terça-feira, 7 de outubro de 2014

Temperos não convencionais do sertão: chalotas, amburana e manjericão

Chalotas do sertão 
Não são só estes itens. Muitos outros que costumamos usar como temperos dos mais apreciados, como hortelã, grãos de mostarda e pixuri, por aqui não são usados na cozinha mas simplesmente como remédios.

Assim, a amburana (que pode ser usada como cumaru ou fava tonka, com mesmo perfume), as cebolinhas brancas (ou echalotes, chalotas) e o manjericão são espécies usadas apenas para chás medicinais. As pequenas chalotas são cultivadas pelas pessoas como um pequeno mimo fitoterápico e vendidas na feira, a preço de 2 reais o maço. São usadas para chá de bebês, para crises alérgicas, gripes etc.

Manjericão, uso como remédio e banho pra crianças
Já o manjericão e a hortelã são usados para chá para o estômago, coração e banho de menino. Ninguém por aqui imagina o manjericão sendo usado como erva para molho de tomate, por exemplo. Na oficina de hoje usei e algumas merendeiras gostaram, outras acharam estranho, por associarem à remédio. Preferem usar coentro. E é incrível como o manjericão por aqui é perfumado - como todos os perfumes da caatinga. E também é incrível a nova descoberta que aprendi com o povo daqui. Um maço de manjericão estava num saquinho posicionado na frente, a meus pés, no carro com cinco pessoas. De repente todo mundo sentiu o perfume. E todos se manifestaram. Hum, que perfume é este? Cada um expressou de uma forma. Quando eu disse que era o manjericão, alguém perguntou? - Ué, passamos sobre um fio de água?, perguntou uma pessoa distraída. - Sim, todos responderam. Foi então que descobri que estávamos passando por um riachinho e que sempre que se passa por alguma água ou poça d´água, o manjericão expressa seu perfume.

Amburana a 1 real. Pixuri, a 2. Mostarda, plantada pelo feirante, a 1. 
Quanto à amburana, quase me confundi quando uma pessoa me disse que usava pra comida.  Insistindo na pergunta, fiquei sabendo que na comida queria dizer para os efeitos da comida, ou seja, para digestão.

Os grãos de mostarda, encontrei na feira. O feirante disse que as pessoas usavam como remédio para alguma patologia, da qual já não me lembro mais. Era só pisar um pouco, juntar água e tomar. Acho que era pro coração. Quando perguntei de onde era aquela mostarda, ele quis me enganar, achando que estaria agregando valor ao seu produto, ao responder que era de Juazeiro, cidade grande, desenvolvida. Quando insisti em saber mais, ele confessou. - Ah, pois, esta aí fui eu mesmo que plantei, na minha roça. Quase se desculpando por ter um produto local.

Os passarinhos abaixo são os que dão colorido à mata branca. O primeiro, cor de laranja com preto, é o sofrê ou corrupião. O segundo, cardial.

Sofrê ou Corrupião

Cardeais

Cardeais

6 comentários:

Guilherme Ranieri disse...

Muito engraçado, né, essa do uso do menjericão? Uma cozinheira (paraibaníssima) lá do restaurante que trabalhei sempre falava - vocês de são paulo acham estranho colocar coentro no feijão, logo vocês que colocam manjericão até(!) no macarrão.
HAHA

Essa do manjericão perto da água, tem toda uma mística envolvida, não?

Ana Canuto disse...

Nossaaaaa, aquelas ceboinhas devem ser muito gostosas num franguinho com molho e polenta.
Esta história do manjericão e da água eu já sabia, até porque quando chove os pés de manjericão do meu quintal chegam a cheirar lá na casa da minha vizinha, segundo ela me conta.
Beijo.

Juliana Valentini disse...

Esse corrupião da foto é de plástico, não é?
Confessa que nessa é você que tá enganando a gente!
Que cor de laranja!
Beijo,
Ju.

Anônimo disse...

Neide uso amburana,como baunilha fica Ó da qui ó.bjs.(Diulza)

Anônimo disse...

É por isso que gosto (tudo bem que quero ir sempre junto) nas suas viagens.
Cada conversa boa, as fotos são como de um colorido plástico.
O manjericão "desperto" pela proximidade da água .
Mto bom.
ana

Unknown disse...

Oi Neide !
Qdo dispomos de tempo sempre visitamos teu blog e nos "deleitamos" com as tuas postagens,principalmente com culinária exótica e saborosa.
Nos deparamos com as fotos dessas aves "cabeça vermelha." galo-de-campina".
Os cardeais tem um penacho ou coroa por isso são chamados coroados

GALO-DE-CAMPINA

Ave vermelho e cinza.
cujo nome científico é:
Paroaria dominicana-(Galo-de-Campina)
Cardeal coroado
Paroaria coronata(cardeal)
(Miller, 1776)

Att
JATeixeira