quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Beiju de mandioca com içás

Estava no Marajó quando alguém postou no instagram um formigueiro em revoada. Imediatamente escrevi para os caseiros e recomendei que não se esquecessem de mim quando saíssem as içás.   Para minha surpresa, a revoada por ali já tinha acontecido e as formigas já estavam congeladas. De modo que tenho um certo suprimento de tanajuras para o ano, até o início da próxima temporada de trovoadas no ano que vem.

Pode fritar a formiga inteira e só depois descartar cabeça, tórax e cintura
(come-se o gordo abdômen). Ou já separa antes a parte comestível 




Sim, vou fazer a tradicional paçoca de içás, mas por enquanto o que me veio à mente foi usar a massa de mandioca que tinha na geladeira para fazer um beiju macio salpicado de crocantes içás que dourei antes na banha de porco até que ficassem cozidas e listradas - só a parte do abdômen, sem cintura, cabeça e tórax.   Foi só espalhá-las no fundo da frigideira junto com umas rodelas de pimenta e peneirar a massa de mandioca por cima. Fogo baixo, frigideira tampada, até se soltar das beiradas. Virei, deixei cozinhar mais uns minutinhos e aí está.

Já mostrei como fazer estes beijus de mandioca aqui e falei sobre içás ou tanajuras ali e acolá.  

Muito bom!

Um comentário:

Anônimo disse...

Hummm! Me lembro do sabor salgadinho das tanajuras bem torradinhas que meu pai fazia, mas hoje não tenho mais coragem de comê-las. (Neusa)