terça-feira, 19 de abril de 2016

Berinjelas tostadas

Esta é uma daquelas facilidades de vida que a gente cansa de fazer em determinada época e depois esquece pra sempre até alguém te apresentar novamente como uma verdadeira novidade. E assim foi para mim. Fazia berinjelas tostadas na chama para preparar babaganush (nem a grafia me lembro mais). A novidade apresentada pela Stela Vieira, que conheci pelo instagram e que veio aqui buscar ramas de batata-doce, é que ela tempera a berinjela só com alho, sal e azeite, sem molho de gergelim. Claro, com tahine é uma delícia, mas este não é o tipo de produto que eu sempre tenho na despensa. Diferente do azeite, do sal e do alho que nunca faltam na maioria das cozinhas. E a safra da berinjela, minha gente, deve ter sido muito boa. No Ceagesp, recentemente, estava custando um real o quilo. E na feira aqui perto também as bacias estão custando um real. A orgânica é um pouco mais cara e se você tiver acesso a ela, é lógico, é sempre melhor, não tem discussão.

Então, mãos a obra. Faça e guarde na geladeira por até uma semana. Fica com sabor de defumado delicioso e vai bem com peixes, saladas, pães. É ótimo para acompanhar cervejas e petiscos. Boa saída para quando temos que levar uns comes nos encontros com amigos. Receita, receita, não há - deve haver, mas nunca fiz com medidas. Aqui, vou só dar a ideia e você vai ajustando ao seu gosto. Combinado?



Berinjelas tostadas 

Coloque uma grelhas sobre a chama do seu fogão e apoie nelas as berinjelas. Se tiver várias grelhas, melhor, pois dá pra queimar 2 berinjelas por chama, suja menos o fogão e te desobriga de ficar tutelando. Se não tiver nenhuma, espete a berinjela com garfo e fique segurando a certa altura da chama para que não encoste diretamente nela - poderá apagá-la. Vá virando a berinjela para que fique tostada em toda a superfície e fique inteiramente molinha. Se tiver partes firmes, toste este pedaço. Espere esfriar, abra ao meio e vá tirando a polpa com uma colher, com cuidado para não pegar junto a casca queimada. E vá observando também se não há nenhuma larva ou parte preta entre a polpa. Se tiver, descarte. Se, por acaso, a larva for bem branquinha e passar despercebida, é o tempero proteico que faltava ao prato. Não vai fazer mal algum, acredite. Bem, tento raspado toda a polpa e colocado numa tigela, pique grosseiramente se quiser e agora é só temperar com bastante alho socado ou finamente ralado, sal e bastante azeite. Coloque num recipiente bem fechado e guarde na geladeira por até uma semana. Se quiser, acrescente um pouco de pimenta calabresa, mas não precisa, pois o alho já dá uma boa picância. Sirva com pão e nhac!




4 comentários:

Celina disse...

A minha saudosa mãezinha assava as berinjelas desse jeito e comíamos temperadas com shoyu e limão. Era a mistura pra acompanhar o gohan, arroz branco japonês...uma refeição muito simples, mas saborosa!

Celina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Eu amo essa berinjela tostadinha! Só não consigo superar o "coró", ainda vai demorar para aceitá-lo como fonte proteica... quem sabe um dia?
Abraços, boa semana
Cris Yumi

Silvanio Alves Lima disse...

Aqui em Nossa Senhora do Socorro-SE, nunca fiz assim tostada sempre como com alho e azeite de oliva fica uma delícia aparenta a gordura da carne. Kkkkkk
Mas vou tentar fazer desse jeito.