terça-feira, 24 de julho de 2012

Começando sua criação de abelhas jataís. Armadilha

Esperando as novas hóspedes em Piracaia
De vez em quando as abelhas enxameiam, abandonam a velha colônia para começar uma nova,  e para isto procuram buraquinhos onde possam entrar e construir um ninho. Pode ser tronco de árvores e até escapamento de carro (o dióxido de carbono as atrai), mas também pode ser uma garrafa pet adaptada para ser um lugar escuro, quentinho e com cheiro familiar de cera.


Foi Jerônimo Villas Boas quem fez esta armadilha e me ensinou depois de termos extraído o mel das minhas três caixinhas.  É muito simples.  



Pegue duas garrafas pets e corte o fundo de uma e a parte de cima, quando começa a afunilar, da outra. Lave bem e seque. Na garrafa da qual você tirou apenas o fundo, faça na borda cortada dois talhos em vê com a tesoura, para que esta garrafa cortada se encaixe na outra.  Veja as fotos que você entender melhor. Na outra, que manteve o fundo, esquente um prego ou algo parecido e faça furos. 


Pegue um canudo ou conduíte que encaixe na boca da garrafa e entorte para que faça um ângulo de 90 graus, afinal não queremos que ali entre água da chuva. Jerônimo passou pelo canudo um pano molhado antes, para que com o calor as paredes do cano não colabassem. Depois de moldado o canudo, foi só puxar o pano. Basta então fixar o canudo usando a própria cera de jataí como vedante. Na saída do canudo foi instalado a parte de cima de uma das garrafas, em funil,  formando um colar para evitar a entrada de outros bichos que não abelhinhas voadoras.   


 
Veja aqui a garrafa montada. É só encaixar uma parte na outra - por isto os talhos em vê. Agora dissolva um pouco de cera e/ou batume da própria jataí em álcool e despeje um pouco no interior da garrafa mantida em sentido horizontal (pra não vazar pelos furinhos). Vá girando a garrafa para que o líquido fique bem impregnado nas paredes internas. Escorra o excesso. Quando o álcool secar, as paredes estarão forradas com uma fina camada de cera, que conservará o perfume por muito tempo e atrairá as abelhas. 



Os furinhos que foram feitos na garrafa servem para escoar possível umidade que poderá se formar e o jornal ajuda a absorvê-la, mantendo o interior sempre seco, quentinho e protegido, lembrando que jataís só usam um orifício para entrada e saída. Depois enrole tudo com plástico preto para deixar o novo lar, além de quentinho, também sem luz, que é assim que abelhas jataís gostam, como se fosse o tronco oco de árvore seca.  Agora é fixar num local estratégico ou até na sua varanda e torcer para que abelhinhas enxameadas se sintam atraídas pelo espaço. Assim que começarem a frequentar e construírem ali o novo endereço, é preciso esperar uns quatro meses até transferir a colônia para uma caixa apropriada. Por isto as garrafas são encaixadas - para facilitar depois a abertura e transferência do ninho. A minha engenhoca já está no sítio em Piracaia, mas depois de quinze dias ainda nem sinal delas. Aguardemos! 

7 comentários:

Anônimo disse...

Oi Neide,

Adoro seu blog, já acompanho há anos. Desculpa o enxerimento, mas será que vc poderia falar mais sobre suas recentes plantações? Acabei de me mudar, e estou começando uma hortinha aqui em casa e já li quase tudo que tem no seu blog, mas estou curiosa para ver mais fotos e também aprender mais. Li que vc nem corrige nem usa adubo. Mas tem usado húmus ou alguma outra coisa? E as praguinhas, elas não vêm? E, se vêm, como vc as espanta? No passado, em outra casa, já tive problemas com cochonilhas e moscas brancas, usei calda de fumo, borrifei uma série de outras poçõezinhas mágicas que aprendi (se me lembro bem, foram misturas de plantas batidas com óleo de cozinha). Com as primeiras, apesar de trabalhoso, deu certo. Mas com as moscas brancas não! Enfim, admiro muito seu trabalho e suas palavras e por isso queria ler mais sobre a horta e as plantações no seu sítio!

Abraços,

Paula

Anônimo disse...

Neid e do céu o negocio de abelha e bem complicado né não? a gente vê tirando o mel parece ser fácil mais é bem complicado e trabalhoso.mais to aprendendo.(Diulza)

Carol Guilen disse...

Que legal, Neide! Uma amiga indicou este post porque disse que tb quero criar jataís! Conheci o mel apenas esta semana e fiquei apaixonada!! Que perfume e sabor!!

Neide Rigo disse...

Paula, desculpe a demora em responder. Pois é, por enquanto, eu ainda não estou plantando muita coisa no sítio e não tive tempo ainda de adubar a terra. O que tenho feito é plantado uma coisa ou outra, sem usar nada.

Diulza, parece complicado, mas não é, não.

Carol, é mesmo a sua cara ter jataís em casa. Amanhã tem mais no caderno Paladar.

Um abraço, N

Anônimo disse...

Olá Neide!
Será que você pode me ajudar com algumas dúvidas?
Quem não tem a cera de Jataí para atrair as abelhinhas, como faz? Onde consigo arrumar pedacinhos de ceras? Imagino que só a garrafa não seja suficiente...
Qual a distância de uma colmeia essa armadilha pode ser colocada? Será melhor colocá-la próxima ou distante?
Estou empolgada com a possibilidade de ter uma caixinha de Jataís!
Beijos
Priscilla

Neide Rigo disse...

Priscilla,
A cera você consegue com quem cria a abelha. Há quem esfregue o recipiente com capim-santo. Dizem que também atrai, mas não tenho experiência. A armadilha não precisa estar perto de uma colmeia. Basta que seja num lugar que costuma ser visitado por abelhas jataís. Se quiser comprar uma caixinha já povoada, veja os links que dei aqui: http://come-se.blogspot.com.br/2012/08/mel-de-jatai-coluna-no-paladar-3.html

Um abraço, N

tomasjung disse...

Olá, sou apreciador do seu blog e gostaria de saber: Eu tenho que realizar uma transferência de jatais ( Tronco para a caixa ), quanto tempo de dias bons eu preciso para que as abelhas se adaptem a nova morada ? Se eu transferir as abelhas pela manha, até a noite elas já estarão familiarizadas com a nova morada ? E se no próximo dia esta previsto chuva, posso realizar a transferencial de igual modo ? Grato