segunda-feira, 13 de junho de 2011

Pão do coco ou maçã do coco

Nunca tinha comido, mas de ouvi dizer já conhecia. Pedro Martinelli falou há pouco tempo deste alimento, chamado em seu blog de maçã do coco. Outros nomes deve haver.  No livro "Amazônia - Paraíso e Inferno", de Renato Ignácio da Silva, editado pela Biblioteca do Exército, que é um pequeno manual de sobrevivência na selva amazônica, o autor o apresenta como pão do coco e sobre ele diz: "Os cocos caídos no chão germinam no mesmo ponto onde caíram. Nestes, tanto o leite quanto a carne (polpa) são consumidos, mas a cavidade é enchida por uma massa esponjosa, chamada "o pão". Coma esse pão no estado cru ou tostado dentro de uma cuia de coco, sobre as chamas. O seu gosto é agradável e é muito nutritivo. Os brotos de coco podem ser comidos como se fossem aipo."

Na Ilha do Marajó há pilhas de coco por todo canto. Às vezes só as cascas, outras vezes cocos caídos inteiros que ali ficam até brotar. Quando germinam, o líquido nutritivo que costumamos chamar de água de coco, é usado para o que foi programado - alimentar o embrião. E então toda a cavidade do coco é preenchida por uma massa branca e leve como um isopor crocante, cheia de sabor. À primeira mordida sente-se o óleo de coco marcante e, à medida que se acostuma com o gosto, ele vai ficando mais adocicado e viciante. Foi no restaurante Paraíso Verde, em Soure, que provei. O Antônio, proprietário, abriu um para eu ver e provar. Já fiquei imaginando alguns pratos com o ingrediente,  mas não consegui guardar para testar. Provei um pedacinho, outro pedaço para acostumar, mais um porque gostei e, nhac, comi tudo.

 

14 comentários:

Luce disse...

Sempre que vou na casa do meu irmão perto de Ilhéus -Ba, ele deixa vários separados para mim. Nunca comi tostado, vou experimentar. Levei daqui de SP presunto parma para combinar. Fiz uns rolinhos. Fica divino!

Neide Rigo disse...

Luce, que ótima ideia. Deve combinar muito com presunto cru! Imagine com um pata negra. Hum...

Mariana Rosa disse...

Oi Neide,

Sigo o Come-se do meu Google Reader faz um tempo. Mas ultimamente tenho tido mais e mais vontade de comentar aqui!

Quando você postou sobre o cuscuz, chega fiquei com os olhos rasos de água... Faz só dois anos que saí da casa dos meus pais, e o cheirinho de cuscuz com ovo que a minha mãe fazia pra tomar café (pura preguiça de sair pra comprar pão!) ainda me enchem os olhos!


Já comi pão do coco, mas me achava a subversiva por fazer isso nas férias na Bahia!

Queria dizer que você tem uma fã (e vizinha! Também moro no Alto da Lapa) saudosa das comidas da terrinha!

carla disse...

Olá parabens por mais eesa postagem, sempre estou por aqui aprendendo,quando falo que ja vi de tuda,mais ainda não :vc sempre com coisas que me lembram a minha infância,comia muito isso lá no interior do meu Maranhão ,mais lá chamamos de Nascida de coco,isso mesmo...tanto desse coco chamado por nós d coco da praia como tbm do coco babaçú que é fonte de renda de muitas comunidades por lá.. nunca tivemos ideia nehuma de criar oumisturar com alguma coisa, mais era muito bom sabor de ser criança era o nosso algodão doce lá na roça.
abraços ....

Dalva Tupinambá disse...

Neide, como é gostoso ler o que você escreve!Você é daquelas pessoas que onde estiver, é capaz de ver coisas interessantes e partilhar com a gente!
Obrigada!
Abraços carinhosos


Dalva, aqui de Águas da Prata-SP

Apicio disse...

Quando permitido crescer somente ao redor do tamanho de um ovo grande, a textura é muito mais densa e o gosto é muito mais doce. Há outro tipo de coco que filipinos chamam makapuno (quer dicer cheio - porque a carne quase cobre o interior inteiro). A carne é muito mais grossa e a textura é macia e um poco semelhante a borracha. Nós fazemo-los em sobremesa somente cozinhado em xarope o misto em sorvete. http://www.marketmanila.com/archives/macapuno

Apicio disse...

Quando permitido crescer somente ao redor do tamanho de um ovo grande, a textura é muito mais densa e o gosto é muito mais doce. Há outro tipo de coco que filipinos chamam makapuno (quer dicer cheio - porque a carne quase cobre o interior inteiro). A carne é muito mais grossa e a textura é macia e um poco semelhante a borracha. Nós fazemo-los em sobremesa somente cozinhado em xarope o misto em sorvete. http://www.marketmanila.com/archives/macapuno

Anônimo disse...

La vai eu procurar algum coqueiro , que tenha algum coco caido nascendo fiquei com agua na boca e muito mais muito curiosa ... beijos Denise

Comidinhas & Cia disse...

Seu BLOG com suas receitas alegram minha alma! Que receita bacana desse pão de coco...
Sou uma psicóloga que saiu da minha área,pra fazer pães e delicias naturais pra vender...
vou tentar fazer esse pão!
vc dá aula também?
ou tem dicas de quem ensina a fazer pães?
obrigada pela atenção.

angela disse...

Caramba! Nunca soube disso e nunca vi coco caído assim! E olhe que praia de copacabana tinha montes de coqueiros. Sem contar que em Cabo Frio eu tinha um coqueiro exclusivo. Mas não dava tempo pra nada, era coco verde e beber a água! Sempre que te leio, e é sempre, imagino o que minha mãe iria gostar de saber, ela amava experimentar tudo, e foi exatamente vendo-a comer um coco que decidi que eu precisava melhorar meu paladar, coisa que só aconteceu quando parei de fumar. Denise,vamulá procurar coco!!

João Gabriel Margutti Amstalden disse...

Nossa, fiquei muito curioso a respeito desse alimento. adoro tudo que vem do coco!

Neide Rigo disse...

Mariana, adorei seu comentário. Escreva sempre! E que bom saber que somos vizinhas.

Carla, adorei o nome "nascida do coco"! Do babaçu deve ser bom.

Dalva, obrigada!

Apicio, obrigada por me apresentar o makapuno. Fiquei com vontade de experimentar o bolo feito com ele e inhame roxo.

Denise, agora já sabe!

Comidinhas, a que receita de pão está se referindo?

Angela, imagino que não fique coco caído dando sopa em Copacabana. Acho que teria gostado de conhecer sua mãe a julgar pela filha!

João, também gosto!

Um abraço, N

Gabriele disse...

Nossa, adoro coco fiquei tentando imaginar a textura desse pão do coco, fiquei com vontade...mas será que encontraria isso aqui em Santos? Nunca ouvi falar...:/

Beijos

Luce disse...

Os do meu irmão, que falei aqui não são caídos. Ele colhe os cocos e os arruma todos em pé, apoiados uns nos outros, na sombra de uma jaqueira e, rega de vez em quando até que o broto apareça. Ai é só partir. Nunca tentei fazer por aqui, mas acho que tendo o coco é só por para brotar.
http://aragemcontemporanea.blogspot.com/2009/12/maca-do-coco-ou-coco-germinado.html
Deve ficar maravilhoso com o pata negra, Neide