quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Pepino Torto


Tradução: eu coraçãozinho pepinos tortos


É de pequeno que se torce o pepino. Serve para endireitá-lo, adequá-los aos padrões, eliminar o diferente. Nas Centrais de Abastecimento, os pepinos são classificados de acordo com o número de defeitos. E ser torto infelizmente é um defeito que, dependendo da extensão, pode ser muito grave (veja aqui como é feita atualmente a classificação e a porcentagem aceita de indíviduos defeituosos num grupo de pepinos padronizados, de acordo com os tipos Extras, I, II e III). Então, ou se endireita o pepino de pequeno ou ele vai para o lixo na maior parte das vezes ainda no campo porque não vale a pena colher e transportar. A União Europeia já aboliu estes padrões (veja aqui).
Mas isto é só um reflexo da padronização que acontece em todos os campos em relação às gentes - a intolerância pelo diferente nas formas, na condição sexual, na posição social, na cor da pele, na moda, no sotaque etc. Temos que andar nos conformes, na mesma onda, com os mesmos corpos e falas para cabermos no mesmo sistema ou, no caso dos pepinos, na mesma caixa sem desperdício de espaço, sem destoar.
Pois bem, na feira de orgânicos da Água Branca há espaço de sobra para os pepinos tortos em cê ou muito tortos até formar círculos. E quem tem horta sabe disso, que alguns nascem mais tortinhos. E daí? São bons igualmente. Por dentro são verdes e crocantes como qualquer pepino em cilindro perfeito.
Então, vamos lá à salada que sempre fez sucesso na casa da minha mãe, que não bota azeite em pepino nem sob tortura porque murcha; e mesmo sem ter nunca ter estudado química diz que não joga o sal direto nos pepininhos tortos para que não percam a crocância (por osmose). Prefere diluir o sal num pouco de água, juntar suco de limão rosa e despejar por cima da salada que leva cebola, tomates e salsinha muito fresca do canteiro. Prefiro não contrariá-la já que está sempre perfeita a salada da dona Olga. Os meus tomates eram pequenos e também são orgânicos, da feira da Água Branca. E a salsinha é do meu quintal, que já está a pleno vapor produzinho ervas para a cozinha do dia-a-dia.
Esta salada é leve, com calorias quase zero (1/4 dela não deve ter mais que 50 Calorias, chuto com quase certeza), ótima pra comer não antes, como entrada, mas que também pode, mas é boa mesmo pra botar sobre o arroz e feijão quentes recém-feitos.
Salada de Pepino com tomate
500 g de pepinos bons, sejam retos ou tortos, do grosso, do fino, do japonês, do caipira
3 tomates picados
Meia cebola roxa
Salsinha a gosto
1/2 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de água
Suco de 1 limão rosa (usei Tahiti, que era o que tinha, trazido do sítio)
Pique os pepinos, com casca e bem lavados, em cubinhos. Faça o mesmo com os tomates e a cebola. Junte a salsinha picada. À parte dilua o sal na água, junte o suco de limão e despeje sobre o pepino na hora de servir. Misture bem e nhac!
Rende: 4 porções ou mais

10 comentários:

Anônimo disse...

Oi Neide !

Eu tenho uma dúvida, anos atrás eu comprei um daqueles envelopinhos de sementes,de pepinos para conserva, que cresceram espantosamente, e os pepininhos cresciam muito rápido, e logo tornavam-se pepinos aparentemente comuns e bem grandes, a pergunta é, esses pepinos para conserva são apenas os comuns que são colhidos ainda jovens para irem para o vinagre ? Sempre tive essa dúvida, se puder me ajudar...

Abraços
Fabio Okubo

Anônimo disse...

que maravilha de salada deu agua na boca...hum...minha mãe também tem ciência própria na cozinha acho isso fantástico!. Neide adoraria ser sua amiga no orkut já que não tenho um blog para compartilhar com você.Lá tenho algumas fotos de minhas aventuras na cozinha.Daiane G. Albrecht

Gilda disse...

É só ler o seu blog que aprendo todo dia alguma coisa nova. Até já plantei pepinos uma vez, mas acho que aqui é muito quente e não deu nada. Nunca pensei que saíssem uns tão interessantes!

Dricka disse...

Apoiadissima!
Que coisa essa da busca pela perfeição,e quem é o homem para estabelecer regras para a natureza, a natureza só é assim: bela, ainda firme, por enquanto forte, porque é intempestiva, na minha horticula, tudo o que nasce é festejado, e nas feiras eu tenho medo das frutas muito brilhantes, protegidinhas por isopor,minhas escolhas sempre são por aqueles que consigo sentir um cheiro fresco. Ja passou da hora, de pessoas serem avaliadas pelo potencial. E ó coisa feia, né jogar alimentos fora, quando os R estão por ai tentando tentar a busca por um pais melhor.
Essa salada é umas que adoro, mas não resisto o azeitinho, como com pão mais nada.
Bjs

Claudia disse...

Neide,

Me dá uma preguiça essa "adolescência sem fim" das gentes deste mundo. Uma insegurança generalizada diante do diferente e uma dificuldade horrorosa de lidar com a diversidade. E dá-lhe redução, extinção e exclusão. Eu ando com uma preguiça, que te digo...

Enfim, eu compro sempre pepinos orgânicos mas eles aqui ainda tem que ser perfeitos e até os orgânicos são retos e longos e finos, parecem uns modelos de passarela. Mas saborosos.

Eu estou com a Dona Olga. Faço os molhos e separo os temperos mas cada um se serve deles na hora de comer. Eu detesto salada muxiba, como diriam no Rio.

Enfim, essa saladinha de pepino, tomate, cebola e salsinha maravilha grita por umas colheradas de grãos de triguo ou bulgur, não, a libanesa ...

Bj,

C.

Anônimo disse...

Oi Neide,

Que bela reflexao. Realmente, na busca dessa perfeicao inesistente e nem mesmo desejada, vamos estabelecendo formas para tudo, das pessoas aos pepinos.
A saladinha tem uma cara otima. Nao sei se aqui eh tempo de pepino, mas vou procurar.
Um beijo
Gabi (gabgaby)

Anônimo disse...

Uma correcao: no lugar de inesistente, leia-se, inexistente.
Tenho notado que, por influencia do italiano e distracao, tenho feito trocas assim, tambem em palavras como "prossimo" (proximo).
Sorry e mais um beijo
Gabi

Joice Santini disse...

Neide,
faço salada de pepino picadinho desse jeito, mas acrescento azeite no prato. E as vezes coloco grão de bico cozido. Com arroz e feijão quentinho ou até com pão crocante... huuummmmm. Delicia!

Anônimo disse...

Cara Neide,
Dia desses estava no Varejão do Ceasa e me deu vontade de comer salada de pepino caipira. Quem disse que eu achei? Não se planta mais do caipira?
Um abraço,

Mariano

Suen disse...

Sobre a foto: achei que fosse come do contrário (veja: parece "come" espelhado).