quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

A arte de plantar jabuticabas

Na caixinha em que as próprias jabuticabas vieram 
Há várias artes para se conseguir uma boa muda de jabuticaba. Seja por alporquia da raiz, plantando um galho maduro numa lata com água ou comprando uma boa muda já produzindo cujo preço, a depender do porte e produção,  pode ser o de um carro. Eu mesma só sei uma arte que é a chupar e cuspir alguns caroços - outros tantos vão goela abaixo. 

Jabuticaba é o tipo de mirtácea da qual a gente não costuma encontrar muda  embaixo da fruta mãe (deve ser aquele artifício que algumas plantas têm de inibir mudas filhas por perto para estimular a diversidade). E também não parece ser planta semeada por passarinhos. Acho que não são bobos de carregar a fruta grande para outro lugar ou ainda comer a fruta com caroço (pássaro que come caroço de jabuticaba sabe o funhumhum que tem).  Preferem bicar na árvore. E as sementes que comemos tampouco viram plantas. Então, o negócio é separar sementes e plantar mesmo. 

Depois dos cinquenta anos paira sobre o pensamento o pouco tempo que nos resta. Plantar sementes começa a parecer coisa de gente jovem que terá uma vida pela frente para comer o fruto.  A gente tem pressa, quer logo uma jabuticabeirona vivida cheia de frutos para atolar o dente ligeiramente, quer aquele prazer urgente. E tudo bem, a gente tem ótimos viveiros como o Ciprest e o Oiti, por exemplo, de amigos. Mas se também podemos plantar sementes, que não vejamos, não comamos,  não tem problema.  Fica para as gerações futuras, lembrando que no meu neto, no meu bisneto, haverá uma parte gulosa de mim.  E se não plantamos sementes estaremos agindo como no esquema egoísta e perverso das pirâmides. Só os primeiros do pico se dão bem, o resto que vem que se desmorone. 

Então o que tenho feito e já falei aqui é jogar sobre terra todas as sementes que caem na minha mão ou na minha boca. Nem que seja apenas para dar de presente ou para plantar na beira de um riacho careca. Ou só para ter a alegria de ver aquela semente seguir o ciclo e dar vida a todas as informações da planta mãe que traz encapsuladas. 


Estas jabuticabas comprei para fazer as fotos da coluna do Paladar. Isto foi em Dezembro. Separei as cascas que ia usar, reservei a polpa para suco e sorvete e fiquei com as sementes na peneira. Não tinha nem um só vaso dando sopa no momento. No improviso, o que fiz foi pegar terra do jardim mesmo e encher a própria caixinha de papelão com ela. Umedeci e joguei ali as sementes diretamente da peneira ainda úmidas de polpa. Era para ser um esquema de emergência. Mas esqueci completamente. Outro dia fui mexer no matagal em que se transformou o pedacinho de jardim que tenho e percebi uma florestinha de plantas iguais crescendo à sombra de outras mais agressivas. Afastei as outras plantas, e reconheci quase desfeita a caixinha de papelão. Fiquei feliz porque nunca tinha conseguido fazer vingar uma semente de jabuticaba. E agora, de uma só vez, quase todas as que ali joguei.  Mesmo com tempo seco não tive escolha, tive que novamente improvisar vasos para as mudas. Fiz de jornal. E aí estão, para a posteridade. Acho que são vinte e cinco vasos, alguns com 2 ou 3 mudas que ainda precisam ser rearranjadas caso prosperem. 


E, para não dizer que não falei de comida, se você também plantar sementes acho que já pode ir sonhando com aquela tapioca ou com o sagu







22 comentários:

Gilda disse...

Só para juntar uma informação que é mais uma pergunta que uma resposta, tive um sítio perto de Belo Horizonte. No fundo do terreno corria um filete de água. Ao longo deste filete nasciam vários pezinhos de jabuticaba, mas muitos secavam antes de crescer. Não eram sementes trazidas pela água, pois apenas havia jabuticabeiras uns 4 km abaixo. Algum outro bicho, talvez?
E é incrível que eu, ontem, estava pensando no que terá acontecido com a jabuticabeira do estacionamento seu vizinho. Terá conseguido sobreviver?

truehappynest disse...

Acho lindo esse seu pensamento de povoar cada pedacinho de chão descoberto com alguma semente...
Espalhar vida como os passarinhos....tenho uma goiabeira linda, plantada por eles no meu vaso de amoreira...
beijos
Rosemary

aveloh disse...

Você sempre inspiradora...

aguiar disse...

Neide você tocou num ponto importante, que sempre penso quando planto algo, quanto tempo me resta? Será que vou comer os frutos? Imediatamente vem uma sensação de plenitude,o que faço fica para posteridade e certamente outros vão se deliciar e ainda lembrarão de mim, isso já me faz feliz!Também tenho esse "bichinho" dentro de mim, que toda semente está ávida por uma terra fofa, e tudo que como e preparo, separo as sementes, ponho no sol pra secar e vou guardando em papel de pão e escrevo o que é, aí qdo tenho oportunidade levo e planto em algum terreno, até de amigos.Quando ando a pé nas ruas, vou observando , catando sementes e mudinhas,já tenho essa fama na família e eu adoro!É isso!E agora tenho seu blog que me inspira ainda mais. Obrigada mais uma vez. bj

Paulo disse...

Neide, se vc tiver interesse em muda de Feijoa (Acca sellowiana), estamos com algumas para doação lá no hortão da Casa Verde. É só passar e levar, ok? abs

Eliane disse...

Neide olha não sei bem o que acontece mas tanto aqui em casa como na minha sogra sempre encontro mudinhas a pé da arvore mãe.
Ja as temos espalhadas por todo lado aqui.
Vc falou sobre plantar e não colher, minha avo ja idosa comprou uma muda de lichia e plantou no quintal toda orgulhosa , quando a filha questionou o porque de plantar algo que ela não veria produzir frutos, ela prontamente respondeu que só Deus sabia seu tempo na terra e que se ela não colhe-se os frutos certamente seus filhos e netos o colheriam. minha Avo deu uma lição de vida a minha tia que nos nunca esqueceremos.
Em tempo ela viu a arvore frutificar e viu seus tetranetos comerem os frutos.

Anônimo disse...

Jabuticabas gostosas,
que deixam a língua louca.
Pérolas negra, lustrosas
a espocar no céu da boca.

zé arthur

Anônimo disse...

Por favor, me ensina como fazer vasos de jornal. Muito obrigado! Bulcão

Gisele Vasfi disse...

Oi, Neide. Hoje eu não resisti e depois de ler a newsletter tive que vir comentar.
Compartilho o mesmo prazer em plantar mesmo não tendo um sitio e nem muito espaço no quintal. Meu pequeno pomar já atraiu até esquilos que eu nem sabia que existiam em Ubatuba.
Assim como a Eliane, também tenho uma jabuticabeira que está sempre cheia de mudinhas embaixo dela.
Já transplatei umas 15, mas não é muito fácil, não, porque a raiz é longa e muito fininha.
Se deixarmos a muda crescer para fortalecer a raiz, temos que cavar muito fundo para retirar a muda sem que a mesma sofra muito. Pelo menos aqui foi assim.
Meu irmão veio me visitar e ficou horrorizado com o preço das mudas nas chácaras.
E é tão fácil plantar ou transplantar!!!!
Ainda tenho 3 ou 4 mudas de jabuticaba em vasos. As outras eu já presenteei e já tive o prazer de ver algumas filhas da minha jabuticabeira dando frutos.
Beijos.

Anônimo disse...

OI, Neide, bom dia. Esse post está a minha cara!! Eu sempre faço mudinhas das frutas que como e, não tendo onde plantar, distribuo as mudas a quem tem chácara. Claro, sem pretensão de ganhar as frutas das mudas que doei. Já fiz e doei muitas mudas de manga, jabuticaba e uvaia. A minha jabuticabeira plantada em vaso é filha da que eu comprei já produzindo e dei para meu pai. Também estou completando 50 anos em 2014, mas sinceramente, não penso se vou colher ou não as frutas, acho que quero mais é espalhar frutíferas e flores por ai ... Beijo. Liliana

Anônimo disse...

bonito isto de jogar semente por terra, não importa qual, não importa onde. Obrigada, vou adotar.

Anônimo disse...

Ola tambem amo plantar sementes do que como, fico feliz quando vejo brotar, ja planteis carocos de manga algumas ja brotaram nao tenh quintal grande,mad depois vou dar pra alguem ou plantar em algima praca, tenho algumad frutifetas enxertadas em vaso, tais como jaboticaba,manga,pessego,laranja kikan,goiaba tailandeza e tangerina pokam, tenho 63 anos, mas o prazer de ver elas florescendo e muito grande, se Deus quizer hei de ve_las frutificar

Anônimo disse...

Eu tbm tenho esse espírito de plantar toda e qualquer coisa q tem semente, e tbm não tenho terrar so um pequeno pedaço de jardim , q pertence a minha mãe, ja fiz mudas de tantas coisas e sempre acabo doando pra quem tem terras por perto, moro em Ouro Preto do Oeste rondonia, e tem varias pessoas q tem chácaras e levam as mudas, esse ano fiz mudas de coco e guaçatonga uma s eu trouxe de S.P na ultima visita e ja doai pra 3 pessoas porque é uma plnata medicinal valiosi´ssima, um abraço e veja se aprende como fazer enxertios da jaboticaba rsrsr, eu tenho 2 mudas , ja doei 2 p R.Branco rsrsr
quero saber como se faz enxertos

Juliana Cavalcanti disse...

Oi Neide,
Que post fantástico! Sou estudante de nutrição e amo alimentar meu corpo dos presentes lindos que a terra nos dá. Mas você, com esse post, ampliou essa minha relação com os presentes da terra... Essa questão de devolver para a mãe natureza as sementes que estavam no alimento que comi, e assim continuar o ciclo, nossa, isso foi bárbaro! Me emocionou descobrir e percerber isso... Obrigada!

Unknown disse...

Hoje mesmo andando numa mata achei um pé de jaboticaba carregado de frutos maduros , no meu pensamento me veio , quem plantou esse pé de jaboticaba ? Será que está vivo ainda ? se não estiver vivo ele (a) foi lembrado e agradecido por mim por ter plantado uma fruta tão boa

João Eliezer disse...

GOSTO MUITO DE PLANTAR ARVORES, INCLUSIVE TENHO UMA CHACA QUE E TODA REFLORESTADA COM PLANTAS FRUTIFERAS E ALGUMAS NATIVAS...

João Eliezer disse...

ONDE SE ESCREVEU CHACA SE LE CHACARA

Oliveira disse...

Como fazer muda de jabuticaba pelo mergulhão ou seja pelo broto que nasci da raiz da jabuticaba.

Unknown disse...

Muito bom sua maneira de pensar pois hoje só se pensa no concreto,assim como você todo espaço que posso plantar uma arvore ,lá estou a plantar inúmeras jabuticabeiras feitas a base de sementes,porem estou a tentar na base do mergulho.
veremos que ponto chegará.
parabéns.

estevão Nobre disse...

Planto árvores a mais de 40 anos em todos os lugares que são possíveis e jogo todas as sementes que obtenho em quintais e digo a vocês que é frustante ver a maioria delas sendo cortadas pela prefeitura em suas carpinas e o desrespeito total pela vida vegetal.digo sinceramente que existiram mais de 10 mil mudas na vila Sabrina e em ubatuba onde eu percorro os meus dias.... frustante....

Unknown disse...

Estou com algumas mudas de Jabu.. De frutos que trouxe do trabalho .. Algumas vou dar aos amigos outras vou levar para uma mata na beira de um riacho .. Planto não somente para colher frutos .. Mas sim para dar continuidade a vida ..

Rodrigo Lopes disse...

Estou com algumas mudas de Jabu.. De frutos que trouxe do trabalho .. Algumas vou dar aos amigos outras vou levar para uma mata na beira de um riacho .. Planto não somente para colher frutos .. Mas sim para dar continuidade a vida ..