segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Ciprest: onde os leitores do Come-se se encontram


Está certo que de vez em quando encontro leitores do Come-se aqui em São Paulo. Na feira da Água Branca, no mercado da Lapa, no Mocotó. Mas  qual a chance de eu encontrar uma leitora, entre aquelas que comentam, que estava ali justamente porque seguiu uma indicação do Come-se? E que para isto percorreu de carro cerca de 900 km. E qual a chance de eu estar justamente acompanhada de outra leitora que acabei de conhecer? E de o dono do viveiro ter aberto os portões no sábado à tarde, fora de seu horário de funcionamento, justamente para nós? Muita coincidência, não é não? Mas aconteceu. 

Um encontro come-se fosse marcado, entre paineiras, taperebás e manacás. Tinha até uma cachorrinha simpática correndo de lá pra cá, que jogaram ali recentemente e ainda não tinha nome. Batizamos coletivamente de Flor. 


Foi assim: a Juliana, do deverdecasa, conheci pessoalmente exatamente há uma semana, quando ela esteve aqui trazendo um presente do Edilson, do Viveiro Ciprest.  Aliás, ela publicou nosso encontro no blog dela. Um blog  imperdível. Além de ter fotos lindas - ela é fotógrafa profissional,  é bem escrito e trata de assuntos que muitos leitores do Come-se e eu apreciamos:  mundo natural, sustentabilidade, comida, plantas.  Bem, combinamos de ir juntas ao viveiro Ciprest, que eu vivo indicando aqui mas não conhecia de perto.  Edilson só trabalha até o meio dia no sábado, mas disse que poderia, excepcionalmente, abrir para nós à tarde porque tinha mesmo que carregar uma entrega de um cliente que vinha de longe. Então, éramos dois clientes atendidos com exclusividade.   O cliente de longe era a Patrícia e o marido, de Anápolis - GO. Eles chegaram ali por indicação do Come-se, mas não era a primeira vez. Já era a terceira vez que vinham comprar mudas para o sítio deles. Enchem a carroceria e voltam felizes pra casa. 

Juliana também toca um viveiro junto com o marido, em Holambra, só de árvores nativas, já conhecia o Ciprest e se propôs a me acompanhar.  Então foi isto que aconteceu: estávamos  na maior empolgação quando o até então desconhecido cliente chegou e o Edilson teve que  atendê-lo. Era um casal. Ficamos lá entre pés de folhas de curry, cravos e canelas, curriola, limão-ouro, laranja-coco, bilimbi, fruta do milagre, amora gigante, goiaba-maçã e tudo o que você possa imaginar de árvores frutíferas nativas e exóticas. Juliana comentou que aquilo era muito mais divertido e empolgante que andar no shopping. Não tenho a menor dúvida disso. A gente queria levar tudo. Eis que então ouço meu nome e vejo o casal vindo em nossa direção. - Muito prazer, já nos conhecemos, Patrícia Lieko, lá de Goiás. Demorei um pouco para me localizar, mas quando ouvi o sobrenome me lembrei dos comentários, sempre presentes. Fiquei tão feliz com a coincidência e com o fato de ter conhecido duas leitoras queridas em tão pouco tempo. 

Agora, conversar com Edilson é um capítulo à parte. E aí entendo porque Patricia já veio três vezes de tão longe só para comprar mudas com ele. Quando você compra ali,  fica sabendo não apenas o preço (aliás, bem em conta) da planta, mas descobre dicas sobre plantio, poda, adubação além de particularidades pitorescas sobre as espécies. Pergunte-lhe a respeito de uma fruta e ele saberá tudo sobre ela. Tudo e algo mais que vai fazer você achar que aquele dia realmente vai fazer diferença na sua vida. E, como observou Juliana, ele conversa sempre sorrindo. Perguntei-lhe, pois não me lembrava mais, como mesmo nos conhecemos virtualmente. Ele disse que começou "roubando" fotos minhas para fazer rótulos para algumas frutas e como agradecimento me mandou um pezinho de limão kafir. Demos muita risada. Enchemos a carroceria do nosso carro que é igualzinho ao da Patrícia e voltamos felizes com a promessa de voltar mais vezes. Nós e quem sabe algum outro leitor do Come-se. 
 
Edilson Giacon 
Fone             (19) 3451-5824       / 9144-7580 
Ciprest - Mudas de Plantas - Limeira- SP 
www.picasaweb.google.com.br/Edilson.Giacon



Antes de seguir para o Viveiro Ciprest, que fica entre Artur Nogueira e Limeira, passamos em Piracaia bem cedinho e minha maior alegria foi encontrar em nossa terra dois pezinhos de ipês amarelos com flores. Durante todo este tempo, deviam estar totalmente disfarçados, pois eu nem desconfiava que pudessem existir. Agora, sim, o nome chácara dos ipês faz muito mais sentido.  Depois nos encontramos com Juliana em Holambra, onde há um verdadeiro moinho de vento holandês rodeado de plantações de trigo em plena frutificação. Sábado fez um dia lindo, do começo ao fim! 
 


 

7 comentários:

Leticia Cinto disse...

Ai! Eu acho que não existe inveja boa, então vou dizer que fiquei com muita vontade de ter estado lá tb! Parece ter sido um passeio muito bacana e ainda instrutivo. Curti demais :)

Neide Rigo disse...

Letícia,
você caberia como uma luva neste passeio.
Quem sabe a gente não organiza uma visita Come-se ao viveiro?
beijos, N

Guto Suassuna e Bega disse...

Olá Neide,
Meu nome é Luis Augusto Suassuna e Bega e sempre leio o blog mas nunca comentava. Moro em Curitiba e achei super legal quando descobri que você tinha contato com a Ana Suassuna, uma parente um pouco distante.
Continue sempre alimentando o blog, ele é uma riqueza.
Um grande abraço.

Patricia Lieko disse...

Valeu Neide Rigo!
Adorei o post.

Juliana Valentini disse...

Neide!
Tô aqui toda coberta de confetes e feliz com as suas recomendações e elogios, muito obrigada!
Foi mesmo uma delícia, também adorei.
Venha mais, muitas vezes mais!
E seja sempre muito benvinda em Holambra, no sítio e no De Verde Casa.
Um beijo grande,
Juliana.

Nadia Marrach disse...

Neide, ando meio sumida nos comentários, mas assídua como leitora!!! Olha só, estive no Ciprest faz mais ou menos um mês e foi exatamente como você descreveu. mencionei você e o Edilson já foi me mostrando o limão kafir, o limão yuzu, me deu algumas sementes de rosélia... É realmente muito gostoso conversar com ele e ouvir as dicas de cultivo, até de plantas que você não está comprando!!!Voltamos com o carro cheio de mudas: Uma sakurá pronta prá florescer, um manjericão com um perfume misturado com orégano, um pé de pimenta da jamaica, do qual, segundo Edilson, se aproveita tudo. Com tanta conversa, nos esquecemos de trazer o hibisco (aquele para fazer suco). Sem problemas, meu marido passou lá alguns dias depois e, de quebra me trouxe ainda uma muda linda de rosa! Realmente dá gosto ir lá!

Neide Rigo disse...

Guto, vou falar com ela de você. Obrigada!

Patricia, é tão bom agora ligar o nome à pessoa..

Juliana, você merece! E é claro que vou, ah, se vou.

Nadia, que bom saber. Então vamos combinar da próxima vez de nos encontrarmos todas lá. Poxa, eu quero uma pimenta da jamaica!!

Um abraço,
N