quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Pedrigree da salada 2. A rúcula

Poderia se chamar pedigreen este atestado de origem no mundo vegetal. Minha rúcula da salada era assim, plantada numa terra fofa e ensolarada pelas manhãs em algum canto de Piedade, no sítio Felicidade. Foi dona Inês, a mesma que vende os ovos azuis na feira de orgânicos do Parque da Água Branca, quem me vendeu um maço da verdura e orientou: - Você, Neide, que tem um pedacinho de terra, planta estas raizinhas que elas brotam e você vai ter  mais rúcula ainda por um tempo. 

Um consultor de marketing ou de vendas poderia orientá-la para fazer de tudo a evitar que seu cliente se torne auto-suficiente. Tem que criar dependência, necessidade, fidelizar o cliente. Mas suas galinhas de ovos de ouro continuam botando ovos azuis que atraem para sua banca muitos clientes preocupados com o valor agregado ao produto.  A generosidade, tão fora de voga, não vai deixá-la mais pobre. Pelo contrário, é indicador de riqueza, que vem de outras formas. 

Mas, assim que cheguei em casa, segui seu conselho. Usei as folhas, cortando-as mais ou menos a três dedos da raiz e fui procurar lugar para plantar. Como não tinha mais terra disponível, enfiei uma raiz num vaso e outra numa garrafa pet adaptada. Aí foi só regar e em pouco tempo eu já tinha folhas nos dois lugares. No vaso, menos exposto, com terra mais fresca, cresceram outras folhas não semeadas como serralha e almeirão roxo que também foram para a salada. A companhia beneficiou a rúcula que cresceu vistosa. Já a da garrafa pet sofreu, talvez com excesso de sol e superaquecimento da terra, achou que fosse morrer e tratou de preservar a espécie se estiolando rápido para lançar sementes. Então, Inês perdeu uma compradora de rúculas, pois terei minhas próprias sementes. Mas tenho certeza que ganhará muitos outros clientes de ovos, frutas e tudo o que ela produz de orgânico no sítio Felicidade e que vende com alegria e sinceridade.  Então, já sabe, se comprar rúcula, enterre as raízes, colha mais folhas, tempere e nhac! 




7 comentários:

Eliane disse...

Adoro quando vc acaba o post com 1 nhac. O conselho tabe serve pra queles pés de alface que vem com raiz. A tua amiga sabe que vc pode não voltar pra rúcula , nas vai sempre atras de outra coisa isso é amizade.Beijo grande da Eliane.

Leticia Cinto disse...

Muito legal a história e mais legal ainda a salada, toda com com pedigree :) Eu faço isso sempre com cebolinhas. Não entendo porque arrancam o pé inteiro (na verdade, sei que tem gente que prefere a parte branca). Bjs!

MINHA VIDA DE CAMPO disse...

Olá, eu não gostava de rúcula hoje ela está sempre presente em nossa mesa. É, todos estão fazendo sua hortinha essa ideia da garrafa muito legal pra quem não tem espaço.
Gostei de sua explanação sobre a salada.
Tenha uma ótima semana.

lili disse...

Sabe aquela história de que gentileza atrai gentileza?Pois é...

Dricka disse...

Que delicia Neide. Amo rucula, ela é de bem facil cultivo, planto sempre na minha horticula mas somente na primavera/verão,pois nas demais estações não bate sol no meu quadradinho de terra.
Bjs

Valentina disse...

Já tinha quase esquecido de como a rúcula do Brasil tem as folhas enormes.

criação de loja virtual disse...

E se eu plantar o talo com raiz dessas rúculas que se compra em mercado, será que brota?