quinta-feira, 12 de março de 2015

A mala da volta de Uauá

Estou de volta pro meu aconchego, trazendo na mala bastante coisas de comer, de plantar, de lembrar. A temporada no sertão foi de muito trabalho, mas também de novas descobertas, de aprofundar conhecimentos, desfazer mitos. Aos poucos, vou contando aqui tudo aqui sobre o trabalho com as merendeiras de quatro municípios.

No fim da expedição ainda teve o Festival do Umbu, com lançamento da cerveja de umbu e onde a gente sempre encontra novidades como o cupuaçu em pó do sul da Bahia, as castanhas do Brasil, do Acre, vinagre de umbu, etc. Da caatinga trouxe um pedaço também: flores e folhas de catingueira para chá, umbu verde para umbuboshi, folhas de umbu para infusões e sementes de cactos xique-xique, rabo de raposa, mandacaru e palma de ema  para plantar ainda não sei onde. Fora as florezinhas.

Para quem tem instagram (o meu é neiderigo), já deve ter acompanhado parte do trabalho pois fui publicando fotos no calor do momento - mesmo quem não tem pode ver as fotos aí do lado direito, clicando nelas.  De qualquer forma, espero poder registrar toda a viagem, com assuntos interessantes ou fatos menores nem tanto, nos próximos dias.




3 comentários:

Guilherme Ranieri disse...

Poxa, estava com tanta saudade! Tenho certeza que a mala está cheia de lindas histórias. Aguardamos ansiosamente!

Osmar Mosca Diz disse...

Oi Neide, que bom ter voltado! Bom também você ter podido vivenciar mais esta experiência no Sertão baiano e agora poder contar pra gente aos pouquinhos. Guarda alguma sementinha pra mim. Beijos e abraços, osmar

analice disse...

Neide, estou ansiosa para saber mais sobre o que viu em Uauá. Obrigada por compartilhar conosco as suas experiências.