quarta-feira, 19 de junho de 2013

Fortaleza: paçoca

Com melancia. Combinação inusitada mas perfeita

No Raimundo dos Queijos, um pouco de paçoca pra provar 
Paçoca em Fortaleza (e em todo Ceará) parece ser uma instituição. No Mercado São Sebastião ela está sempre fresquinha em vários boxes junto com queijos de coalho, feijão verde, mel, manteiga de garrafa etc. 

Feita de carne seca socada com farinha de mandioca, manteiga de garrafa e temperos como alho e cebola, pode ser comida a lanço como aperitivo ou com arroz e feijão verde à guisa de mistura. O peso da mão do pilão transforma a carne seca frita, de boi ou de bode,  em fiapinhos, que se misturam à farinha fazendo da combinação verdadeiro complemento proteico e calórico,  com a vantagem de ser concentrado, leve de peso, seco, fácil de ser transportado. É a barrinha de cereais do sertanejo, herdada dos índios e hoje apreciada por toda gente. Pode ser de carne, mas também de amendoim, gergelim etc. Numa aldeia Guarani que visitei aqui no litoral de São Paulo, a paçoca foi feita com amendoim.

Índia Guarani recolhendo do pilão paçoca de amendoim
Nas regiões onde predomina o milho, a paçoca é feita também com farinha de milho, como a de Capão Bonito, em São Paulo, que se come classicamente com melancia. 

Paçoca gameleira 

Na primeira vez que vi esta combinação,  achei estranhíssima, mas quando pra Uauá, na Bahia, comi melancia com farinha e achei perfeita. Um complementa o outro. De um lado, o sabor discreto da farinha,  a crocância densa e a secura que pedem água. De outro, uma  crocância úmida e frágil, o doce, o perfume e o sabor nada discreto da melancia. Quem um dia teve a brilhante ideia?

Paçoca é socada (farofa é farinha misturada com temperos) 
Paçoca gameleira de Capão Bonito. Socada no pilão, servida
na gamela de madeira e comida com  melancia 
As paçocas que trouxe do Mercado São Sebastião e do Raimundo dos Queijos,  já comi quentes ou frias, com arroz e feijão ou só acompanhando o feijão verde. Não consegui chegar à conclusão de qual delas ou qual combinação era a melhor.  Só sei que, como sobrou uma enorme melancia da comilança coletiva do fim de semana, lembrei do casamento com melancia e inventei de empanar a fruta só pra ficar mais decorativo o prato  - claro que não é assim que se come nem em Uauá nem em Capão Bonito, em São Paulo. Muito menos no Ceará, onde não vi esta combinação - será que também comem com melancia?

Se não no café da manhã, ao menos no almoço ou jantar o par pode ser uma boa alternativa eventualmente, que pode te alegrar e nutrir quando deseja um prato leve, quando não tem tempo de cozinhar,  não quer se iludir com macarrão instantâneo ou pretende dar uma pausa no lobozó.  É só empanar uns pedaços da fruta gelada com a paçoca fria, apoiar numa cama de paçoca quente e nhac! 


É só empanar a melancia na paçoca e nhac! (pode ser na farinha)

3 comentários:

Anônimo disse...

Agora fui longe em meus pensamentos , na minha infancia em Fartura . Minha avo materna , amava comer melancia com paçoca e a ( paçoca ) tinha que ser bem socadinha no pilao. Beijos Denise ( aquela que nasceu em Fartura)

Neide Rigo disse...

Denise, que bom saber disso. bj,n

Anônimo disse...

alguem pode me ajudar a descobrir o nome da paçoca famosa de fortaleza? marco.oliveira@bcb.gov.br