terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A fruta deliciosa. Monstera deliciosa. Compota de deliciosa


Aposto que todo mundo já viu a planta Monstera deliciosa por aí, seja na praça, no quintal da avó ou na calçada da vizinha, sempre grudada a um muro ou a uma árvore. Ou então viu as folhas pintadas em parede, bordadas em almofadas ou decorando vasos de festas. 

O que a gente aprende desde pequena é que é pra ficar longe da planta, super venenosa. De fato, se você resolver morder um pedaço da folha ou o fruto verde vai se sentir beijando um cacto espinhudo, de tanto oxalato de cálcio que vai encontrar, somado a outras substâncias irritantes como enzimas proteolíticas que ajudam a potencializar a lesão.  Ele está na forma de ráfides que são agulhas de cristais que vão cortar sua língua, sua garganta, fazer inchar e até te matar a depender da quantidade e da sensibilidade da pessoa. Acontece que quando o fruto amadurece, toda esta monstruosidade desaparece e você se depara com uma verdadeira delícia, como uma tropical salada de frutas em espiga. A adição de ácido como umas gotas de suco de limão ajuda a diminuir a sensação caso tenha ocorrido ou simplesmente para evitá-la, já que mesmo no fruto maduro algumas pessoas podem sentir em intensidades diferentes. 

A fruta demora um ano para amadurecer e pode ser colhida assim que estiver já bem inchada para que o processo de amadurecimento continue sob observação (é uma fruta climatérica, que amadurece depois de colhida). E como saber quando ela está super madura? Ela vai soltando as plaquetas que são como ladrilhos hexagonais. Para proteger a fruta de insetos, é bom guardá-la em sacos de papel. De vez em quando você dá uma olhada pra ver se ela está se auto-descascando. Mas, de fato, nem precisa conferir. Você vai perceber pelo perfume que inebriará toda a sua casa com um delicioso perfume de frutas tropicais. Uma mistura de abacaxi e banana com um leve toque de jaca. 

Como se fosse uma espiga de milho, a infrutescência é formada por centenas de pequenos gomos unidos por um miolo duro. A diferença é que a polpa tem coloração branca e consistência macia, cremosa, e eles se soltam facilmente do cerne. Entre os grãos aparecem restos florais pretos como pedaços de papel de seda. São inofensivos e decorativos - pelo menos eu acho.  Mas para algumas pessoas eles podem ser irritantes pois ainda apresentam resíduos de oxalato (como em toda a planta).  No entanto, se lavarmos os gomos, estas partículas pretas saem facilmente. O bom é comer da fruta mesmo madura um pedaço bem pequeno,  com ou sem os resíduos florais,  e esperar alguns minutos (dez minutos, vá lá) e ver se não começou a pinicar a língua. Se está tudo bem, coma mais um pouco. Se pinicar, não coma mais e logo passará. Se não pinicar, você não vai querer parar de comer.  É deliciosa, afinal. Porém, é bom comer com moderação.

Originária da América Central, a Monstera deliciosa, é cultivada hoje em todo o mundo tropical, incluindo o Brasil, porém quase sempre como planta ornamental que cresce até em ambientes internos (e neste caso, não floresce). Dizem que era a fruta preferida da Princesa Isabel, mas não achei nada sobre isto a não ser informações sem fonte. Se for, ótimo. Se não, ela continua sendo a deliciosa.  O incrível que mesmo no México, de onde é nativa e conhecida como "piñanona", ela não é tão popular quanto na Ilha da Madeira, em Portugal. Lá, é possível encontrar os frutos em feira de produtores com o nome "banana-ananás". 

Sua propagação é fácil, bastando cortar pedaços do caule e replantar, já que as sementes raramente são encontradas por falta de polinizadores por aqui.  O fruto fecundado teria muitas sementes como grãos de milho.  O que comemos, no entanto, são os gomos sem sementes. 

São vários os nomes da planta mundo afora que fazem alusão à forma das folhas, inconfundíveis. Monstera, o nome do gênero,  é porque elas são gigantes. São ovaladas, em forma de coração, e podem atingir 90 centímetros de comprimento e 80 de largura. Já os desenhos - a folha tem orifícios ovais de tamanhos variados e bordas recortadas -, levam a nomes como costela-de-adão, windowleaf, swiss cheese plant ou cheese plant. Outros nomes e aqueles que se referem-se ao sabor e formato dos frutos : ceriman, fruit salad plant, monster fruit, monstereo, mexican breadfruit, banana-de-macaco, banana-do-mato, abacaxi-do-reino.  
Bem, a primeira vez que a gente come este fruto (em bom estado de maturação, diga-se) nunca mais esquece.  Tomei coragem de experimentar recentemente no Sesc Belenzinho. Fui dar uma volta atrás da quadra pra ver o jardim e me deparei com um fruto no chão, já se descamando. Afastei uma plaqueta de casca e experimentei um gominho da polpa. Era a coisa mais deliciosa que já tinha provado. Imediatamente embrulhei o fruto numa echarpe que tinha na bolsa e saí apressada, louca pra chegar em casa. Logo encontrei outro fruto já inchado mas ainda verde, intacto. Trouxe os dois. O perfume me acompanhou atiçando a vontade de chegar logo. A que ainda estava verde amadureceu rapidamente em um ou dois dias - vai amadurecendo aos poucos, não uniformemente. Assim foi e agora estou namorando uma pinha no quintal da vizinha. 

Não fiz nada com a fruta além de comer com um garfinho tirando gomo por gomo com amigos. Para não dizer que não fiz nada, transformei em compota o pouco que sobrou. Mas dá pra fazer sorvetes, colocar na salada de frutas, rechear tortas, infundir em bebidas como rum, entre tantas outras delícias.  

Espero ter incentivado você a experimentar. Aqui, algumas fotos para não confundir (há outra arácea com folhas parecidas, mas sem os furos nas folhas). E também um vídeo, lá embaixo. 



Na minha vizinha

No Sesc Belenzinho






Compota de deliciosa: Faça uma calda rala e cozinhe nela os gominhos (se
não quiser estes papeizinhos pretos, basta lavar os gomos)


No vídeo acima dá pra ver como reconhecer um fruto maduro e como comê-lo.

15 comentários:

Fabio Barbero disse...

Nossa, tenho uma folhagem gigantesca em casa, "pendurada" em uma arvore.
Nunca soube que eram comestíveis.
Vou me atentar às características descritas e tentar experimentar os próximos frutos... :)
Obrigado.

Vah Netto disse...

Fiquei com vontade de experimentar, ouvi a vida toda que era um veneno e não podia comer. :(
Quando encontrar alguma pelo caminho.. NHAC!!! hehehe
Abraços

Vah Netto disse...

Ps: Que capa mais linda essa nova que você colocou. Um charme!

CarolSuemy disse...

Olá Neide! Parabéns pelo seu blog, ele me traz muitas lembranças boas. Volta e meia sempre te visito! As vezes até sem querer rsrs
Tenho descoberto nomes de plantas que minha avó (bathan) cultivava, essa Monstera é umas delas, nunca experimentamos o fruto, mas me lembro bem do cheiro gostoso e doce que ele tinha, quando estava maduro sempre tinha muitas abelhinhas e formiguinhas degustando, eu era muito obediente e tinha medo, mas sabia que era bom!
Deus te abençoe por me proporcionar uma boa leitura e deliciosas lembranças!

Mari disse...

Neide, me lembrou o marolo essa descrição que você fez. O sabor, principalmente deve ser parecido. Será que um dia todas essas maravilhas escondidas virão à luz como aconteceu com frutas amazônicas e do cerrado?
Linda a nova "logomarca" do Come-se!
Abç.

Anônimo disse...

Neide, a gente fica dois dias sem passar por aqui, e quando volta , já tem novidade, você é incansável .
Casa nova , mudou a capa do come-se, quando entrei, primeiro pensei, iii copiaram até o nome, rsrsrsr, mas ai percebi que era o come-se de roupa nova. Legal.
bjo ana

Neide Rigo disse...

Fábio, é só ficar de olho agora.

Vah, você também, agora que já sabe, fique de olho.

Que bom que gostaram da testeira. Foi presente do meu amigo, o artista Andrés Sandoval.

Carol, o perfume é incrível, né?

Mari, lembra um pouco o marolo, mas está mais para abacaxi.

Ana, pois é, quanto mais trabalho compromissado eu tenho, mais vontade de escrever no blog e fazer outras coisas não remuneradas...

Um abraço,n

Anônimo disse...

Neide, sobre o fruto polinizado que você mencionou, se avançar um pouco no texto verá que identificaram como Zamia furfuracea (http://en.wikipedia.org/wiki/Zamia_furfuracea) e se realmente for essa planta, é hepatotóxica e nefrotóxica, segundo a Wikipedia.

Neide Rigo disse...

Anônimo,
você tem toda razão. Não é da Zamia que estou falando. Todas as fotos que postei são da Monstera comestível, assim como as informações do texto. Obrigada pelo alerta e já excluí o link.
Um abraço,n

Regina disse...

Oi Neide,
Sempre bom ver o que anda fazendo ,escrevendo,colhendo e informando todo mundo sobre suas descobertas . E eu sempre na expectativa do que você vai inventar de bom!!
Enfim,é sempre bom entrar e ver quanta coisa maravilhosa e que ainda existe pessoas que se interessam e se admiram com elas.
Beijo
Regina Nehr

Alessandro Pinto disse...

Por nada, Neide, e desculpe a falha de não ter assinado o post. É que fiquei preocupado pois percebo o critério que vc tem com a divulgação de informações, e como isso passa uma forte confiança achei importante esclarecer. Vai que alguém tropeça no fruto da "outra" planta e resolve experimentar porque você havia comentado...

Anônimo disse...

Conheci como bana-do-brejo. já me ferrei mastigando um pedaço da folha. se morder a fruta verde vai se ferrar da mesma forma. ela costuma crescer no alto das árvores nas florestas também. suas raízes aéreas pendem de alturas imensas passando até de 50 metros. os nativos utilizam como cordas ou para fazer uma gama enorme de utensílios e amarrações, como amarrar cruzamento de vigas, barcos e também estrados de cama ou "tarimbas' como eles chamam. mas depois de madura é mesmo muito goatosa.

Jeferson Carvalho disse...

Nossa do jeito que sou comilão, deu vontade de comer esta fruta, mito bom o texto, gostei, estou pensando em comprar mudas desta planta e plantar por perto de onde moro, olha onde achei as mudas http://www.safarigarden.com.br/muda-de-monstera-deliciosa , abraço.

Cris disse...

Oi! Acompanho teu blogue faz tempo, embora não acho que tenha comentado muito. Para mim, é um dos melhores de TODOS! Pois eu estava pesquisando, de curiosa, sobre a Ilha da Madeira e vi a tal de banana ananás (caríssima, aliás) e pensei: peraí, eu conheço esta planta! E não é que é minha velha conhecida costela-de-adão!! Fiquei curiosa em provar, um pouco com medo de fechar a garganta (tenho pânico de ficar sem ar), mas bem interessada...

Vivien Alcântara disse...

Olá Neide, Li sua postagem sobre a "Monstera Deliciosa". Nós temos algumas no quintal. Eu colhi duas esta semana. São deliciosas! O que eu não encontrei pesquisando na Internet é: "Quais são os benefícios para a nossa saúde se consumirmos esta fruta?"
Agradeço se puderes me responder!
Vivien Alcantara (Blumenau-SC)