sexta-feira, 17 de abril de 2015

Abacaxi com sementes? Não. Ananás!

Ontem falei de plantar abacaxis e ananazes a partir da coroa. Está certo que é mais rápido - e deve ser assim que é plantada a fruta comercialmente - plantar as mudinhas que saem na base, mas a coroa também dá fruto, ainda que demore. E, como eu disse, que dê uma bela planta de vaso, já está valendo. 

O ananás, fruto nativo não domesticado, parece ter nascido espontaneamente no sítio - passarinho?, e só este ano nos deu um fruto bastante espinhudo não só na coroa mas também em toda a casca. Dá pra ver por sua aspereza que é um fruto indomável, não melhorado por seleção natural ou artificial. Está como veio por estes matos afora. Mas sua genética pode ser útil quando precisarem selecionar frutos rústicos e resistentes a determinada praga. Daí a importância de preservá-lo ainda que seja selvagem. 


Frequentemente confundido com o abacaxi, o Ananas sativus, de forma cilíndrica-arredondada, tem casca avermelhada, é menor que o abacaxi, tem polpa doce, ácida e perfumada como o primo. Uma coisa interessante é que estas variedades silvestres podem apresentar muitas sementes. 

Embora as duas frutas sejam comuns no Brasil, principalmente no Nordeste, o ananás vem sendo pouco cultivado e tende a desaparecer. Uma pena. 
Com a polpa fiz uma bebida fermentada tipo paiauaru - depois mostro fotos. E com a casca, aproveitando a raridade de se ter um fruto orgânico, cortei em pedacinhos e sequei para fazer chás com ervas.  Lavei bem com escova, piquei e sequei no forno a 40 graus por uma porção de horas. 

Algumas citações de viajantes: "O licor 'Nanâi' também deriva seu nome da excelente fruta denominada Nana ou Ananás e constituia bebida mais forte dos nativos" - NIEUHOF, Johann. Memorável Viagem Marítima e Terrestre ao Brasil (1640-1649). 

"[...] o sabor dos ananases é muito doce [...]. A natureza deste fruto é quente e úmida [...] de cujo sumo, quando são maduras, os índios fazem vinho, com que se embebedam; para o que os colhem mal maduros, para ser mais azedo, do qual vinho todos os mestiços e muitos portugueses são mui afeiçoados." SOUSA, Gabriel Soares de. Tratado Descritivo do Brasil (1587). 

3 comentários:

lili disse...

Come-se também é cultura!

Ines Porfirio disse...

Como sempre cultura com cheiro e sabor. Fiquei alarmada ante a possibilidade de extinção do ananás, que, da família, é o único que não me dá alergia...E tb fiquei com vontade de guardar as cascas secas para chá mas, aqui tá difícil encontrar frutas orgânicas. Mais uma vez sou grata pelo seu lindo trabalho.

Luiz Avanço disse...

Neide, vc tem sementes dele que possa compartilhar?
Gostaria de preservar o ananás!

Um beijo.