terça-feira, 30 de abril de 2013

Oficina no Sesc Belenzinho

Foto: Lúcia Guerra 
Era pra eu ficar quieta nesta semana, mas não posso deixar de falar só uma coisa sobre aquela oficina que dei no Sesc Belenzinho neste último sábado. Adorei. 

Foi um encontro simples, com poucas pessoas - eram só 20 vagas - e com tempo à vontade. E, o melhor, de graça. Conheci pessoalmente alguns leitores do Come-se, fiz novos amigos e, como previa, foi uma tarde gostosa.  Tenho mil críticas a mim mesma, à dinâmica e o conteúdo da atividade etc, e sei que posso melhorar. Mas adoraria fazer mais disso, encontros pequenos com espaço para conversas, interações, tempo folgado.  Os participantes ajudaram, se aproximaram, tiraram fotos, serviram, comeram, trocaram impressões e memórias de fogão e  família. E até presentes ganhei. A leitora Luciana levou macadâmias e a Sarita, carás moelas roxo que também posaram para fotos. 

Fizemos panquecas com carne moída e molho de tomate que minha mãe fazia. Uma coisa boba que tem lá suas técnicas, como a de não usar óleo na frigideira mesmo que não seja antiaderente e como fazer uma carne moída sequinha, para não danificar a massa. Claro, até acertar o calor do fogão elétrico de duas bocas, as primeiras panquecas foram sacrificadas, mas depois ele foi perfeito (o que mais precisamos para uma oficina de culinária além de um fogão de duas bocas e água por perto?). O único homem da turma depois fez questão de virar garçom e foi ele quem serviu as panquecas. 

Uma das estrelas da oficina foi o antigo caderno de receitas da avó da minha amiga Veronika. Páginas amarelas cheias de memórias em formas de pingos de gemas, manchas de gordura, respingos de leite adoçado,  contas do mercado nos espaços em branco, papeizinhos soltos com receitas da televisão em letra caprichada. A brincadeira era que tentassem ler as receitas, mas ninguém conseguiu. Não que a linda letra fosse ilegível, mas ninguém ali entendia húngaro. 

Bem, só tenho a agradecer à impecável organização do Sesc Belenzinho, que teve à frente Aline Medeiros que cuidou de tudo com gentilezas e competência,  e isto facilita muito a vida do convidado.  Minha ajudante foi a amiga Lúcia Guerra,  doutoranda em nutrição na USP, que conheci nas oficinas de Acrelândia, no Acre, num projeto da USP, e que também gosta de cozinhar. De modo que, com uma organização perfeita e uma ajudante graduada assim, não precisei me preocupar com nada além do que me propus a fazer. E ainda fotógrafos não faltaram. Além das fotos da Lúcia, tenho todas estas a seguir  da Andréa, que me mandou depois. Agradecida estou a todos. E que atividade assim seja um exemplo a seguir.  

Fotos a seguir: Andréa Notari












15 comentários:

Gabriel Savaris Ignácio disse...

Querida! Que coisa boa!
Teus compartilhamentos são mágicos e teu blog é muito agradável!
Fiquei com água na boca de visitá-lo próximo ao meio dia! ehhehe
Tenha um ótimo dia
e um bom descanso amanhã, no feriado.
Grande abraço!

Salete disse...

qe felicidadddddddddddeeeeeeeeeee!
volte sempre! rss
....pena que não pude participar :(

Maria de Lourdes Ruiz disse...

Ai Neide será que algum dia você vem aqui pros lados de cá? Esse é o lado ruim de morar longe.

Bjs

Anônimo disse...

Neide

Seu blog esta cada vez melhor!
O que é aquilo que esta na mão da pessoa de unhas vermelhas na foto que voce postou?

Eider.

Gabi disse...

Eu tb adorei ter ido e participado :D

Eider, são os cará moelas que ela ganhou e dividiu com a gente, trouxe o meu para casa.

Estarei presente no próximo encontro tb!

Leticia Cinto disse...

Ai, só vou dizer uma coisa: essas panquecas estão com uma cara ótima! Que legal que foi tão legal :))) Quem sabe num próximo eu consigo participar. Bjs e parabéns!

Anônimo disse...

Maravilha, Neide! também fiquei com água na boca. Deve ficar bonito um nhoque de cará moela roxo, não é?
Parabéns pelo posto e por sua doação.
Abç
Izabel

clau disse...

Oi Neide!
Faz um TEMPÃO que não passo por aqui, e mais ainda que a gente não se vê, mas nem por isso me esqueço de vc, sabia? rss
Estou vendo, por alto, que vc esta bastante empenhada fazendo coisas legais: que bacana!
Então, desejo tudo de bom para vc e os seus projetos!
Bjs!

Anônimo disse...

Hummm, que delícia! Acabei de almoçar panquecas de carne moída. As suas parecem apetitosas! Neide, será que tem chance de um dia vc dar essa oficina no SESC aqui de São José dos Campos?? Adoraria participar ... Eu tb ganhei cará moela e pretendo plantar. Será que demora para brotar?? Bom final de semana para vc! Liliana

Adhis disse...

I really wish I could speak portuguese because this looks absolutely great! Will keep coming back though because photos speak so well for you.

I know there are many similarities between Brazilian and many West African foods

antenado slz disse...



um essa pamqueca ta com uma cara boa

SnuFF* disse...

Sweet! I've just received my free Riot Points!

>> FreeRiotPoints.me <<

Sarita disse...

Neide,
Adorei a oportunidade de te conhecer e de ter compartilhado uma tarde de conhecimentos e trocas... Psicóloga que sou, fiquei pensando que aquele encontro bem que renderia uma ótima vivência, tanto que falamos de memórias, mães, infância, famílias, sabores... Muito bom,não é?
Um abraço,
Sarita Yamazaki

Neide Rigo disse...

Gabriel, obrigada. Tenho o maior prazer de fazer o que faço.

Salete, queria te conhecer. Tanto que o Jura fala de você...

Maria de Lourdes, É só alguém convidar, que eu vou.

Eider, é cará moela. Digite o termo aí no campo de busca e verá que já falei muito dele.

Gabi, foi um prazer te conhecer pessoalmente.

Letícia, obrigada. Será um prazer.

Izabel, certamente vai ficar lindo e gostoso.

Clau, apareça!

Liliana, é só alguém me convidar que eu vou, claro.

Adhis, thank you. Yes, there are many similarities (we are african too).

Antenado, obrigada.

Sarita, adorei te conhecer pessoalmente e, sim, falar de comida é uma boa atividade para vivências.

Um abraço, n

Anônimo disse...

Kkkk, acabei de me achar importante....me vi no seu blog. Estou na foto ai em cima....agachada fotografando.
Yeda, yedamattos@hotmail.com