - ou, se vir, deixe que use uma serra profissional e, claro, terá melhor resultado. Ao leitor homem nem preciso dizer nada. Estas peneiras são baratas e ficam perfeitas com um forrinho de linho. Cortei e costurei o tecido como um chapéu  e passei um barbante nas bordas. Basta encaixar na peneira com as costuras para dentro, dobrar as bordas pra fora, puxar o barbante para ajustar e amarrar. Funciona muito bem e o forro pode ser retirado para lavar.  Para usar as outras cestas (que custam entre 5 e 10 reais cada - algumas podem ter cabos facilmente "arrancáveis"), basta forrar com o pano de linho bem enfarinhado. Pronto, falei. 

E nhac! 


3 comentários:

Leticia Cinto disse...

Legal saber tudo isso! Será que um cestinho de crochê feito com um fio com linho na composição daria certo tb? Vou procurar o fio e fazer um teste :)

Beiba disse...

Neide, por mim vc pode falar de pão ad eternum! Quisera eu ter um amigo padeiro dos bons como parece ser o Michel. Muito obrigada!

Anônimo disse...

Concordo com a Beiba... seus posts sobre pão são sempre um grande aprendizado.
Por favor, continue postando e nos deliciando com as técnicas e receitas..
Grata,
Marlene