terça-feira, 16 de novembro de 2010

Paleta de porco assada


Antes que envelheça, deixo a receita da paleta de porco que levei ao último piquenique. Uma opção menor ao pernil, que cabe nos fornos comuns (aqui, uma paleta que chamei de pernil e ali um pernilzão mesmo) e garantia de sucesso em dias de festa ou jantares em casa para muita gente.
A despeito do longo tempo que demora para ficar pronto, opto por pernil ou paleta sempre que não vou ter tempo de ficar pilotando o fogão de pertinho. Todo o trabalho é feito pelo próprio tempo, o da marinada, e pelo forno que ficará ligado por longas horas. De resto, é fazer um acompanhamento como um purê ou incrementar o molho com ameixas, cebolas, pimentões. E está pronto para ir à mesa fazer bonito.
Como o pernil assado, ou que seja paleta, pede pão francês, pedimos para o Claudio trazer pão quentinho da padaria Dara, que faz o melhor da Lapa. Não sobrou nada.
Não tem muito segredo fazer carne de porco assada em forno lento e eu indico mesmo para quem não tem prática alguma com carnes ou pratos familiares. E anotei tudo o que usei, de modo que ainda que faça modificações a seu gosto, se respeitar o forno lento e o sal, duvido que dê errado.
Como queria levar quentinho para o piquenique que costuma começar lá pelas 11 da manhã, deixei temperada de véspera e embalada em saco plástico bem colado, para que o tempero não ficasse disperso e acordei às 4 da manhã para colocar no forno. Se tivesse acordado às 5, que era a intenção, também teria dado certo, mas a sabichona aqui achou que não precisava de despertador, que acordaria naturalmente no horário escolhido (isto já foi assim, acredite). Acontece que acordei a uma da manhã, depois às duas, às três, às três e meia, três e trinta e nove, três e quarenta e cinco, até que, às quatro, morrendo de sono, resolvi levantar, colocar de vez a paleta no forno e voltar a dormir o sono dos justos sem preocupações. Acordei naturalmente por volta das sete, como de costume, e fui fazer o pão.
Paleta de porco assada
1 paleta de porco de 2,5 kg (comprada fresquinha no box 20, do Mercado da Lapa)
1 colher (sopa) de sal
Suco de 1 limão tahiti
1/2 xícara de água
Ervas que encontrei no jardim, mas poderiam ser outras (3 folhas de sálvia, 1 galhinho de alecrim, 3 folhas de alfavaca, 9 folhas de manjericão, 2 folhas de laranjeira)
1 folha de louro
3 dentes de alho
1 colher (chá) de grãos de coentro
1 colher (chá) de grãos de cominho
1 colher (chá) de pimenta calabresa (mas poderia ser 1 pimenta dedo-de-moça inteira)
1 colher (chá) de pimenta-do-reino
Fure a paleta com a ponta de uma faca. Coloque-a dentro de um saco plástico bem grosso (pode ser conseguido no próprio açougue). Coloque todos os outros ingredientes no liquidificador e bata bem até estar tudo triturado. Despeje o tempero sobre a paleta, revirando o saco várias vezes para o tempero ir entrando nos furos. Feche o saco e passe por todo ele um filme plástico para que não sobre espaço para o tempero se dispersar. No outro dia, passe a paleta para uma assadeira funda, cubra com papel alumínio ou com outra assadeira e leve ao forno bem baixo (no meu forno é o último nível, que marca 180 graus). Deixe lá por cerca de 5 horas ou até que enfiando um espeto de metal na carne até o osso escorra um líquido bem claro e não vermelho. Neste ponto a carne deverá estar bem macia. Deverá restar algum líquido na assadeira. Se não, junte um pouco de água e deixe diluir os resíduos. Deixe destampada no forno mais alto para dourar a superfície. Passe o líquido para uma frigideira e junte cebolas, pimentões, sementinhas de mostarda, ameixas deixadas antes de molho ou o que mais quiser. E nhac! Com batatas assadas, pão francês ou só uma salada de folhas. Depois tome um cafezinho com hipocrisil e estará tudo certo, tudo perdoado.
Rende: cerca de 10 porções

12 comentários:

Denise Scapolan disse...

Eu estava esperando, a danada desta receita. Queria saber o tempero que vc usa, todo natal trago leitoa fresca de Fartura. Este ano fui no feriado de 12 de outubro , e trouxe uma de 25 kilos. Infelizmente meu primo teve , que cortar a danada . Entao deixei os pernil e as costelas inteiros. Deixo os pedacos maiores e os , asso por aproximadamente 10 horas na hora da ceia ela esta no ponto.Obrigada por compartilhar este tempero. Beijos DENISE

david era uma vez... disse...

Oi Fessora!!
Tambem tenho esse problema quando não ponho o despertador, acordo de meia em meia hora e acabo tendo a pior noite de sono possivel!

Eu quero fazer essa paleta agora!! pena que a receita veio hoje, se tivesse vindo antes do fim de semana, eu estava em São paulo na casa da minha mãe, onde é mais fácil juntar gente pra comer bem... aqui 2 gatos pingados é muita carne, minha filha que é vegetariana iria fazer um discurso e tal, e não comeria.
Mas mesmo assim, nesses dias na minha mãe comi demais, aproveitei para relembrar algumas receitas dela do jeito dela, porque eu faço mas sempre acabava mudando algo, agora documentado... nada se perde!

Beijos Neide!

J P Diniz disse...

tenho que fazer um jantar no sábado.
quem sabe...

Carlinha disse...

Ficou Lindo !!!!! vou fazer no final se semana ! e chamar meus pais para almoçar em casa !!!

Silvia Vieira disse...

Neide, eu amo carne de porco, e estou sempre fazendo, mas devido ao tamanho do pernil nunca animei fazer, apesar de adorar sanduíche feito com pernil ao molho...Gostei da idéia da peça menor, e vou fazer com certeza, é claro que não terei tantos temperos, mas o improviso é comigo mesma...Abraços, Silvia

Silvia Vieira disse...

Neide, eu amo carne de porco, e estou sempre fazendo, mas devido ao tamanho do pernil nunca animei fazer, apesar de adorar sanduíche feito com pernil ao molho...Gostei da idéia da peça menor, e vou fazer com certeza, é claro que não terei tantos temperos, mas o improviso é comigo mesma...Abraços, Silvia

Victória disse...

Hummmm! Delicia! Fiquei com água na boca!
Sabe como eu chamo o hipocrisil?
- gotas de cinismo....kkkk
Beijo,
Victória

PS só um detalhe, sou endocrinologista!

Anônimo disse...

Victoria sei que e endocrino mas, sempre comi estas delicias, logico com moderacao, mas sempre. Nao tenho colesterol nao sou fofinha, alias peso 48 kilos. Acho que a receita ta ai comer bem e sem culpa. Beijos Denise

Neide Rigo disse...

Denise!
sempre trago carne de porco também de Fartura. Carne farta, não?

David, em volta de um pernil assado não deve ser muito difícil reunir amigos. E você pode fazer e congelar porções pequenas para o seu dia-a-dia. Eu já fui vegetariana como sua filha, do tipo de fazer discurso. Mas as coisas mudam.

João e Carlinha, depois me contem.

Sílvia, também amo sanduíche de pernil.

Victória, nós sabemos que, como diz a Denise, o segredo é a moderação e comer sem culpas.

Um abraço, N

sil disse...

BOM,ADORO COZINHAR E ENTREI PARA VER SUA RECEITA,JÁ TINHA TEMPERADO MINHA PALETA E NÃO ESTAVA TÃO ERRADA QUANTO AOS INGREDIENTES,É LÓGICO QUE CADA PESSOA USA SEUS SEGREDINHOS E EU NÃO FIQUEI ATRÁS: COSTUMO FURAR A CARNE E COLOCAR PEDAÇOS DE CEBOLA ,BACON,BASTANTE ALECRIM.....FICA DIVINO!!!!DEIXO MARINANDO,NEM CACHORRO COME,PORQUE NÃO SOBRA!!!!!!BEIJOS!!!!!

lukas@wnet.com,.br disse...

Carne de porco é o que há. Fiz uma traqueostomia definitiva devido a um tumor na garganta (maldito cigarro). Perdri a fala e já faz três meses que não como ou bebo. Só pela sonda. Estou fazendo uma relação do que cozinhar daqui uns tempos quando voltar a me alimentar. A paleta está em primeiro lugar. Adoro. Na verdade gosto mais de temperar a danada do que de comer. Muito tempero e horas marinando. Delícia.
Abraço pra ti.

Anônimo disse...

Perfeito...ficou maravilhosa boa dica pois vivo o dilema que meu quase marido só come carne vermelha e eu tenho a missão de inventar e deixar as refeições menos calóricas e a carne de porco é muito mais saudável que a carne de boi... Gislene Moreira