quinta-feira, 12 de julho de 2012

Bolinhos de arroz, feijão e banana-da-terra no vapor. Ou quinta sem trigo 51

Para a aula do Paladar - Cozinha do Brasil, passei a noite cozinhando no vapor estes bolinhos. O bom seria comê-los quentinhos e eu pretendia fazer um para cada aluno - eram quase duzentos. Também queria ter tido mais tempo para explicar melhor.  Mas a gente envelhece e continua tendo que aprender mais sobre limites, próprios e alheios. Aprender a se auto-editar é fundamental e eu não me canso de tentar. Mesmo com a amiga Lili aqui me ajudando, chegou uma hora em que admiti, não dá mais, cada aluno vai ter que degustar só a metade de um bolinho, cortando ao meio ainda o estilo, afinal coloquei com pinça no fundo de cada um uma folha de coentro, que tive que rasgar com cuidado para caber na forma. Mas tudo bem, pois o quiabo com pimenta e coentro foi coisa de última hora para o bolinho não ser provado puro, que era o combinado. Ele vai bem com algum molho, alguma nata, um molho apimentado. Os quiabos em rodelas foram crus, apenas temperados com sal,  e cozinharam al dente com o vapor. Na hora de degustar, também seria impossível aquecer, então foi frio mesmo. Também não tive tempo suficiente pra mostrar como foram cozidos no vapor. Era muita coisa para nós três, Mara Salles, Ana Soares e eu,  falarmos sobre as frutas e, como é regra, sempre superestimamos o tempo que nos dão. Culpa só nossa.  Ficaríamos tranquilamente ali falando durante quatro, cinco horas e ainda teríamos assunto.  Mas sorte que tenho aqui o Come-se, onde posso ir explicando tudo aos poucos e devagar, pra quem foi e pra quem não foi. 


A bandeja de degustação na nossa aula no Paladar


Bem,  uma das frutas que escolhi abordar na aula foi a banana-da-terra, pela qual ando cada dia mais encantada, desde que passei a conhecê-la melhor no Acre e pensar nas infinitas possibilidades e bondades de sua massa doce, nutritiva, densa e rica em amido, como vimos no papel de banana e naquele pastelzinho que não levam outro ingrediente na massa que não a própria fruta.  


Mas a massa da banana-da-terra também pode substituir parte ou totalmente o trigo numa série de receitas, como bolos, pães, bolinhos e pães chatos - aqui, um exemplo é aquele beiju com abóbora. Por isto, resolvi acrescentar a massa nos bolinhos feitos com farinha de arroz e farinha de feijão fradinho que já mostrei em outros posts. Banana combina com arroz e feijão servidos separados. E no bolinho não é diferente quando os três elementos se juntam numa só massa temperada apenas com sal, grãos de coentro e de cominho. Nada de farinha, ovo, leite, gordura. Leva sim um pouco de fermento para ficar aerado, já subvertendo um pouco o método tradicional de se fazer os idlis, como são chamados os bolinhos no vapor feito com arroz e feijão. O método clássico, com levedação natural está aqui:  http://come-se.blogspot.com.br/2012/04/bolinhos-de-abobora-com-arroz-e-feijao.html. Também mostrei que a massa pode ser cozida na frigideira à moda das fritadas: http://come-se.blogspot.com.br/2012/05/fritada-indiana-arroz-feijao-e-mistura.html. E aqui vai a receita:


Bolinhos de arroz, feijão e banana-da-terra no vapor 



Numa tigela, coloque 1 xícara de farinha de arroz, 1 xícara de farinha de feijão fradinho (farinha para acarajé) e 1 xícara de massa de banana-da-terra já fria (a banana madura, mas firme, cozida até ficar bem macia e espremida). Junte 1 colher (chá) de fermento em pó, 1 colher (chá) de sal, 1 pitada de grãos de cominho e de coentro moídos na hora e água aos poucos, misturando bem, até formar uma massa densa, com consistência de massa de bolo firme.  Na hora de preparar os bolinhos, unte forminhas de quindim com óleo e coloque uma colher de sopa de massa em cada uma.  Cozinhe no vapor por 10 minutos ou até que a superfície dos bolinhos estejam firmes ao toque. Sirva quente ou frio com nata, coalhada, quiabos, camarão seco.  Se tiver dúvida no modo de preparo, não deixe de clicar nos links que indiquei acima. 

Nota 1: a mesma massa pode ser um pouco mais fluida – diluida com um pouco mais de água, e frita em frigideira como uma fritada, com temperos como tomate, salsinha, coentro, cebola.

Nota 2: se quiser, coloque no fundo da forminha, antes da massa, algum recheio como camarão com quiabo ou só quiabo cru em rodelas, folhas de coentro e pedaços de pimenta. 

Nota 3: você pode deixar que a massa fermente sozinha, sem uso de fermento químico. Basta misturar um dia antes a farinha de arroz, de feijão e a água. Cubra com filme plástico e espere até a massa ficar aerada. No outro dia, complete o preparo, juntando a banana e os temperos.   


Um comentário:

Marjory Aquino disse...

Olá Neide! Sou mãe de Gêmeos de 2 anos e eles estão recusando comer arroz e feijão (acho que pela textura pois já fiz com temperos e sem tempero nenhum) achei a receita de bolinhos de arroz e feijão cozidos no vapor e com abóbora e penso que posso oferecer pra eles. Mudando a apresentação do prato quem sabe uma hora a implicância passa? gostaria de saber como posso fazer essa farinha de arroz e do feijão também no processador dá certo ou preciso de um moedor de grãos? Gostei muito da receita, mas acho que aqui em São José dos Campos não será fácil encontrar...

Obrigada

Marjory