quarta-feira, 11 de novembro de 2015

No Marajó com ópera

Na praia o Pesqueiro, a areia atingiu a copa do ajuru e pudemos colher do chão
as pequenas cerejas amazônicas. 
Estive semana passada na Ilha do Marajó, na mesma fazenda São Jerônimo, para onde sempre vou - são dos pais da amiga Kátia. Ela, que é do teatro, e seu parceiro Caio, que é da música, foram os organizadores do Banquete Ópera Festival. Era pra ser três dias de banquete com ópera. Teve coro, orquestra, cantores líricos, palcos no mangue e na floresta amazônica, tudo muito emocionante. O espetáculo foi mantido apesar de não terem apoio nem venderem ingressos. A parte do banquete é que ficou faltando. O chef convidado desistiu um dia antes porque não havia como atender às suas exigências. Com isto, todos, incluindo a chef Mara Salles e o chef espanhol Andoni Luis Aduriz, entraram na dança da cozinha ao menos para alimentar os que ali estavam. Ainda assim, Dona Jerônima conseguiu fazer pato no tucupi, arroz de jambu, frito do vaqueiro, moqueca de pirarucu, caldo de turu, sopa de caranguejo etc.

Na tarde da ópera no manguezal todo mundo se emocionou com o som e o cenário  - veja fotos e vídeos aí no lado, no meu Instagram.  Até o Zeca Camargo estava lá e marejou os olhos. No dia seguinte, passou no Jornal Nacional e os de casa se aboletaram na sala da casa de tábua, que é onde a TV pegava. Todos sentados em cadeira, na rede, na cama ou no chão. Nesta noite, Andoni e sua mulher Garbiñe se sentaram no chão sentindo-se como se fossem da família.  Com tanta coisa que deu errado, o chef espanhol não se abalou e disse que até se divertiu e descansou, já que o celular não pegava e ele se sentiu num raro momento de paz sem assédios.

E assim, mais ou menos, foi. Fique com algumas fotos - além de outras que já publiquei no Instagram.

Chef Andoni e sua mulher Garbiñe

Passeando de barco depois do festival 

Cena comum nas estradas do Marajó  - capim para o gado

A vizinha Juliana Gago também foi e trabalhou 

Cena comum no Pesqueiro, vila de pescadores

Praia particular e deserta na fazenda São Jerônimo

Praia do Pesqueiro 

Chef Andoni e o pessoal todo vendo o Jornal Nacional que
mostrou o festival 

Meus vizinhos Bruno e Maria também foram para ajudar 

Casario na vila do Pesqueiro 

4 comentários:

silvia lopes disse...



Ah, essas comidas da dona Gerônima... me enchem a boca d'água!!! Lembranças da minha adolescência!

@dddrocha disse...

Amo Belém e ainda vou conhecer a ilha do Marajó... obrigada por compartilhar essa história conosco, vi alguns vídeos da Ópera e foi linda demais! Fiquei com vontade de estar lá no meio da muvuca rs.

Unknown disse...

O Banquete Opera Festival foi liiindo, emocionante.
As comidas d Dona Jerônima são maravilhosas.
Tudo perfeito.
😘😘😘

Maria Duarte disse...

O Banquete Opera Festival foi liiindo, emocionante.
As comidas d Dona Jerônima são maravilhosas.
Tudo perfeito.
😘😘😘