segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Outubro é natal


já é quase natal, os supermercados estão abarrotados de panetone, o hotel castros na cálida goiânia já se vestia de pinheiros invernais, tudo acontece em outubro, como se o ano pulasse do carnaval direto pra outubro, como se o ano estivesse por um fio com o natal forçando a porta. tanta coisa teria pra falar e anunciar aqui no blog, mas cadê o tempo?, alguém sabe onde ele se escondeu? tem a bienal de arquitetura - dei uns pitacos pro pessoal do fruitmap, troquei brotos por sementes, mas sequer fui ao centro cultural são paulo visitar a cozinha. tem a mostra de cinema que fico triste em perder quase toda, teve a criação do convívio do slow food piracaia, tem um tanto interminável de ações do slow food são paulo e muda-sp, teve a festa gastronômica de goiânia com tanta novidade, com o boi curraleiro, a visita a uma fazenda com 35 mil pés de jabuticabas onde me entupi delas, tanta cúrcuma, banana marmelo, ingá de bolinha, muda de baunilha do serrado, tanta aula boa, com mara salles, ana soares, neka mena barreto, e os alegres e competentes chefs goianos, tem a feira de trocas de sementes que acontecerá na próxima sexta em Piracaia e vou estar lá. depois que voltei de uma semana em goiania, teve palestra que dei no dia mundial da alimentação no sesc campinas sobre pancs, teve oficina de vegetais pra cozinheiras de instituições atendidas pelo mesa brasil no sesc itaquera e ontem, sobre temperos, no sesc campinas de novo. e na próxima quarta, também no sesc campinas, vou falar sobre pancs. e teve um pepino amarelo lindo que colhi no sítio, teve o plantio de milho crioulo com sementes que foram do meu avô quando moço, o bolo de caneca de saquinho de milho que não tem milho, o tupinambo que brotou, o jacatupé que comprei pra plantar em um mercado de goiânia, o gatinho que aprendeu a subir e descer do telhado, a pitangueirinha que salvamos em galho seco abandonada na praça e já está toda folhosa, as flores de sabugueiro que esperam cheirosas ser colhidas para um xarope, e tanta flor, tanto fruto, tanta foto para salvar,  tanta abobrinha, tempo pra fazer abobrinhas, tempo para falar de abobrinhas, e abobrinha também objeto direto: falar abobrinhas. outubro tá quase terminando e ainda hei de ter tempo (alguém o tem sobrando pra trocar por idéias inúteis?) de voltar com força e vontade a contar tudo aqui. tenha paciência fiel leitor e leitora, que eu volto, já é quase natal, carnaval, tudo volta ao normal.

16 comentários:

Gabi disse...

Maravilhosa, Neide! Assim q é bom, cheio de atividades, não tem tempo nem abertura para depressão. Tanta gente com depressão por aí, credo!!! Também conheço a fazenda das jabuticabas! Fomos ano passado, comemos muito, colhemos e congelamos para suco!!! Esperamos seus posts ansiosos :)

Lucia Sasaki disse...

Dona Neide, lindo seu post, é isso mesmo! Minha mãezinha, que já tem 72 anos, me dizia que no tempo dela as lojas enfeitavam-se para o Natal depois dos Finados, hoje em dia, nem isso!
A quantidade de eventos arrolados é impressionante, nessa hora é preciso respirar fundo para não se desesperar diante de tanta informação.
Muitíssimo obrigada por sua reflexão.

Lucia Sasaki
Guarulhos

Guilherme Ranieri disse...

Ai que gostoso ter você de volta! Tenho certeza que esse período foi maravilho e você está cheinha de idéias novas! Mal posso esperar! Beijão, Guilherme Ranieri

nina disse...

35 000 pés de jabuticaba....É longe? Vou ter que mudar pra lá.Beijos, Nina
ninahorta@uol.com.br

aguiar disse...

Ufa!! terminei de ler seu post, e minha imaginação foi indo...indo... só esperando as maravilhas que vc ainda tem que mostrar e contar.
Feliz que está de volta!
Grande abraço!
Neyd

Naomi disse...

wow, seu post de hoje foi como um redemoinho, que quase me levou no tempo para depois do carnaval! ai tempo, tempo... legal ver uma postagem sua de novo. Abs

Mariangela disse...

aqui ainda não é natal Neide,nada de decoração natalina em canto algum,e ninguém fala do assunto,e ainda bem! Beijos!

G. Hildebrando disse...

Bom dia Neide!

É muito bom acessar a internet e me deparar com tuas imagens e tuas histórias. Fascinam justamente pela capacidade que você imprime nas palavras de se tornarem mais que palavras: passam a ser sonhos, planos, desejos, risos, aflições e mais um tanto de sentimentos que não dá pra descrevê-los todos aqui.
Frustro-me quando você se frustra, alegro-me quando você se alegra, me empolgo ... No momento, me sinto solidário à tua falta de tempo, mas decidi não me sentir sem tempo. Parei uns minutos dos meus afazeres pra te mandar um abraço silencioso, cheio de palavras e uma torcida enorme pra que você continue a realizar teus sonhos e continue a jogar tuas sementes nos nossos. Obrigado.
Gilberto Hildebrando (Londrina/Pr)

Neide Rigo disse...

Gabi, depressão por aqui passa bem longe, mas infelizmente ninguém está totalmente livre dela, ocupados e desocupados.

Lúcia, obrigada!

Guilherme, volte logo você desta longínqua Irlanda!

Nina, imagine se não pensei todo o tempo em você. Iria adorar. É longe, não. Logo ali, perto de Goiânia. Se quiser, volto lá com você.

Neyd, obrigada!

Naomi, logo tem o coelhinho da Páscoa.

Mari, pois é, você sabe como são as coisas por aqui. Tudo é festa.

Gilberto, vou ter certamente um bom dias depois dessas palavras. Obrigada!

Um abraço,n

Nadia Marrach disse...

Saudade!!!! Quanta coisa boa prá contar. Você falou em baunilha do serrado...é baunilha mesmo, tipo orquídea??? Etou curiosíssima! Beijo!

adelia sylvia penna ramos disse...

Neide, pra mim, quando começo a ver sinais de Natal, é sempre um susto. E como estou num local onde fico longe de tudo, com seu post assustei mais ainda.E não é que está chegando mesmo? Do jeito que o tempo passa rápido, bem antes do que eu gostaria...
Incrível que, aqui na Chapada, o tempo também vôe!
Quando, no século passado, morava em São Paulo, sempre tinha esse sentimento de não poder participar de tudo que me interessava. Hoje deve estar muito mais difícil, claro. E confesso que, mesmo assim, fico babando de vontade de ver a expo de Sebastião Salgado, por exemplo! beijo, adelia

Anônimo disse...

Olá Neide,fico feliz sempre que leio os seus post, para mim é uma viagem gastronomica de muito aprendizado e inclusive já fiz algumas receitas do seu blog. Ando a procura de uma receita (goiana/maranhese)de um bolo de polvilho que é cozido e depois assado o nome dele é "bolo cacete" por acaso você saberia fazer? se sim, post a receita e ficarei muito agradecida. Juiliana

Anônimo disse...

Neide,

Você é um colírio de vida, xarope pra alma e ventania de felicidade.

Dalva Maraci
dalvamaraci@bol.com.br

Márcia Rocha disse...

Olá!
Adorei o seu Blog... Com certeza voltarei muuuuiiiitas vezes, e aproveito a oportunidade para te convidar a visitar meu Blog. Lá tem de tudo um pouco: Artesanato, Receitas, Dicas,...
Beijos Márcia (Rio de Janeiro - Brasil)

http://decolherpracolher.blogspot.com

Lilasesazuis disse...

Acabei de chegar aqui...estou encantada com tanta beleza singela.

beijinhos,

Lígia e =ˆˆ=

Fabio Metello disse...

Oi Neide!!
Bom vou te dar uma palavra de conforto...hehehe.
imagina com todo o tempo do mundo e sem nada para fazer......ai você pega o controle remoto da Tv e da uma "rodada" em plena segundona a tarde,,, as opções são: vale a pena ver der novo, Gazeta Mulheres...propagandas de inutilidades domésticas da Polyshop...programas vespertinos de fofoca e de dramas familiares, e por derradeiro: aqueles desenhos esquisitos......ahhh melhor ficar sem tempo mesmo kkkk
bjs te vejo na sexta em Piracaia na troca de sementes
Fabio