quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Ora-pro-nobis. Coluna Nhac do Paladar, edição de 24/10/2013

Pronto, estou voltando. Antes, porém, aqui está a coluna de hoje do Caderno Paladar. Lá no blog do Paladar, também.  

Já falei inúmeras vezes no Come-se desta verdura dadivosa, mas não custa reforçar para os que chegam.  E o legal é que a planta é de graça. Você planta numa praça, no seu jardim, na chácara do seu tio, e nunca mais ficará sem alimento. 

Como diz o Jeneci, o melhor da vida é de graça. Mesmo assim, muita gente não quer. Prova disso é que numa das últimas podas que fiz fiquei (como sempre) com dó de jogar fora galhos vingadouros. Fiz várias mudas pra levar pro sítio, mas ainda sobrou pra dar. Então, o que fiz foi limpar os galhos, tirar o máximo possível dos espinhos e deixá-los prontos pra plantar. O problema? Não tinha a quem dar. Decidi, então, deixar na calçada, por onde passam muitas pessoas, junto a um cartaz com o nome e orientações, para que pegassem. Minha surpresa? Ninguém curtiu. Ô gente desconfiada.  Plantei tudo por aí. 



O texto para o caderno Paladar: 

São tantas coisas para dizer sobre a Pereskia aculeata, mas o principal é que suas folhas são gostosas, nutritivas e fartas.  É só a chuva dar sinal e novos rebentos em abundância vêm se juntar ao mar de folhas verdes, como um caviar num berço de espinhos – ou melhor, acúleos, o que na arte de espetação dos dedos dá no mesmo. Estes brotos com espinhos ainda moles são avermelhados, delicados e deliciosos. Outra iguaria produzida pela planta, mais comum em climas quentes, é o fruto, que em inglês é chamado de barbados gooseberry e se presta para o feitio de geleias. Sem falar nas flores atraentes e super melíferas. Tudo isto faz desta planta uma verdadeira fábrica de alimento. 

Para a nossa sorte, este cacto originário da América tropical é um dos mais primitivos, afinal os evoluídos perderam as folhas ou as tem atrofiadas. Se o clima não é tão quente, ele continua com suas folhas o ano todo e elas são do tamanho das de laranjeira ou até maiores. São gordinhas, de um verde escuro brilhante e, como características de sabor, não têm picância, acidez, pungência ou amargor, que costumam ser determinantes para a rejeição de certos alimentos. No caso destas folhas, a única falha de caráter, na opinião de alguns, é a mucilagem como a do quiabo – por isto é chamada também de quiabenta. Mas o que seria seu defeito a torna agradável à mastigação - crocante e úmida quando crua, macia e escorregadia quando cozida. Qualquer criança come e quer mais, não só pelo sabor, mas pela sensação. Aliás, crianças deveriam mesmo comer ora-pro-nobis com angu de fubá, uma combinação tradicional e perfeita,  já que as folhas são ricas em lisina, um aminoácido que falta na proteína do milho e é essencial para o crescimento ósseo.

Em Sabará, Minas Gerais, onde o frango com quiabo é um clássico,  há até uma festa dedicada à verdura, que pode ser apreciada em pratos salgados de toda natureza: omeletes, sopas, recheios, cremes, saladas, massas etc. Agora, basta ter umas folhinhas nas mãos que a gente fica imaginando usos.

Ultimamente a planta tem despertado interesse de pesquisadores de todo o país por suas propriedades nutricionais e terapêuticas comprovadas.  Além de ter mais proteína e ferro que a maioria dos outros vegetais de folhas,  sua mucilagem é rica em arabinogalactana, um biopolímero com fama de lubrificar e proteger a mucosa do estômago.

Só para que saiba, caso tropece nos seus ramos espinhosos por aí, a propagação da planta se dá facilmente por estaquia. É só espetar um pedaço do galho na terra. Se tiver onde plantar, basta cuidar para que não cresça desordenadamente formando uma barreira de espinhos intransponíveis, e terá comida o ano todo. Em certos países, ora-pro-nobis é praga. Sorte que aqui a gente cozinha e nhac.





BOLO DE ABÓBORA COM  ORA-PRO-NOBIS

5 ovos
400 g de abóbora madura crua
200 g de mandioca crua
50 g de manteiga
1 colher (chá) de fermento químico em pó
1 colher (chá) de sal
100 g de queijo meia cura ralado
40 folhas de ora-pro-nobis lavadas e secas

Bata no liquidificador os ovos com a abóbora picada em cubos. Junte aos poucos a mandioca picada. Bata bem até formar um creme homogêneo.  Junte a manteiga, o fermento e o sal e bata para misturar. Passe a massa para uma tigela e junte o queijo (reservando cerca de ¼ para polvilhar). Unte duas formas de bolo inglês, distribua entre eles a massa, alternando com folhas de ora-pro-nobis, formando camadas. A massa deve ficar baixa na forma – por isto o uso de duas formas. Polvilhe com o queijo ralado reservado e leve ao forno para assar em temperatura média por cerca de 30 minutos ou até dourar. Espere esfriar, desenforme e sirva frio ou gelado com salada de brotos de ora-pro-nobis com outras folhas verdes (algumas folhas de ora-pro-nobis podem ser batidas juntos com o vinagrete).

Rende: 20 fatias (cerca de 8 porções)

Nota: se quiser comer as fatias reaquecidas,  polvilhe queijo ralado sobre sobre os lados cortados e doure dos dois lados em frigideira antiaderente.


18 comentários:

Anônimo disse...

Plantei na beira do meu muro ( do lado de fora ) ficou OTIMO , esta lindo , com espinhos e os pichadores INDESEJAVEIS nao chegam perto do muro. E faço colheita DIRETO , gosto com POLENTA ( MOLE) e com frango HUMMMMMMM NHAC . Beijos Denise ( aquela , que nasceu em Fartura ).

Gilda disse...

Neide.
Fiz minha primeira colheita de ora-pro-nobis. A receita foi com frango ensopado. Achei ótimo. O sabor lembra couve com quiabo. Gosto dos dois. Fiz uma arco de bambu para servir de caramanchão, plantei bem à entrada da horta. Assim me obrigo a mantê-lo podado, para poder circular com segurança.Obrigada pelas dicas. Abraços.

Naomi disse...

Nossa Neide, esse cartaz na árvore, realmente é único! o povo é desconfiado mesmo, mas acho que também sou... eu ia pensar que se trata de alguma pegadinha rs. Sou um pouco ruim para reconhecer plantas, mas se eu achar essa daí em algum lugar, quero experimentar sim. Abs!

Anônimo disse...

Neide... Adoro seu blog , e eu gostaria muito de conseguir uma muda desta planta pra plantar na minha horta...Moro no interior de SP , mas minha familia mora em SP ... quando eu for da proxima vez , posso te escrever pra ver se consigo uma muda desta planta ??? Ela pode ser plantada o ano inteiro , ou tem uma época para o plantio ? Muito obrigada por seu blog maravilhoso...um abração...Regina Bardella

João Inácio disse...

Oi Neide!
Tenho a ora-pro-nobis de folhas amareladas, vc conhece? Comprei um vaso numa floricultura há um ano atrás e me foi vendida como ornamental (as folhas novas são vermelhas e a planta é mesmo muito bonita) e o tenho na área de serviço. Já cresceu um monte e fiz uma poda boa, fiquei com as mãos bem machucadas... (um casal de amigos ficou com estacas e eles plantaram em vaso no apartamento tb). Não achei na internet dizendo que a variedade de folhas amarelas é híbrida ou existe na natureza e nem que fosse comestível como a verde. Resolvi experimentar e achei o gosto semelhante à alface (mais forte) e com aquela babinha... Já fiz frago com ora-pro-nobis amarela e ficou bem bom. E ainda estou vivo hehehehe. Mas às vezes esqueço que tenho a planta (se é que ela realmente tem as mesmas propriedades da de folhas verdes). Já escrevi para uns quatro agrônomos aqui de Porto Alegre e nenhum soube me responder. E, você, sabe alguma coisa da ora-pro-nobis amarela?

Abração

Neide Rigo disse...

Denise, uma boa dica. Saudade de Fartura!

Gilda, deve ficar lindo um arco de ora-pro-nobis, não?

Naomi, nem pensei que poderiam desconfiar de pegadinha. Mas pode ser mesmo.

Regina, claro, é só me escrever e a gente combina.

João, eu ganhei desta variedade, plantei mas não vingou. Preciso arrumar outra muda. Não pesquisei ainda sobre ela, mas é comestível também.

Um abraço,n

João Inácio disse...

Neide,
Se quiseres, te mando umas estacas pelo correio. As dos meus amigos pegaram muito bem, tanto que já cresceram a ponto de eles podarem. Se tu te interessares, meu e-mail é ignacio99@bol.com.br. Abs!

João Inácio disse...

Eu presumo que a variedade amarela tenha mais betacaroteno, não?

Angela Souza disse...

Olá, Neide :)

Gostaria tanto de uma muda dessas, pq infelizmente nunca vi aqui onde moro. Aí dando sopa, e eu aqui desejando...

PS. Apesar de não comentar, seu blog é o primeiro da minha lista de favoritos... gosto demais!

Abraço e gratidão da Angela

Verônica disse...

Meu pezinho tá com tudo e eu já até dei uma mudinha pro meu amigo Henrique. Fiz uma versão desse bolo aí, só que na frigideira, tipo omelete. A aparência ficou pavorosa - sou péssima em virar omeletes - mas ficou uma delícia. usei serralhinha também!
Bjs

Sabrina disse...

Neide, faz tempo que quero uma muda. Tem como você me arrumar uma? Beijo Sabrina

Silvana Cordeiro de Lima disse...

Poxa vida! só li hoje o seu post. Se soubesse teria ido na hora do almoço pegar um galhinho! sou louca para ter um pé de ora pro nobis. :(

Neide Rigo disse...

Verônica, Sabina e Silvana,
se moram em São Paulo, escrevam no meu email que eu arrumo uma mudinha.
Um abraço,n

Rubia Elaine disse...

Neide sempre tive vontade de experimentar e quando vi que vc tinha deixado mudas para doar a quem quisesse fiquei com mais vontade ainda.
Passo todos os sábados naquela praça da Lapa que você posta algumas fotos , meu sogro mora em uma travessa da Pio XI, e sempre comento dos seus artigos. Como faço para conseguir uma muda?
Abraços
Rubia
rubiaelaine@gmail.com

Anônimo disse...

Olá Bom dia.
Não conhecia a planta ora-pro-nobis, fiquei conhecendo-a através do programa da Ana Maria Braga. Gostaria de saber onde posso conseguir uma muda. Moro no Mato Grosso do Sul.
marcia.izabel@yahoo.com.br

Caroline Helena disse...

Esta planta resiste a falta de luminosidade e a climas mais úmidos e frios?


-PS: Moro em Curitiba.

O PSICOANARCO disse...

Acabei de conhecer seu espaço e já virei fã. Parabéns, Neide.
Ah, queria essas duas fotos do bolo, vou pôr essa sua receita no meu blog.
Tô terminando um post sobre essa plantinha que é um espanto. Uma ¨praga¨ que nóis come.
Um abraço!
opsicoanarco@gmail.com

Anônimo disse...

eu moro em formiga mg se alguem querer a muda navegadorsdt@hotmail.com