segunda-feira, 9 de abril de 2012

A lobeira e a pegada do lobo guará

Eu bem que já tentei comer e estaria muito feliz se lobeiras fossem deliciosas como bacuris, mangabas, pitangas, mangas e  atemoias, porque em Piracaia tem muito destas berinjelonas redondas no caminho da represa e algumas no nosso sítio. Mas têm cheiro e sabor um pouco enjoativos e embora sejam comestíveis, já fico bastante satisfeita de saber que são o prato preferido do lobo guará, de quem vimos a pegada perto do pé carregado. Já falei delas aqui

Quando testei, estavam maduras, mas agora trouxe duas bem verdes. Elas ainda tem uma chance de me seduzir. Quem sabe, verdes, não sabem a jilós, que eu adoro. Alguém já comeu neste estágio?  Quanto ao polvilho, que usam popularmente como fitoterápico para diversos males, não fiquei animada, mas para quem quiser aprender a fazer e ver os resultados dos testes com animais de laboratório, tem este artigo aqui: http://www.sbac.org.br/pt/pdfs/rbac/rbac_42_04/rbac_42_04_14.pdf




O fruto verde da Solanum lycocarpum e a pegada do lobo guará. 

5 comentários:

angela disse...

Aguardo ansiosa !!! Aqui também tem lobo e lobeira, e bobo e bobeira!!!

maria lucia disse...

Fui com o meu filho fazer a estrada Joanópolis Piracaia, que acho linda, e tentar almoçar lá. Não tivemos muito sucesso qanto ao restaurante, mas voltei com uma abóbora linda, foi irresistível :D Beijinhos

Neide Rigo disse...

Angela, vou ver se tenho tempo para testar amanhã.

Maria Lúcia, eu ainda não conheço esta estrada. Em qual restaurante almoçou e por que não teve sucesso? (fiquei curiosa).

Um abraço, N

aveloh disse...

lindas fotos, especialmente a da pegada do lobo.

maria lucia disse...

Oi, Neide, almocei no restaurante que fica na Praça Santo Antonio. Comi truta, mas não estava gostosa. Não estava ruim, claro. Só um pouco seca, meio gordurosa. Assim, entende? :D Sou um pouco chata nessa parte. Não pus o nome porque achei melhor, é só um pouco primitivo, no mau sentido. Preciso andar mais por ali. Pensei em ligar para a Figueira Grande, mas era domingo de Páscoa, sacumé. Cuide-se.