quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Quinta sem trigo. Pão de arroz com sementes e fermentação natural

Ontem cozinhei com Mara Salles e Ana Soares para comemorar os 25 anos do restaurante Tordesilhas, mas desta experiência falo amanhã. Hoje, para manter a tradição do quinta sem trigo que vem sendo quebrada semana a semana, deixo a receita do pão de arroz com fermentação natural porque ficou muito bom. 

Estamos fazendo vários testes com farinhas para nossa aula no Paladar Cozinha do Brasil (saiba mais e ingressos aqui). Uma das receitas que foi unanimidade até agora foi este pão de arroz com mandioca que fiz baseado no velho e clássico bolo de arroz com coalhada e fermentação natural que se faz no Centro-Oeste e que já publiquei aqui. Só que acrescentei mandioca cozida. Lá vai minha fórmula com a ressalva de que você pode adaptar respeitando mais ou menos a proporção de secos e molhados. 

Pão de arroz com sementes e fermentação natural

250 g de mandioca cozida e amassada
250 g de kefir ou coalhada ou leite ou água (usei Kefir)
250 g de farinha de arroz branco
1 colher (sopa) de óleo de girassol orgânico
1 colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de mel
1/2 xícara de sementes inteiras e/ou picadas (nozes, chia, girassol, abóbora, linhaça, gergelim)

Bata no liquidificador a mandioca com o kefir. Passe para uma tigela e junte os demais ingredientes. Coloque em forma de bolo inglês untada e enfarinhada com fubá ou farinha de arroz. Polvilhe fubá ou farinha de arroz, cubra e deixe fermentar por cerca de 12 horas ou até a massa ficar levedada.  Leve para assar a 200°C  por cerca 40 minutos ou até ficar dourado e seco por dentro (teste com palito). Desenforme e espere esfriar totalmente antes de fatiar.

Rende: 10 porções 

5 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Neide.
Sou uma leitura assídua do seu blog, e tenho aprendido muito com ele.
Hoje vou testar a fermentação com kefir. Já preparei a massa do pão de arroz com mandioca, que está fermentando.
Aliás, tenho usado muito seu blog para fazer outras receitas com kefir. Ontem mesmo fiz chancliche, e ficou uma delícia! Mas fiquei com uma dúvida: quando drenamos o kefir, os lactobacilos não vão embora na água? Aliás, é recomendável beber o soro drenado?
um abraço,
Virgínia

Neide Rigo disse...

Oi, Virgínia! Que coisa boa que me conta. Adoro saber que o Come-se serve para incentivar os leitores a irem pra cozinha.
Sim, no kefir drenado parte dos microorganismos se vão, mas outro tanto ainda fica. O soro pode ser usado em receitas ou em vitaminas.

Um abraço,n

Guilherme Ranieri disse...

Neide, que coisa linda!

João Caetano Camargo disse...

Oi Neide!
Tudo bem?
Sou bem iniciante na cozinha e resolvi fazer esta receita.
Fiz exatamente do jeito que você comentou, porém já se passaram 13 horas e o pão continua do mesmo jeito que deixei à noite.
A massa não levedou.
Tem algo que eu não tenha feito?
Posso assar assim mesmo, ou aguardo um pouco mais?
Obrigado e parabéns pelo blog!
Abraços!

Anônimo disse...

Oi Neide,
Estou tentando me livrar do glúten e me lembrei da "quinta sem trigo" rsrs e me deparei com essas receitas deliciosas, quero começar a fazer meus próprios pães, e queria usar fermento natural mesmo mas não entendi direito como se dá essa fermentação, é o kefir que vai fazer o pão fermentar ? desculpe a pergunta de iniciante ok
Bjs da Roberta