segunda-feira, 18 de abril de 2016

Doce de batata com flores de sabugueiro

Se você acompanha o blog e meu Instagram, deve ter se fartado já de tanta batata-doce roxa. Eu não. E por isto, enquanto tenho dela, fico cada vez mais encantada. Talvez todo este encantamento se dê só e puramente porque foram as batatas que plantamos e colhemos na horta, com tanta história para contar. Ou talvez porque seja boa mesmo.

As batatas amarelas ou roxas são consideradas batatas industriais, mais usadas para o feitio de doces. Por serem mais úmidas, nos Estados Unidos são conhecidas também como sweet potato yam. Mas acabou ficando só yam, o que gera tanta confusão como entre o taro, cará e inhame por aqui. O cará maior, o africano,  por lá também é yam. E aqui o taro é conhecido como inhame-japonês. Mas deixe pra lá, que isto é conversa pra mais de hora e já foi abordado aqui.

No mercado a gente encontra doce de batata-doce com nome de marrom-glacê, tradicionalmente feito na França com castanha-portuguesa - e que não é só portuguesa. E assim os nomes vão se embaralhando.

O importante agora é que você reconheça uma batata-doce roxa - veja posts de dias atrás. Não é tão fácil encontrar, mas aqui em São Paulo às vezes aparece na feira de orgânicos do Parque da Água Branca ou na feira do Ceagesp. Confira no site os horários.

E aí sim poderá fazer este doce para cortar e comer com queijo. A receita é comum a batatas de todos os tipos e os pedaços podem ser comidos com queijo fresco. Eu gosto com nata ou creme, queijo fresco de vaca ou de cabra. As flores de sabugueiro foram inspiração de última hora olhando o grande cacho de flores brancas e perfumadas que enfeitada a horta comunitária. Na geladeira eu tinha o xarope das flores de sabugueiro e foi só misturar.

Vamos à receita, pois:

Com queijo de cabra. Nhac! 

Doce de batata doce roxa com flores de sabugueiro 

500 g de batata doce roxa cozida
1 xícara de açúcar cristal orgânica
1/2 xícara de água
1 pitada de sal
1/4 de xícara de xarope de flores de sabugueiro
4 colheres (sopa) de agar-agar
1 colher (sopa) de açúcar de baunilha natural ou 1 colher (chá) de essência de baunilha
Flores de sabugueiro para decorar

Processe a batata doce com mixer até virar um purê. Reserve.  Em uma panela cozinhe o açúcar misturado com a água até ficar borbulhante. Junte a batata doce e bata bem com batedor de arame. Deixe cozinhar em fogo médio, mexendo de vez em quando até a mistura começar a se soltar do fundo da panela. Com o fogo desligado, junte o açúcar de baunilha e o xarope e misture. Polvilhe o agar-agar e espere uns 10 minutos. Ligue o fogo, em modo baixo, e cozinhe mais um pouco, cerca de 10 minutos,  mexendo sempre com o batedor de arame. Desligue o fogo, espere amornar e coloque num recipiente forrado com plástico - eu usei uma forma de requeijão cremoso. Deixe na geladeira de um dia para outro. Desenforme, aplique algumas florezinhas e sirva em pedaços.  Com queijo e nhac!

Rende: 8 porções


5 comentários:

Anônimo disse...

Que delicadeza! Da sugestão e da dona da sugestão!!
Clarice.

Celina disse...

Mais uma que eu aprendo com você! Agora vou prestar mais atenção nas árvores plantadas nas calçadas na esperança de encontrar um sabugueiro e conseguir uma mudinha!

Anônimo disse...

Neide,

alguma ideia de onde encontrar a batata doce roxa para comprar?
Eu só consigo encontrar aquela com a casca roxa, mas por dentro amarela.

obrigada,

Claudia

Unknown disse...

Amo batata doce roxa!
Pra essa receita, só não recomendo fazer muito mais do que 0,5kg de batata. Aqui eu fiz 1,3kg e ficou muito pesado pra mexer, principalmente depois de colocar o agar agar.

Fabiane disse...

Fui fazer a feira hoje de manhã, meio tristonha por causa de problemas pessoais e na banca que comprei radite tinha uma bacia com algumas batatas doce roxas, roxinhas de casca e polpa!!assim do nada apareceram por la, coisa que nunca tinha visto.
por causa da tristeza me deu até vontade de chorar quando vi, numa mistura louca dos sentimentos.
vim correndo catar essa receita tua pra fazer.. vou omitir o xarope de flor de sabugueiro por motivos obvios e segunda vou no mercado publico comprar agar agar.