sexta-feira, 10 de abril de 2015

Focaccia al rosmarino

Porque sexta-feira é dia de lanchar. Minha mãe nunca fazia a janta tradicional na sexta-feira. Porque no outro dia era dia de descanso do pai e da marmita. Então, podia ser uma sopa ou uma pizza retangular de massa grossa, que todo mundo adorava. Era só mussarela e tomate como cobertura. Pra gente era como dia de festa.

Focaccia ela nunca fez. Tampouco eu havia feito até agora - e nada mais é que uma massa mais grossa de pizza, mais azeitada e com uma cobertura mínima. Mas outro dia estava vendo o livro Scuola di cucina Slow Food - Pane, pizze e focacce (Slow Food Editore) e deu vontade de arriscar a receita para a sexta-feira de folga - já que neste dia, como minha mãe, raramente faço jantar porque Marcos não vai levar marmita no sábado. E sexta a sexta vou inventando.

Gostei muito do resultado, é uma receita fácil e rápida, e já repeti outras vezes. Deixo aqui, portanto, a fórmula apresentada no livro para você também se aventurar.  O preparo, apenas com azeite por cima, é típico de Gênova, mas você pode acrescentar alecrim, salvia e outras ervas além de azeitona ou cebola crua picada grosseiramente, como se faz na Liguria. Isto é o que diz o livro.  O que é importa é que esta com alecrim fica muito boa.


Focaccia al rosmarino

500 g de farinha de trigo branca orgânica
20 g de fermento biológico fresco
300 ml de água
10 g de sal
25 g de azeite de oliva
Para a cobertura
50 ml de água
50 ml de azeite
5 g de sal
Alguns galhos de alecrim (rosmarino)

Coloque na batedeira a farinha, o fermento, a água e o sal na batedeira - se tiver uma que bata massa de pão. Se não, sove manualmente. Na batedeira, bata por cerca de 10 minutos ou até a massa ficar bem lisa. Incorpore o azeite aos poucos. Passe a massa para uma tigela untada de óleo, cubra a massa com pano e deixe repousar por meia hora. Estenda a massa em uma assadeira média retangular untada com azeite. Vá amassando com as mãos, até ocupar toda a assadeira. À parte, misture os ingredientes da cobertura e esparrame metade desta emulsão sobre a massa. Com os dedos vá furando toda a massa e despejando o restante da emulsão para que entre nos fossos formados. Espalhe por cima folhinhas de alecrim.  Leve ao forno preaquecido a 240 °C e deixe assar por cerca de 15 minutos ou até ficar dourado.  Abra um vinho e nhac!

Rende umas 8 porções







6 comentários:

Anônimo disse...

Calzone, focaccia e outros.

Pode ser assistido ao vivo gratuitamente goo (ponto) gl/KPZnh6

Anônimo disse...

Neide, que foto maravilhosa.. essa massa foi de dar água na boca. Lembra, mesmo, infância... Vamos ver o que consigo, sem a batedeira. Obrigadissima pela sugestão. Abraço.
/Jeane/São Paulo

Nadia Marrach disse...

OI Neide! Vou experimentar esta receita, porém na versão preguiçosa, usando a máquina de pão para misturar e fermentar!! Agora o mais incrível foi descobrir que outra mãe além da minha faz pizza retangular com massa grossa, só com molho e mussarela. Faz parte daquela lista de comida de mãe que eu morro de saudade! Beijos!

Charles Nankin disse...

Oi gente. Estou procurando estas comidas frescas em Goiania:
1. raiz da chicória (chicoria root)
2. alcachofra-girassol / tupinambo / girassol batateiro (Jerusalem artichoke)
3. folhas de dente-de-leão / taráxaco / papai-careca / amor-de-homem / vovô-careca / amargosa / alface-de-cão / salada-de-toupeira (dandelion leaves)

Thanks,

Diego Manoel disse...

A minha não deu (muito) certo, cobri com tomate, pimenta dedo de moça, alecrim e alho desidratado, não ficou crocante, mas ficou mt bom! Correndo da cozinha p não pegar outro pedaço...

Anônimo disse...

Olá, Neide. Fiz a minha com fermento biológico desidratado. Precisa de um tempo maior para crescer do que os 30 minutos da receita original.

Outra coisa, os 50 ml de azeite e água da cobertura demoraram muito para evaporar. Tive que deixar uns 45 minutos no forno para ficar dourado como a sua foto.