segunda-feira, 16 de junho de 2014

O que você comia e não come mais? A Arca do Gosto do Slow Food.



A Arca do Gosto é um importante projeto do Slow Food que tenho orgulho de já ter participado como membro da Comissão Nacional. Ainda é pequeno o catálogo brasileiro de produtos protegidos pela Arca, mas os que deveriam estar lá são muitos,  e você pode ajudá-lo a crescer fazendo indicações. Veja no vídeo como fazer isto.  Se quiser  usar este blog como intermédio, indique aqui e eu levo adiante.  Mas, assim, de cabeça, lembra de alguma coisa que sua mãe, sua avó, sua bisavó ou você comia e não vê mais por aí?

Saiba mais aqui: www.slowfoodbrasil.com/arca-do-gosto

7 comentários:

Luciara Roratto de Aguiar disse...

Lembro de umas balas de melado que minha avó fazia, nunca mais comi, é difícil até de encontrar melado por aqui... Mas o sabor está guardadinho na memória.

Elisa disse...

Minha mãe comprava do verdureiro que passava em casa com sua perua, o Peixinho, umas abóboras pequenas, do tamanho de uma laranja, mais um menos, mas ovaladas, que ela fazia doce em calda, cortadas pela metade - nunca mais vi isso pra vender em lugar nenhum! Preciso perguntar pra ela o nome...

obat herbal benjolan di leher disse...

Nice blog,, i'm very enjoyed to visit this site. have a nice day :D

Mary Cavalari D'Avanzo disse...

Biscoitos de araruta, que minha avé sempre fazia e perfumavam demais nossa cozinha!
Outra coisa que hoje em dia é diferente também é o sagu, pois o que se come hoje é feito a partir da mandioca, e o de antigamente era uma planta (http://pt.wikipedia.org/wiki/Sagu)

athenas disse...

Lucia R. Teixeira
O mamão de minha infância. de polpa AMARELA e um sabor maravilhoso. Nunca mais achei em lugar nenhum. Foi substituido por mamão havai, baiano que , sinceramente não tem gosto de nada, são apenas doces, quando muito!

analice disse...

Me lembro da laranja barão, pequena, com muito caroço, casca laranja forte, sempre muuuito doces..
Desapareceram...

Amanda Larissa Vieira disse...

Doce de leite com marolo, que minha avó fazia. Era tão bom...