terça-feira, 6 de agosto de 2013

Expedição Pitadas: Feira do Ateneu em Goiânia

Se quiser, veja antes: 
http://come-se.blogspot.com.br/2013/07/mala-cheia-de-goiania.html

http://come-se.blogspot.com.br/2013/08/expedicao-pitadas-em-goias-restaurante.html


O certo, o certo mesmo,  seria viajar uma semana e ruminar durante duas para assimilar o que viu, o que comeu, o que conversou, o que descobriu. Mas no errado a gente vai tentando se acertar pois a vida não é como a gente quer. E entre panelas da Mari Hirata, palestra com Pere Castells  e cozinhar junto com os colegas de turma do curso de horta, vou comendo novidades e ruminando pratos ainda frescos na memória. 

Mas não queria deixar de mostrar aos leitores a feira do Ateneu, lá em Goiânia. Desculpe a falta de legendas nas fotos mais óbvias. Porém se quiser saber qualquer coisa que eu não tenha dito,  por favor, é só pedir. 

A feira é uma das mais ricas que conheci. Concorre, talvez, com aquela de Uberlândia, que já mostrei aqui. Ou com aquela de Pirenópolis. Ou de São Joaquim, na Bahia. Cada uma com particularidades que faz a gente ter prazer de viajar (viajar pra ver e comer as mesmas coisas a que estamos acostumados, pra quê, né?) 

Depois de ver pela janela da van ruas largas e ladeadas por mongubas lindas e alguma floridas, chegamos à barraca de pamonha da dona Valentina que é como um portal da feira variada e colorida, com suas bacias areadas, cachos de banana pendurados, guerobas enormes, saquinhos de jurubeba, queijos mineiros, doces abacaxis, moça de engenho (rapadura batida e moldada como escultura), latas de doce de leite, garrafas de banha, defumados pendurados, pimentas coloridas, potes de colorau e cúrcuma, tempero pronto, alho miudinho e milho, muito milho, pamonhas e pamonhas   - mas este é um post à parte. E todo mundo muito simpático. Ninguém nega fotos das barracas. 

Fique então com os meus olhos nesta feira. A última foto é do Alexandre Badim.  





Baru

Jilozinhos




Moça mostrando moça de engenho 

Compota de figo


Gueroba



Pimentas e jurubeba













Moça de engenho

Pimenta saco de véio








Cúrcuma (açafrão-da-terra) e colorau 




Cajá

Jatobá e chuchu brotando


Ovos de gansa



Frango caipira

Eu, Humberto Marra, Mara, Ana, Ivo e o vendedor de milho.
Esta foto: Alexandre Badim


8 comentários:

Anônimo disse...

minha nossa senhora Neide, vou no aniversário de minha irmã este mês ainda em Goiânia, só de ver todas estas fotos e esta feira linda,to chorando de saudades valeu tinha esquecido de como era as coisas por lá; e voçê me trouxe de volta, posso até sentir os aromas só de ver estas fotos lindas. valeu beijos (Diulza),

Lúcia Guerra disse...

Neide, a moça de engenho é a moça branca q eu dizia!
Ahhh e a linguiça...nossa, recordei do gostinho das que a minha mãe fazia (tripa de porco fresca, pedaços de lombo intercalados com pedaços de toucinho e tempero: noz-moscada, pimenta do reino, pimenta bode, alho e sal). Supinpa o post!

Marta disse...

Oi Neide,
que bom ver teus posts de novo, apesar de correr de um lado a outro, sempre acho tempo de acompanhar teu blog. As fotos estão lindas!!! este mercado de Goiana, está fazendo competição com os mercados daqui!!! WOW! a foto das pimentas parece um cartão postal, sem falar da curcuma e do colorau. Faz parte da minha agenda ao visitar as cidades, ir aos mercados e ver o que as pessoas comem. Uma maneira de conhecer a cultura e habitos das pessoas do local.

Maria das Graças disse...

Neide, será que o que voce chama de "moça de engenho" é o que nós cearenses chamamos de "batida"? Batida no Ceará é o mel de cana em um ponto de cozimento tal que batido clareia e toma a forma que queremos.
Gueroba é o mesmo que gauriroba vi na internet. É uma delícia. Andei comprando no supermercado um muito bom, em um vidro pequeno mas nunca mais o encontrei. Uma pena!

Neide Rigo disse...

Sorte sua, Diulza! Quanta coisa boa, não?

Lúcia, nomes lindos, né? E gruda na sua mãe pra ele te ensinar tudo, hem?

Marta, o duro tem sido eu encontrar tempo para alimentar o blog. Então seu empenho em acompanhá-lo me gratifica. Também acho que temos feiras tão lindas quanto as europeias.

Maria das Graças, pelo que vi, trata-se da mesma coisa. Gueroba ou guariroba (e gabiroba é uma frutinha). Aqui em São Paulo é difícil de encontrar. Acho que tem no Chitão.

Um abraço, n

Gabi disse...

Quais dias funcionam essa feira? Fica localizado no próprio parque do Atheneu?

Pin disse...

Legal, também gostaria de saber o endereço e horário de funcionamento. Pretendo ir à Goiânia no próximo mês e visitá-la. Obrigada pelos posts sempre lindos e cheios de delícias!

Neide Rigo disse...

Gabi e pen. Funciona de quinta e sábado, ao lado do parque Ateneu.
Um abraço,n