quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Bolinho frito de taro. Sem trigo, sem ovo, sem leite...

Ou quinta sem trigo 58. 
Eu ando com mania de comprar taros/ inhames porque germinam facilmente e eu posso plantar em Piracaia. Compro dos redondos, dos compridos, dos brancos, dos roxos mesclados. E ganho da Laura, da Marisa Ono e de quem tem. E tudo porque gosto de comê-los, claro. 

Tirando o uso como legume, tal batatas, ou em broinhas e bolinhos de fórmulas rurais de antigamente, não há muita variação no jeito de usar estes tubérculos na cozinha. Não fossem os asiáticos no Brasil, talvez já tivessem caído também no esquecimento, como aconteceu com o mangarito. 

Conversando sobre usos do taro com meu amigo Luiz Paulo Stockler Portugal, ele me passou uma série de blogs asiáticos que costuma frequentar (veja lá embaixo, ótimas indicações).  Já no primeiro que abri, me deparei com este bolinho frito (u-yen ).  Aproveitei que tinha aqui um monte de taros mutilados - quando um broto começa a despontar, eu tiro um pedaço e enfio na terra -, para usar todos. Tenho vários já em vasos com folhas. 

Está certo que, frito, até pedaço de papelão fica gostoso, mas neste caso fica realmente delicioso, com o miolo viscoso, macio e agradável de mastigar, e crocante por fora. O sabor é suave e adocicado porque segui a receita original, que leva um pouco de açúcar, que ajuda também a dourar. Adaptei apenas as quantidades proporcionais ao que tinha de taro, e acrescentei ainda cebolinha verde para o branco não ficar monótono. Com um molho bem apimentado, ficou incrível. E não vai trigo, não leva leite, não tem ovo (para aqueles que não podem comer nada disso). É tão saudável que ficaria até chato não fosse a malícia da fritura.  Sim, eu tentei achatá-lo de vez, apertando um montinho de massa para ficar mais fina e assar no forno, sem adição de gordura. Mas não ficou boa, não.   




Bolinho frito de taro/ inhame

300 g de taro descascado e ralado grosso (pesado já limpo, 2 xícaras ralado)
2 colheres (sopa) de polvilho doce (amido de mandioca) 
2 colheres (chá) de açúcar 
2 colheres (sopa) de água 
1 colher (chá) de sal 
3 colheres (sopa) de cebolinha picada 

Misturar tudo e modelar bolinhas com as mãos - a  massa fica meio mole, mas você pode ir passando a massa de uma mão para a outra, modelando até o formato ficar bem esférico. Se quiser, tire porções com uma colher e use uma outra para ajudar a modelar com queneles. Frite em bastante óleo quente até o bolinho ficar dourado. Vire de vez em quando para que doure por igual.  Faça um vinagrete com cebolinha, cebola roxa, pimenta em flocos, vinagre, açúcar, shoyo e óleo, sirva com os bolinhos e nhac!  Rende 15 bolinhos.

Dica do Luiz:
A partir dos blogs do pessoal de Singapura/Malásia que acompanho vão uns links que não sei se podem ajudar.

10 comentários:

Blog da Bete disse...

Deu vontade.
abraços

Nhanduti de Atibaia disse...

Neide,

Acho que V. sabe que dá para usar como se fosse massa de torta, né? Só ralar grosso, se quiser adendar sal e um temperinho qualquer e forrar a forma e montar uma torta. Pronto: virou uma torta sem trigo para uma quinta sem trigo!
Elizabeth

gabrii disse...

hummmmmm

Venha fazer parte do movimento # Por uma cozinha mais divertida!
www.phant.com.br

Marlene Teixeira disse...

Uau... Parece ser delicioso :) Vou seguir, vi aqui coisas bem apretitoas, começei um blog agora ha poucos dias..:) Vou seguir!!!

http://from-pot-to-the-heart.blogspot.pt/

Unknown disse...

Neide! Achei uma outra receita de bolinho de taro frito que eu acho que você vai gostar. Dê um google Image em "woo kok - taro puff" Já fiz aqui em casa e deu certinho usando a receita em http://goo.gl/cYbEZ
Abraços!

Lili disse...

Bem, se eu não como o bolinho já que não tenho inhame e a preguiça me impede de sair para comprar agora, como as palavras: adorei a "malícia da fritura". bj

DCE-GO Diretório Central dos Estudantes de Goiás disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
lili disse...

No indochine kitchen tem um croquete de batata, que deve ser de comer de joelhos.

Gilda disse...

Aprendi a fazer "na roça" como se diz lá em Minas, um bolinho parecido, mas é só taro ralado fino, cheiro verde, sal e pimenta. A massa fica bem mole. Parece que não, mas deixando cair às colheradas no óleo quente, vira bolinho, crocante por fora e macio por dentro. Bem caipira, bem gostoso. Claro que vou fazer o seu, molhinho e tudo.

Jussara disse...

Fiquei com vontade. Vou fazer qualquer dia, até pq acho o inhame bem sem graça quando apenas cozido, mesmo que temperado. Mas ele tem inúmeras propriedades e fico com peso na consciência por não comer. Só que não gosto de comer alimentos sem sabor, ainda que sejam mega saudáveis. :-\ Espero que as propriedades não se percam com a fritura.