quarta-feira, 25 de setembro de 2013

É hora de amora

Estas, ganhei do caseiro e viraram geleia, da qual nem consegui tirar foto pois Marcos comeu um vidro inteiro no pão e o outro, dei para quem me deu as frutas.  Já dei receita aqui quando falei da amora, mas se muito blog de por aí já copiou a foto sem crédito, já cortou, botou marca d´água etc, e como tem gente que não clica links, cometo aqui o auto-plágio, e repito a receita lá embaixo.   

Tem anos que amoras vêm antes da pitanga. Aliás, costumava ser assim. Neste ano, chegaram quase juntas: pitangas, amoras e cerejas do rio grande. E logo, logo, grumixamas. Cabeludinhas lá do sitio também apareceram nesta época. Mas da pequena árvore falo depois, porque teve um passado triste de planta carente, abandonada, negligenciada, colocada em situação de risco. E agora já dá frutos.

Estas poucas já são do meu sitio, de uma pequena planta. Aqui, junto com
araçá branco, araçá vermelho e cabeludinhas - as amarelas
Gosto de tirar os cabinhos. A geleia fica mais delicada e frutosa

A luz engana. Costuma ficar mais escura (copicolador, observe o fato)

Geleia de amora: lave bem as frutas e corte fora os talinhos com uma tesoura (não sei porque todo mundo reclama quando peço isto). Meça em xícaras e use a metade do volume em açúcar. Para fazer um vidro pequeno usei 2 xícaras de amora e 1 de açúcar. Antes de colocar os dois ingredientes no liquidificador, reserve um pouco das amoras inteiras. Triture grosseiramente as amoras com o açúcar e um pouco de água - numa quantidade apenas suficiente para facilitar o trabalho do aparelho. Se quiser, bata já na panela com uma mixer. Leve a panela com a mistura batida e as frutas inteiras ao fogo e cozinhe, mexendo de vez em quando, até conseguir um doce cremoso. Coloque ainda quente num vidro aferventado, escorrido e também quente. Feche bem e deixe esfriar. Guarde na geladeira e use para passar no pão ou como complemento de sobremesas - sobre um pedaço de bolo, torta de queijo ou pudim, diluída num pouco de suco de laranja para virar calda de sorvete, ingrediente para iogurte batido etc. Ou para fazer molho para salada. Se fizer em quantidade maior e quiser conservar por mais tempo, tem que esterilizar. 

10 comentários:

José Luiz disse...

Faz um tempão que procuro o jeito correto de esterilizar vidros para compotas, geléias e pickles em geral. Alguma sugestão de site/livro, Neide? Abraços, José Luiz

Mariangela disse...

Neide,a gente andou a poucos dias pelo interior da Inglaterra( o país das frutas vermelhas) e tu não tens noção dos pés de amora que tem por lá! Rui e eu ficamos chocados,eram gigantes,lotados de muita amora,árvores enormes, um gosto meio diferente das nossas do sul mas igualmente deliciosas. Nunca havia visto e nem sabia que existiam árvores tão grandiosas de amoras.Beijos!

alexandre e alana disse...

Aqui no rio grande do sul, as amoras ainda estão verdes e pitanga a pouco tempo eram flores. Nosso frio foi tardio neste ano.

Gabriel Savaris Ignácio disse...

Amorar!
As amoras ainda estão tímidas por aqui... só esperando pelo calrozinho da primavera (que ainda não chegou definitivamente).

thatiana Bandeira disse...

Amo amora, amo pitanga, amo cabeluda!!! Mas desde que vendemos o sítio nunca mais comi essas delicias!!! Estou pensando em colocar uma arvore na minha varanda, em vaso mesmo. Qual você acha que se adaptará melhor a pitanga ou a amora? Bjs e fiquei com água na boca

Neide Rigo disse...

Thatiana, eu colocaria pitanga na varanda.
N

Anônimo disse...

Boa noite, Neide. Acabo de fazer a geléia de amoras. Acho que deu certo! A primeira geléia que fiz foi de jabuticabas e eu não acertei o ponto, passou um pouco, ficou firme demais. Mas estou comendo com queijo assim mesmo, nada de desperdiçar ... Estou testando várias receitas do blog. No sábado encontrei orelha de padre na feira, comprei e fiz arroz com cúrcuma e orelha de padre, ficou muito bom. Só não tinha a pimenta para acompanhar ...
A próxima receita que quero fazer são os spaetzles, será que acerto? Não tenho o aparelho, mas vou improvisar rsrsrs. Abraços, Liliana.

Neide Rigo disse...

Liliana,
pois é, a geleia de amora não tem segredo. Tenho certeza que vai conseguir fazer também o spatzle.
Um abraço,n

Akira disse...

Neide,
Só queria agradecer pela receita de geleia de amora. Minha mulher e eu fizemos uma geleia seguindo a sua receita com as primeiras frutas da da amoreira do nosso quintal. Ficou sensacional, na consistência certa, doçura no ponto. Talvez a melhor geleia de todos os tempos. Depois disso fiquei me perguntando porque não encontro geleia de amora para vender. É gostoso, fácil de fazer e de encontrar a fruta. Obrigado de novo!

Neide Rigo disse...

Akira, obrigada por este retorno. Que felicidade ter amoreira no quintal, hem?
Um abraço,n