terça-feira, 13 de setembro de 2016

Cenoura orgânica de Piracaia em Pesto e Pão

Colhi um pouco, deixei outro tanto na terra. Orgânicas, as cenouras estavam docinhas e as ramas, de um verde radiante. É claro que não dá pra desperdiçar ramas frescas e sem veneno.  Viraram pesto, pois.





Foi só lavar, tirar os talos mais grossos e triturar no processador junto com cebolinhas e manjericão também colhidos na horta além de macadâmias da Casa da Macadâmia, cultivadas em Piracaia - e compradas no Armazém Santa Sofia. Com azeite e sal. Dura uns dias na geladeira.  Uma parte foi pra filha, outra ficou ainda sem destino certo na geladeira. Hoje o pão feito com a cenoura propriamente dita pedia uma manteiga verde que foi feita misturando partes iguais de manteiga molinha com o pesto pastoso. E nhac!  Acompanhado de kombucha de pitanga (o kombucha  pronto, deixado em contato com algumas pitangas amassadas por 2 dias em vidro fechado e depois engarrafado com 1 colherada de xarope de hibisco). Deixe fora da geladeira por cerca de 3 dias e leve à geladeira. Use garrafa pet apertada no meio se quiser controlar melhor a fermentação. Mas deixe que explico no próximo post.

Quanto ao pão de cenoura, não tem segredo. Uso sempre a mesma fórmula, só mudando o legume, a água e os temperos. Aqui vai.

Pão de cenoura com fermentação natural

200 g de fermento natural (levain, reformado cerca de 12 horas antes)
300 g de cenoura cozida
200 g de água (aproximadamente)
500 g de farinha de trigo
10 g de sal  (1 colher de sopa)
1 punhado de uvas passas
Uns raminhos de alecrim fresco

Bata no liquidificador o fermento, a cenoura e parte da água (reserve uns 50 ml). Passe para uma tigela, junte a farinha de trigo e o sal e misture bem. Se precisar, junte o restante da água. Se precisar, junte ainda mais (a quantidade vai depender da umidade da cenoura).  Junte o sal, as passas e o alecrim e amasse com as mãos só até a massa ficar homogênea - não é uma massa firme. É mais para grudenta. Passe para uma bacia de plástico levemente untada com óleo, feche bem e espere meia hora. Dobre a massa como se fosse um envelope. Feche e espere mais meia hora. Dobre de novo e espere mais meia hora. Faça uma bola ou um pão de formado mais alongado com massa e coloque pra crescer numa cestinha forrada com pano de algodão ou linho bem enfarinhado. Deixe coberto com plástico em temperatura ambiente. Quando a massa estiver crescida (aperte com o dedo - ela volta rapidamente à posição anterior), e isto pode demorar de 2 a 6 horas a depender da temperatura, leve ao forno bem quente (250 ºC) uma panela de ferro com sua tampa (que possam ir ao forno e que comportem a massa de pão, claro). Depois de uns 20 minutos, enfarinhe bem e despeje a massa. Faça cortes com lâmina bem fina, tipo Gilette. Feche a panela e deixe assar por 20 minutos. Tire a tampa, diminua a temperatura para 220 ºC e asse por mais 30 minutos.  Desenforme, espere esfriar e só então corte as fatias.


9 comentários:

Daniel Avila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Avila disse...

Oi Neide. Adorei a receita. Acho que vou experimentar com o meu primeiro levain, que vai ficar pronto esta semana.
Muita paz.

Daphne disse...

Neide, voce acha que daria certo com fermento instantaneo?
bjs

adelia sylvia penna ramos disse...

Oi, Neide! Tenho uma enorme curiosidade: por que a gente, ao fazer levaiBeijão,
adelia

Cabeça de Frade disse...

Jamais imaginei que poderia fazer pesto com as ramas da cenoura!!! Neide, aprendo tanto contigo que vai levar uma vida para agradecer! MUITO OBRIGADA por manter este blog!!

adelia sylvia penna ramos disse...

Que loucura! Meu comentário aí em cima saiu pela metade! A minha curiosidade é saber o porquê de se descartar metade, a cada dia, quando se faz levain. Sou daquelas que odeiam jogar fora qulquer tipo de alimento - será que, se fizermos com menos quantidade desde o início não daria pra não descartar? bjs

Celina disse...

Ai,agora fiquei obcecada em experimentar esse pesto, tanto que já comecei a minha plantação de cenouras na janela da cozinha...Por enquanto tenho uma tampinha de cenoura lançando um brotinho solitário...Acho que até o final do ano conseguirei fazer a receita!...rs!...

Celina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leticia Cinto disse...

Oi Neide! Fiz o pesto! Usei só as folhas da cenoura porque os talhos não estavam tão macios (mas aproveitei-os numa sopa). Como não tinha nenhum manjericão, juntei umas folhas de salsinha. Fiz como vc mostrou e congelei uma parte porque era muito para nós (congelo em forma de cubos de gelo). Na parte que usei na hora, juntei um pouco de limão e um queijo parmesão. Ficou uma delícia! Nunca mais vou dispensar as ramas de cenoura orgânica, obrigadão pela dica :)