quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Cozinha sem desperdício de água. E vamos regar as couves


Meu canteiro na calçada, sempre verdinho, regado com água da cozinha
Minhas mostardas e brócolis na jardineira
Hoje a capa do Paladar é sobre desperdício e sustentabilidade na cozinha - que fala sobre vários tipos de desperdício e formas de reduzi-lo. Sempre economizei e aproveitei o máximo na cozinha, mas, desde que a água do sistema cantareira começou a baixar, apertei ainda mais os cintos. Se muita gente achava exagero, agora é realidade, e o que ando fazendo - e várias pessoas que conheço também-,  já não causa tanta estranheza . É que o racionamento de água chegou e temos que dar um passo adiante. Embora ninguém fale nada - oficialmente não estamos tendo racionamento (quem acredita?), e embora muita gente ainda acredite que é possível continuar tomando banhos por mais que cinco minutos, jogando fora água sem culpa, é preciso ir além, pois o racionamento é necessário e já chegou - independente de quem seja a culpa. 

Sei que muita gente que mora em prédios ainda não sentiu falta de água, ainda não se deu conta de que precisa mudar hábitos e que o racionamento está acontecendo. Mas aqui no bairro da Lapa, todas as noites, as torneiras com água da rua secam. Quem tem caixa d´água grande pouco se importa.  Não é o caso da maioria da minha rua, parece, e as pessoas estão começando a se preocupar, independente do poderio de armazenamento. Já não vejo ninguém por aqui lavando calçada.  A gente vai conversando com um, dando ideias pra outro, e aos poucos a vizinhança vai trocando informações sobre o melhor jeito de economizar. De minha parte, fiz várias modificações, mas só vou citar por enquanto o que é possível fazer na cozinha. Depois conto como estou lavando roupas.  

Para economizar água na cozinha, basta colocar uma bacia na cuba da pia e ir juntando a água sem sabão para molhar as plantas, por exemplo. Não rego mais meu jardim ou horta com água de torneira. Toda água de enxague ou de lavagem de mão, de pano de pia ou de verduras e frutas, fica armazenada num galão de 50 litros. Despejo as águas da pia e, uma vez por dia, consigo regar todas as plantas, que seguem saudáveis. Furei o galão embaixo e instalei uma mangueira com rolha. Suspendi o galão e pronto, quando quero é só abrir a torneira. Para ficar prático de despejar a água, embuti um funil feito com embalagem de água sanitária e para a água não ficar suja de restos de folhas e comidas, coloquei uma peneira na boca. Uma vez por dia lavo tudo e tampo. 
Até as abelhinhas destas duas caixas têm à disposição água de reúso 
E rego minhas plantas todas sem culpa. Até as abelhinhas jataís têm à disposição água que usei pra lavar verduras. E o resto das verduras, claro, vai para o minhocário ou para a compostagem geral que fica no sítio. Tudo isto volta para as plantas que planto, colho e como. Simples assim.  

A gambiarra para armazenar água e o minhocário que eu
mesma fiz

9 comentários:

alexandre e alana disse...

Parabéns por esta atitude sustentável. Excelente esta divulgação entre os vizinhos de como economizar água.

Pimentinha disse...

Muitos Parabéns! Temos todos, mais do que nunca, de nos preocupar com o meio ambiente.
Bjinhos

Anônimo disse...

Neide, aqui em casa (Itu-SP, que historicamente é uma cidade com problemas de seca) estamos desde o começo do ano com racionamento por horário, tendo sido ampliado há um tempo atrás para dia sim, dia não. Isso para quem consegue pressão para que a água suba até a caixa, pois em certos dias chega só um fiozinho e em alguns lugares 2 a 3 semanas sem água não é incomum.

Em casa, por sorte a água tem vindo pontualmente, dia sim dia não, de madrugada. Temos 2 caixas de 500 litros que nos dão autonomia para 4 dias com alguma folga ou 6 a 8 no aperto, mas nem por isso desperdiçamos. O balde é o melhor amigo nessas horas (e mais de um, melhor ainda). Coletamos água do enxague do banho para dar a descarga, procuramos "unificar o xixi" (kkkkkk) avisando quando vamos para que os demais, se tiverem vontade, façam uso do banheiro na sequência economizando assim um pouco de água. Quando dá para lavar roupas, coletamos a água do enxague para molhar plantas, descarga, ou lavar algum local (quintal por exemplo). Na lavagem de louças, desenvolvi paciência zen e consigo fazer com um mínimo, apenas mudando a ordem do que é lavado e empilhando para na hora de enxaguar desperdiçar o mínimo possível. Sempre alguma vasilha ou panela por baixo, para aproveitar a água que cai do enxague de outras peças menores.

Tristemente já ouvi de algumas pessoas que "possuem caixas d'água de 5 ou 10 mil litros" e que não precisam se preocupar. Mal sabem que caixas d'água são uma garantia, mas uma vez que esvaziarem e o regime de enchimento não estiver normalizado, vão se sujeitar ao mesmo racionamento que afeta o resto.

Não deixa de ser irônico, talvez até emblemático, que isso aconteça no estado e na região mais rica do país. É uma lição de que o homem não doma a natureza, ele apenas aproveita as oportunidades que a mesma oferece - e não deve se esquecer disso. Quando a natureza, por qual motivo for, deixar de prover, não haverá dinheiro que baste para contornar a situação.

Fica minha admiração pelos habitantes do agreste, que não só passam situação muito pior em seu dia a dia como vêm sofrendo isso há anos e ainda assim perseveram.

A visão de paulistas e paulistanos levando galões ou baldes em cima da cabeça não está mais tão distante.

Alessandro

Anônimo disse...

Olá. Moro em Sorocaba, que é abastecida pela represa de iitupararanga. Alguns ainda falam que não teremos problema com água porque o nível da represa ainda está bom, mas como sou consciente do problema mundial em relação à água, sigo economizando. Sempre vejo pessoas desperdiçando de todas as maneira imagináveis e inimagináveis, algumas chegam até a lavar o asfalto e até molhar as ruas que não são asfaltadas para baixar a poeira. Eu não agüento e chamo a atenção, já cheguei a ser agredida na rua por isso. Não sei o que fazer, parece que não sou deste planeta, ou que as pessoas daqui é que não são da Terra. Alguém poderia me dar algum conselho? Abraços e parabéns! Janete.

Anônimo disse...

Neide, na cozinha 2 bacias e uma peneira ajudam muito para reuso da água. O regador já fica num cantinho ao lado da pia.
No banheiro, a decoração ganhou 1 bacia e 1 balde no box, na hora do banho. A aquela primeira água do chuveiro, que rola até que o chuveiro esquente? é ´limpíssima, não merece ir pro ralo!!
Já na pia, um copo para auxiliar na escovação dos dentes, não sacrifica o conforto da higienização e ainda evita a torneira aberta.
Neide - idéias práticas e vamos quebrando velhos hábitos. Parabéns por este post didático e muito responsável
Abraço. Até sábado, nas Corujas,se tudo der certo. Bjus Jeane.

adelia sylvia penna ramos disse...

Respondendo à Janete, não posso dar conselho, mas sou solidária! Aprendi, mesmo sem falta de água, que ela é escassa no Planeta e sempre procuro gastar o mínimo em qualquer atividade. Mas já ouvi de pessoa que supunha bem informada, ao lavar louça em casa dela, "Pode abrir bem a torneira, moro sozinha e tem apartamentos com várias pessoas, sendo que a conta da água é rateada igualmente"! Disse que falta água no Planeta, mas soube que nunca mais lavaria louças em casa dela, "porque com pouca água não ficam limpas"...
Infelizmente, o ser humano tende ao egoísmo - se está bem pra mim, tá tudo bem... Mas vamos fazer nossa parte, isso é que é importante!
Neide, estou numa séria dieta de arroz, não posso ler suas receitas até acabar, ou não resisto e como outra coisa!
beijo,
adelia

Paulo disse...

Oi Neide, tudo bão? Aquelas colméias de abelhas nativas são de jataí? Se forem, o ideal seria colocá-las pelo menos a uns 3 metros de distância uma da outra, para evitar conflitos entre elas, e eventual decadência da população das mesmas. Jataís são muito territorialistas, principalmente com as da mesma espécie. Abs!!

Anônimo disse...

Sensacional a gambiarra! Eu estou precisando criar algo parecido aqui, mas para isso preciso me reorganizar para caber em algum lugar do apto... De qualquer forma, sempre aproveito a água de lavagem de verduras, arroz, etc para molhar as plantas e elas agradecem, estão bem bonitas. Obrigada pelas ótimas dicas!

Mila disse...

Neide amei o post. Aqui em casa também tento reaproveitar o máximo possível de água, seja para regar ou limpar. Quando você puder nos ensina a fazer o minhocário. Aqui na minha cidade mesmo nunca achei pra comprar. Beijo!