quarta-feira, 11 de julho de 2012

Dão ou jujuba


Todo ano, sempre nesta época, vejo nas lojas de produtos orientais do bairro da Liberdade pacotes com estas frutas verdes. Não sei porque mas nunca tive curiosidade de experimentar. Talvez por não gostar muito de aroma artificial de maçã verde, que nada tem a ver com a fruta original que tem um bom perfume - é que vejo a fruta, lembro do cheiro enjoativo e acabo desviando o olhar. Mas desta vez estava com a Carol e o jeito de olhar as coisas quando se está acompanhada é diferente. Por isto resolvi comprar um saquinho com cerca de  um quilo da fruta a 9 reais. Elas são muito parecidas com maçãs, mas menores, com uma semente do tamanho de uma amêndoa. Não são do tipo de fruta que atrai pelo aroma, que quase não demonstram. Ainda na mercearia nos perguntamos como será que se come e, curiosamente, uma chinesa que comprava outras coisas se juntou à nossa conversa com simpatia e nos disse que deveríamos comer verdes mesmo, que era assim o costume, pois são frutas docinhas mesmo quando imaturas. E, com uma piscadela, sorriu balançando a cabeça, aprovando o preço, que estava muito bom, sim. Se era uma agente-x a gente não sabe, mas ela estava certa. Assim que cheguei em casa, provei uma, provei duas e não conseguia parar de comer. Consegui reservar duas pra salada. Crocante e suculenta como a maçã, tem sabor doce ligeiramente ácido - quase nada. E é pouco perfumada.

Dentro do saquinho vem um folheto com poucas informações em português além de um texto em chinês com composição nutricional e talvez algum outro dado sobre a fruta. Tem também o nome "jujube" e o lugar onde é produzido, Cedral, perto de São José do Rio Preto.

Jujubas que vi na África eram diferentes, menores,  mas juntando nome com imagem foi possível descobrir o nome científico da fruta que comprei, Zizyphus mauritiana Lam,  e a partir daí constatar, surpresa, que a fruta é a mesma que sabia existir em Rondônia, com nome de "dão", mas que nunca tinha visto.

Não sabia que era cultivada em outro lugar, agora sei. Pelo jeito vai bem no clima quente da região norte do Estado de São Paulo. Não é fruta brasileira, mas nativa da Índia e Sudeste Asiático, onde é muito cultivada. Está atualmente espalhada pela Índia, Afeganistão, China, Malásia, Austrália e da Flórida até o Brasil. Parece que no norte da Austrália a árvore, que cresce rapidamente até doze metros, é considerada praga, mas por aqui, mesmo ao redor de Rondônia, onde já é uma fruta que faz parte das memórias infantis de gente mais velha, é ainda pouco difundida. Pelo jeito, chineses gostam e deve haver muitas boas maneiras de se preparar em pratos doces e salgados, embora a mulher da loja tenha dito que o bom é comer in natura mesmo. Nunca vi maduras além das fotos, mas elas ficam vermelhas,  mais molinhas e podem servir para se conservar em passas, pois uma vez me lembro ter comido um prato coreano de costela com jujubas secas, à moda das ameixas. Não sei se é a mesma coisa pois não me lembro do gosto, afinal este nome jujuba se aplica a frutas diferentes mundo afora. As que vi no Senegal eram muito menores.  Já estas são do tamanho dos tomates médios.

Aqui vão outros nomes, para quem quiser pesquisar mais: yuiubi, em Porto Rico; yuyuba, em espanhol; guinda, na Colômbia; pomme malcadi, no Haiti; perita haitiana, na República Dominicana, posingué, na Venezuela e jujube, em inglês.

O tipo de crocância das jujubas é muito parecido ao encontrado no jacatupé, no yacon, nos rabanetes, na maçã verde. Como tinha em casa jacatupé (comprado também lá na Liberdade) e rabanete, resolvi juntar os dois derradeiros numa salada com cenoura, batata e ervilha cozidas e emulsão de umbu, que é assunto  pra outro post, mas que poderia ser uma maionese comum.  Aliás, umbu verde também é bom e docinho, além de ácido, e as duas frutas fariam boa combinação nesta salada.






Onde compreiMercearia e Bomboniere Towa - Praça da Liberdade, 113 - Liberdade. Tel.            11 3105-4411      
Quem  produz:  Sítio Taiwan - Cedral - SP - Tel. 17 223-0097/  9627-5169/ 5579-4156 

10 comentários:

Fer Guimaraes Rosa disse...

Neide, todo ano no final do verao eu recebo essa fruta na minha cesta organica, mas ela vem bem madura e as vezes ja seca. eu nao gosto muito e nem sei muito bem o que fazer com ela. voce me deu umas ideias extras. aqui sao chamadas tambem de chinese dates. olha as minhas:

http://www.chucrutecomsalsicha.com/archives/2006/09/jujube_the_chin.html

http://www.chucrutecomsalsicha.com/archives/2008/08/jujubes.html

beijo :-)

Neide Rigo disse...

Obrigada, Fer! Não me lembrava destes posts. Pelo que vi, acho que os frutos verdinhos são mais gostosos e suculentos. Mas fiquei curiosa pra experimentar jujubas maduras.

Beijos, N

Inessa disse...

Oi Neide, que legal encontrar as jujubes por aqui. Quando estive em Beijing 1 mes atras, comia muitas destas secas e/ou liofilizadas ( bem crocantes ) no café da manha. Ainda sim, em cozidos e em caldos de Hot Pot.Encontrei também em Kyoto, na versão em passas. Agora quero prova-las frescas! bjos

Anônimo disse...

tb adorei as jubebes!!
e o rodrigo amou! temos q voltar pra comprar mais :)
bj, carol

angela disse...

Por falar em fruto , gostaria de plantar a tal fisalis, mas não existe semente no site que você indicou. A Marta de portugal ficou de me arrumar as sementes se eu quiser. Acho que vou pedir. Tomara que cheguem aqui prontas para plantio. Ela disse que pega fácil, as sementes da frutinha mesmo, nada de mudas ou complicações.

Guaranature disse...

Interessante como as frutas asiáticas se dão bem aqui.Andando por matas fechadas, encontramos mangueiras,jaqueiras e outras!

Guaranature disse...

Interessante como as frutas asiáticas se dão bem aqui, andando por matas fechadas, encontramos jaqueiras e mangueiras!

Valéria disse...

olá, depois de ver o seu post tomei coragem e comprei um saquinho dessas delícias! Aqui no meu emprego todo mundo que experimentou adorou. beijos

Anônimo disse...

Olá Sonia, adorei seu post, mas queria fazer uma correção: O dão não é encontrado em Rondônia e sim em Roraima.

Jaqueline Viza disse...

Comprei sementes pelo mercado livre, dizem que nasce fácil aqui no Brasil. O nome da jujuba chinesa é Zizyphus jujuba , deve ser parente desta africana que você achou aí. Não vejo a hora de provar as minhas!